Bandagens: tudo o que precisa saber

22 Novembro, 2019
As bandagens devem ser colocadas com cuidado para não apertar excessivamente o membro nem o imobilizar inadequadamente.
 

As bandagens, ou curativos, constituem um procedimento que se baseia em envolver uma parte do corpo que está lesionada. Para isso, costumam ser utilizados gazes, tecidos, ataduras ou outros materiais. Além disso, a lesão pode ser desde algo muscular, como uma contratura, até uma ferida que sangra notavelmente.

As bandagens vêm sendo utilizadas ao longo de toda a história. Acredita-se que Hipócrates, que era um médico da antiga Grécia, na qual muitos aspectos da medicina atual seguem-se baseando, foi o primeiro a colocar uma bandagem para tratar uma úlcera venosa.

No entanto, civilizações mais antigas, como os egípcios, já as utilizam para outras finalidades. Atualmente, quase toda a população as utiliza diariamente para feridas ou contusões. Por isso, neste artigo explicaremos tudo o que deve saber sobre as bandagens.

Para que servem as bandagens?

Mulher colocando bandagem

Como já sabe, as bandagens podem ser de diversos tipos e têm vários usos diferentes. O mais frequente é que sejam usadas para proteger feridas, prevenindo uma infecção e ajudando a cessar o sangramento.

Ademais, costumam ser usadas para limitar o movimento de algum membro ou de alguma articulação, como ocorre nos entorsesDo mesmo modo, ajudam a segurar talas ou a sustentar alguma parte do corpo.

 

As bandagens podem ser úteis para ajudar a circulação venosa. Isso é útil para pessoas que têm edemas nas pernas, por exemplo. Permitem sustentar emplastos e medicamentos e, para destacar, servem para frear hemorragias.

Função das bandagens

Dessa forma, resumidamente, é possível dizer que as bandagens podem ser:

  • Contesivas: são aquelas que são utilizadas para certos tratamentos, ao sustentar um emplastro ou medicamento.
  • Compressivas: são as que ajudam a apertar firmemente um membro, para frear uma hemorragia por exemplo.
  • Corretivas: são aquelas que imobilizam e fixam um membro permitindo que se repare, como no caso dos ossos.

Talvez te interesse: Cientistas criam um “curativo vivo” de células-tronco

Quais tipos de bandagem existem?

Curativo no joelho

Normalmente, os curativos são realizados de formas diferentes de acordo com a finalidade que tenham. Por exemplo, a bandagem circular costuma ser utilizada para sustentar um emplastro em um braço ou uma perna. Para isso, envolve-se todo o membro na forma de um anel, como indica seu nome.

Por outro lado, existe a bandagem em espiral, que é usada mais para sustentar talas na mão, nos braços ou nas pernas. Neste caso, a bandagem utilizada é elástica e é colocada seguindo uma espiral.

 

A bandagem de espiga é muito similar as bandagens espirais. A diferença é que a colocação do curativo é feita retrocedendo a bandagem e, no final, as duas voltas ficam cruzadas. É usada mais nos membros inferiores para ajudar no retorno venoso.

Também existem os chamados curativos “em oito”. São os colocados geralmente sobre as articulações. Para fazê-lo, começa-se a colocar o curativo sob a articulação, fazendo várias voltas espirais com a bandagem. Passa-se a bandagem para cima, como se estivesse desenhando a parte superior do oito. Assim que tenha dado um par de voltas, volte a abaixar o curativo.

É necessário alternar voltas ascendentes e descendentes, e assim é obtida uma bandagem com forma de oito. Existe uma forma especial de bandagem em oito que é utilizada para tratar as fraturas de clavícula, em que o número oito se forma na parte posterior das costas do paciente, tracionando os ombros para trás.

Por fim, encontra-se a bandagem recorrente. É a forma de enfaixar a cabeça ou um membro amputado. Para realizá-la, a faixa é colocada da parte dianteira a traseira, cobrindo toda a área. Em seguida, são feitos círculos que fixem a bandagem horizontalmente.

Saiba também como: Desinfetar uma ferida

Tem algum risco?

Como qualquer outro tratamento ou técnica, as bandagens também podem ter certas complicações. Especialmente quando são utilizadas sem conhecimento ou sem estarem totalmente indicadas.

Quando se aperta excessivamente uma bandagem, pode-se causar uma síndrome de compressão. Isso ocorre quando o sangue oxigenado não pode chegar a todas as partes devido a compressão. Por conseguinte, as partes que ficam isoladas se tornam frias e de cor azuladas.

 

Além disso, pode-se produzir escaras ou úlceras pelo uso de bandagens muito rígidas. Do mesmo modo, é comum que a pele se machuque caso a bandagem seja aplicada sobre uma área úmida.

Concluindo

A colocação das bandagens é uma técnica muito útil para o tratamento de muitas lesões, desde feridas simples até fraturas de ossos. No entanto, é recomendado que sempre sejam realizadas por um profissional que conheça a técnica e as indicações para fazê-las.

  • PortalesMedicos.com (Firm). (n.d.). Atención de enfermería en los vendajes funcionales. PortalesMedicos.com. Retrieved from https://www.revista-portalesmedicos.com/revista-medica/atencion-de-enfermeria-en-los-vendajes-funcionales/
  • Soriano Compañ, A. (2010). Vendajes. Club Universitario. Retrieved from https://books.google.com.ar/books?id=Omg5xZWvajsC&pg=PA5&dq=vendajes&hl=es&sa=X&ei=o6PyU5j9HcjvoATOvILYDg&redir_esc=y#v=onepage&q=vendajes&f=false
  • Tipos de vendajes. (n.d.). Retrieved from http://www.sld.cu/galerias/pdf/sitios/urgencia/6vendajes.pdf
  • Vendajes — Enfermería Práctica. (n.d.). Retrieved October 8, 2019, from https://enfermeriapractica.com/procedimientos/vendajes