Brimonidina: para que serve e como utilizá-la?

10 Abril, 2020
A brimonidina é uma solução encontrada na forma de colírio e é administrada por via oftálmica. É frequentemente usada para o tratamento do glaucoma de ângulo aberto. Como ela age? Quais são seus efeitos adversos?
 

O princípio ativo da brimonidina é utilizado para reduzir a pressão intraocular (PIO). É, portanto, indicada para pacientes com alta fadiga ocular e no tratamento do glaucoma de ângulo aberto.

O glaucoma é o principal fator de risco para a hipertensão ocular. A pressão dentro do olho se torna tão alta que pode danificar o nervo óptico e causar perda de visão de forma irreversível e grave.

Como funciona a brimonidina?

A brimonidina pertence a uma classe de medicamentos chamados agonistas alfa-adrenérgicos e age para diminuir a quantidade de fluido no interior do olho.

Uma substância que exerce efeitos semelhantes ou idênticos aos da adrenalina é chamada de agonista adrenérgica. Também são conhecidas como simpatomiméticas, ou seja, agem imitando o sistema nervoso simpático.

O sistema nervoso simpático é uma das ramificações do sistema nervoso autônomo. Ele é responsável por executar funções involuntárias, como:

  • Dilatação da pupila.
  • Diminuição da produção de saliva.
  • Aumento da frequência cardíaca.
  • Inibição da atividade dos órgãos digestivos.

Leia também: 7 aspectos curiosos sobre as nossas pupilas

Como devo usar a brimonidina?

Mulher usando colírio
A brimonidina está disponível em solução na forma de colírio. Sua administração é feita por via oftálmica.
 

A brimonidina pode ser encontrada em solução na forma de colírio e é administrada por via oftálmica. Em pacientes adultos e idosos, a dose recomendada é de uma gota em cada olho afetado duas vezes ao dia, com um intervalo aproximado de 12 horas entre as doses.

Instruções e recomendações de uso

Atenção: não devemos usar o medicamento se o lacre estiver rompido antes de começarmos a usá-lo. É importante lavar bem as mãos antes de abrir o frasco.

  • Para começar, incline a cabeça para trás e olhe para o teto.
  • Puxe cuidadosamente a pálpebra inferior para baixo.
  • Em seguida, vire o frasco de cabeça para baixo e aperte até que uma gota de colírio entre em cada olho afetado.
  • Feche seus olhos.
  • Para otimizar o uso e evitar uma possível absorção sistêmica, é aconselhável pressionar o saco lacrimal por um minuto, logo após a aplicação de cada gota. Além disso, se mais de um medicamento oftálmico for usado, as aplicações devem ser realizadas com um intervalo de 5 a 15 minutos entre um medicamento e outro.
  • Depois de aberto, o medicamento deverá ser utilizado dentro de 28 dias.

Quais são os seus efeitos adversos?

 

As reações adversas mais comumente relatadas são:

  • Boca seca.
  • Hiperemia ocular.
  • Ardência e coceira nos olhos.
  • Dor de cabeça.
  • Sonolência.

Estes costumam ser efeitos adversos transitórios que não apresentam uma maior gravidade. Ainda assim, será necessário suspender o tratamento com brimonidina.

Entre os efeitos colaterais raros, estão:

  • Coloração da córnea.
  • Fotofobia ou sensibilidade à luz.
  • Edema palpebral.
  • Astenia.
  • Raramente, podem ocorrer palpitações ou arritmia.

Se os seguintes sintomas aparecerem, entre em contato com seu médico imediatamente:

  • Erupções cutâneas.
  • Dificuldade para respirar.
  • Desmaio.
  • Tonturas.
  • Náusea.
Homem com dor de cabeça
Dores de cabeça e sensibilidade à luz são alguns dos possíveis efeitos colaterais do uso deste medicamento.

Você pode se interessar: Pressão ocular alta: causas e tratamento

Quais são as contraindicações?

O tratamento com brimonidina é contraindicado nos casos de:

 
  • Hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer um dos excipientes.
  • Neonatos e crianças menores de 2 anos.
  • Pacientes em tratamento com medicamentos antidepressivos inibidores da monoamina oxidase (IMAO).
  • Pacientes tratados com antidepressivos que afetam a transmissão noradrenérgica (por exemplo, antidepressivos tricíclicos).

Posso usar a brimonidina se estiver grávida?

Existem estudos em animais que indicam que a brimonidina não causa efeitos teratogênicos. No entanto, estudos realizados em coelhos, nos quais foram detectados níveis de brimonidina mais altos do que os alcançados durante o tratamento em humanos, mostraram uma redução do crescimento pós-natal.

Embora até o momento a segurança do uso deste medicamento durante a gravidez em humanos não tenha sido claramente estabelecida, o uso de brimonidina não é recomendado durante a gravidez.

Assim, ela só será considerada se o possível benefício para a mãe justificar o risco para o feto. Seu uso não é recomendado durante o período de amamentação.

 
  • Agencia Española del Medicamento y Productos Sanitarios (AEMPS). CIMA. Ficha técnica brimonidina. https://cima.aemps.es/cima/dochtml/p/70471/P_70471.html
  • McLaurin E, Cavet ME, Gomes PJ, Ciolino JB. Brimonidine Ophthalmic Solution 0.025% for Reduction of Ocular Redness: A Randomized Clinical Trial. Optom Vis Sci. 2018;95(3):264–271. doi:10.1097/OPX.0000000000001182
  • Cantor LB. Brimonidine in the treatment of glaucoma and ocular hypertension. Ther Clin Risk Manag. 2006;2(4):337–346. doi:10.2147/tcrm.2006.2.4.337
  • Acces medicina. Brimonidina: oftálmicos. https://accessmedicina.mhmedical.com/content.aspx?bookid=1552&sectionid=90367797
  • Sethi HS, Naik M, Gupta VS. Management of glaucoma in pregnancy: risks or choices, a dilemma?. Int J Ophthalmol. 2016;9(11):1684–1690. Published 2016 Nov 18. doi:10.18240/ijo.2016.11.24