Pressão ocular alta: causas e tratamento

11 de setembro de 2019
A pressão ocular alta é uma disfunção ocular que aumenta o risco de glaucoma, que por sua vez pode levar à cegueira total. O mais problemático é que a hipertensão ocular não produz nenhum sintoma e geralmente passa despercebida até que seja tarde demais.

Quando se fala em pressão ocular alta, significa que a pressão dentro do olho é maior do que o normal. As consequências disso não são previsíveis. Algumas pessoas têm esse problema e nunca sofrem danos oculares, enquanto em outros casos há uma perda total da visão.

Uma das dificuldades da pressão ocular alta é que, na maioria dos casos, ocorre sem ser notada pela pessoa que a sofre. Não produz sintomas, até que seja provavelmente tarde demais. Por isso, a única maneira de evitar esse problema é fazendo exames médicos oftalmológicos regulares.

Além disso, existem pessoas que são mais predispostas a sofrer de pressão ocular alta. Entre elas estão aquelas que, por exemplo, têm histórico familiar desse problema, ou glaucoma, além de mais de 40 anos, hipertensos, míopes e aqueles que usam esteroides há muito tempo, entre outros.

O que é a pressão ocular alta?

Tratamento pressão ocular alta com colírio

O olho mantém uma certa pressão interna, o que lhe permite funcionar adequadamente e manter sua forma. O humor aquoso é uma substância que se encontra no olho e é, em grande medida, responsável pelo o equilíbrio de pressão. Além disso, ele nutre e oxigena a córnea e o cristalino.

O humor aquoso é um líquido transparente. Se a quantidade desse humor no olho permanecer constante, a pressão ocular será normal. Mas se aumentar ou não evacuar adequadamente, a consequência é uma pressão ocular alta. O nervo óptico é então pressionado e isso pode dar origem a vários problemas de visão.

Além disso, quando há uma pressão ocular alta, os riscos de desenvolver glaucoma aumentam de 10 a 15 vezes. O glaucoma, por sua vez, é uma doença óptica muito grave, que pode levar à completa perda de visão. Por isso, a pressão ocular alta é um problema que nunca deve ser ignorado.

Pressão ocular e ausência de sintomas

Como indicamos anteriormente, uma das principais dificuldades da pressão ocular alta é que, na grande maioria dos casos, ocorre sem causar sintomas. Por isso, a única maneira de detectá-la é através de um exame profissional, com um dispositivo chamado tonômetro.

O tonômetro permite medir a tensão dos fluidos no olho. Os níveis de pressão intraocular (PIO) são medidos em milímetros de mercúrio (mmHg). Assim, se eles estiverem entre 11 e 22 mmHg, a tensão ocular é normal. Se eles excederem esse limite, há uma grande fadiga ocular.

Também pode te interessar: Hipertensão: saiba como mudar os hábitos

Causas

Controle com oftalmologista

Os principais fatores que levam ao desenvolvimento da hipertensão ocular são os seguintes:

  • Produção de humor aquoso em excesso. O humor aquoso ocorre em uma área do olho chamada corpo ciliar. Se ele é gerado em uma quantidade anormal, a pressão no olho aumenta.
  • Drenagem insuficiente do humor aquoso. O humor aquoso drena para fora do olho através de uma estrutura chamada malha trabecular. Se a drenagem não é eficiente, a pressão no olho aumenta.
  • Efeito de medicamentos. Alguns medicamentos geram alta pressão ocular; em particular, aqueles que contêm esteroides.
  • Trauma no olho. Lesões nos olhos podem levar à produção excessiva de humor aquoso ou falha ao drená-lo.
  • Doenças oculares. A síndrome pseudoesfoliativa e a síndrome de dispersão pigmentar e o arco da córnea, particularmente, tendem a aumentar a pressão no olho.

Leia também:  Como aliviar os olhos irritados com 5 soluções caseiras

Tratamentos disponíveis

O tratamento da pressão ocular alta é realizado por meio do uso de medicamentos, procedimentos a laser ou intervenções cirúrgicas. Mas, é o profissional de saúde quem determinará qual escolher, de acordo com as características de cada caso.

Conheça alguns dos tratamentos disponíveis em seguida:

  • Uso de hipotensores oculares. São medicamentos usados para diminuir a produção de humor aquoso ou aumentar sua drenagem. Eles vêm na forma de gotas para aplicar regularmente no olho.
  • Trabeculoplastia. É realizado com laser de argônio, no trabéculo. Procura aumentar o fluxo de humor aquoso.
  • Ciclofotocoagulação transesclereal. É realizado com laser, no corpo ciliar. Reduz a produção de humor aquoso.
  • Esclerectomia profunda não perfurante. É uma perfuração na parte branca do olho (esclera) para facilitar a drenagem.
  • Iridoplastia. É um procedimento a laser de argônio para favorecer a drenagem do humor aquoso.
  • Iridotomia. É realizado com laser YAG ou de argônio para facilitar a drenagem do humor aquoso.

Se o glaucoma já se desenvolveu, é comum realizar intervenções como aplicação de dispositivos ou válvulas de drenagem, goniotomia, trabeculostomia com Excimer Laser ou MIGS (Minimally Invasive Glaucoma Surgery). Por fim, este último também se aplica aos casos de hipertensão ocular.

  • Díaz Alemán, V. T., Fernández-Baca Vaca, G., Lozano López, V., García Somalo, M., Perera Sanz, D., & González de la Rosa, M. (2005).
  • Nomograma de riesgo de progreso de hipertensión ocular basado en el Ocular Hypertension Treatment Study. Archivos de la Sociedad Española de Oftalmología, 80(3), 151-154.
  • Bhargava, M., Ikram, M. K., & Wong, T. Y. (2012). Ocular manifestations of hypertension. Hipertension y Riesgo Vascular. https://doi.org/10.1016/j.hipert.2012.07.001