7 aspectos curiosos sobre as nossas pupilas

· 2 de junho de 2015
Você já parou para pensar alguma vez quantas coisas podem chegar a dizer as pupilas?

As pupilas são as janelas para o interior da alma capazes de se expandir como uma flor, como um pequeno universo o qual se escondem emoções e sentimentos.

Já parou para pensar alguma vez quantas coisas as pupilas podem nos dizer?


Hoje, convidamos a todos para um curioso e apaixonante passeio para o interior dos nossos olhos, para esse ponto escuro, mágico e inquietante que são as pupilas.

Como já é sabido, essa parte do olho é a encarregada de regular a quantidade de luz que entra no globo ocular mas, além disso, esconde muitos mais segredos. Descubra-os conosco. Estamos certos de que vão parecer muito interessantes.

1. A optografia

A optografia não é um termo muito conhecido na atualidade. Entretanto, no século XIX houve um tempo em que era bastante habitual escutar essa palavra.

Fazia referência à disciplina que desenvolveu o fisiologista Wilhelm Friedrich Kühne em 1881, e que tinha como finalidade analisar a pupila das pessoas que tinham sido assassinadas.

Acreditava-se que a imagem do assassino podia ficar “impressa” nas pupilas a modo de fotografia, daí que se realizaram numerosas investigações a nível microscópico e de fotografia com a finalidade de verificar se esta suspeita podia ser certa.

É sabido, inclusive, que durante os assassinatos de Jack o Estripador foram analisadas as pupilas de alguma de suas vítimas, mas infelizmente, não se obteve nenhuma conclusão clara.

De fato, nos dias de hoje, a optografia entra dentro das ciências paranormais.

Saiba mais: 7 fotografias de seu bebê que você deve tirar

2. As pupilas e as emoções

As pupilas e as emoções

É sabido que as emoções fortes como a alegria, o entusiasmo ou inclusive o desejo sexual, dilatam chamativamente as pupilas.

Pode parecer curioso, mas para confirmar isso foi feito um famoso experimento em 1977 na Universidade da Califórnia (Estados Unidos) no qual foram recrutadas 150 pessoas. O estudo consistia em oferecer a cada sujeito experimental um livro erótico para que fosse lido.

A conclusão foi que em determinadas passagens se dilatavam as pupilas de todas aquelas pessoas, demonstrando efetivamente tal relação.

Leia mais: 5 dicas para cuidar bem da visão

3. Tentar resolver um problema complexo

Concentracão

Quando nos encontramos imersos em um problema ou em uma situação que exige uma alta concentração mental é habitual também que as pupilas se dilatem.

Sobretudo se a dificuldade somamos o estresse ou a ansiedade, um estado no qual se acrescentam, por um lado, as emoções e por outro, a saturação cognitiva.

4. A repulsão

Pupilas dos olhos

É uma reação natural e instintiva. Os seres humanos sentem uma repulsão quase imediata a determinadas coisas: a um aroma desagradável, à matéria morta ou em decomposição e inclusive a estímulos que consideramos desagradáveis como, por exemplo, a violência.

Todas essas experiências afetam também as pupilas, que se dilatam. Já tinha percebido alguma vez? Trata-se de um impacto no qual também se misturam as emoções com uma reação fisiológica natural de rejeição e de necessidade de fuga.

5. A dor e as nossas pupilas

Dor-de-cabeca

Certamente essa é uma questão intuitiva. Sabe-se que o sistema nervoso autônomo reage frente à sensação de dor e ativa os sentidos para a fuga, para o escape. E uma das primeiras reações do corpo frente à dor é a dilatação das pupilas.

Sabe por que acontece isso? Frente a necessidade de “fuga”, o cérebro necessita que todos os sentidos estejam no máximo do seu rendimento. Então, a vista deve estar focada 100% para poder detectar qualquer perigo potencial no entorno. Curioso, não é mesmo?

6. As pupilas e os agentes químicos do ambiente

Olho-humano-500x326

Não podemos deixar de lado o fato de que os olhos, por conseguinte, as pupilas, são muito sensíveis a todos os agentes químicos presentes na nossa atmosfera.

Assim sendo, por exemplo, se um dia, depois de levantar, observa-se que as pupilas estão constantemente dilatadas, tente ir imediatamente ao médico.

Além de algum possível problema cerebral, as pupilas dilatadas também podem se dever aos seguintes aspectos:

  • Venenos ou outros agentes químicos aos quais podemos ter alergia. Um exemplo? A casca da árvore da alfarrobeira.
  • O combustível para aviões, o clorofórmio e determinadas drogas ou opiáceos também costumam originar essa reação.
  • Além disso, também são indicadores para ir imediatamente ao médico.

7. Doenças neurológicas

Ictus

Essa informação é muito importante. Se depois de levar um golpe, você ou algum familiar notarem as pupilas dilatadas, também é vital procurar por ajuda médica imediatamente; pois pode existir uma hemorragia interna ou qualquer outro problema neurológico que precise de uma rápida intervenção.

Às vezes, as pupilas dilatadas são também sinal de um possível tumor cerebral ou de um edema cerebral. Nesse caso, como dizemos, é uma característica que deverá ser contínua. A dilatação da pupila não se contrai apesar da aplicação de uma luz direta.

Por fim, as pupilas não são só um reflexo das emoções, como também um indicador da saúde; cujas características valem a pena conhecer.

  • BATTELLO, C. (2016). Iridologia-Irisdiagnose: O que os olhos podem revelar. Digitaliza.
  • Kimura, M., & Koizumi, M. S. (1993). Ensino e aprendizagem do exame físico: análise do processo pelo exame das pupilas. Revista da Escola de Enfermagem da USP27(1), 117-132.
  • FERRAREZI, G. (2010). Sistema de aquisição de imagem do olho humano para avaliação da resposta da pupila submetida a estímulos luminosos. Trabalho de Conclusão de Curso, EESCUSP.