Técnicas básicas para fechamento das feridas

· 28 de maio de 2019
As feridas são uma porta de entrada para microrganismos. Por esse motivo é importante saber como limpá-las e fechá-las para evitar complicações.

Como regra geral, as feridas são danos que podem ocorrer na superfície externa do nosso corpo. Também podem ser definidas como uma perda na continuidade da pele devido a um fator externo. De acordo com as características da ferida a equipe médica pode optar por promover o seu fechamento, ou não.

Atualmente, uma das técnicas mais utilizadas no fechamento de feridas é o uso de suturas. Dentro deste método existem inúmeras variantes, e o médico correspondente deve escolher a mais adequada para o caso.

Classificação das feridas

Ferida aberta

Uma das propriedades que devem ser verificadas é a limpeza da ferida. Por um lado, as lesões limpas são recentes e não contaminadas ou infectadas. Por outro lado, as feridas sujas podem ser posteriores, aparecerem com mais tecido rasgado, e se encontram contaminadas, ou com corpos estranhos nelas.

Outra classificação de feridas pode ser determinada a partir do agente ou causa da lesão (arma branca, de fogo, etc.). Além disso, elas podem ser diferenciadas de acordo com sua aparência, se afetam outras estruturas além da pele, etc., entre outras classificações.

Fases da cicatrização

Normalmente as feridas seguem um padrão de regeneração ou cura, que segue os seguintes passos:

  • Fase de inflamação. É também chamado de fase de reação, e aparece durante os primeiros dias. Nela, os vasos sanguíneos se dilatam e a permeabilidade vascular aumenta. Deste modo, o fluido seroso é filtrado, e os leucócitos formam uma camada protetora (crosta).
  • Fase de proliferação. Outros nomes que recebe são: fase de regeneração e a fase de granulação. Começa 3 dias após a lesão, e termina entre 1 a 2 semanas depois. O colágeno perdido começa a ser produzido, e os vasos linfáticos e sanguíneos são recuperados.
  • Fase de maturação. Às vezes é identificada como o estágio de remodelação da ferida. Começa algumas semanas depois de receber o dano, e acaba vários anos depois. Nela, a cicatriz diminui sua profundidade e tamanho. Finalmente, o paciente apresentará uma área de cor mais pálida, onde ocorreu a lesão.

Talvez você esteja interessado em ler: 5 feridas emocionais da infância que persistem quando somos adultos

Como tratar as feridas?

Técnica para fechamento de feridas simples

Em qualquer caso, o grupo de especialistas deve seguir o procedimento geral na hora de tratar feridas. Uma lista de prioridades deve ser feita em caso de acidente ou emergência, com outras alterações.

Primeiro, o paciente deve ser anestesiado para reduzir o desconforto associado ao fechamento da ferida. A anestesia pode ser administrada localmente ou em geral, dependendo da gravidade da lesão. Para fazer isso, um ou mais medicamentos são injetados no paciente, como é o caso da lidocaína.

Em seguida, o grupo de especialistas removerá cuidadosa e gentilmente os corpos estranhos que podem ser encontrados dentro da ferida. Para isso, serão utilizados os instrumentos mais adequados e esterilizados. Mais tarde, deve ser aplicada na área uma quantidade abundante de soro fisiológico, para limpá-la adequadamente.

Não deixe de conferir ademais: Descubra a importância de ter um kit de primeiros socorros em casa

Técnicas de fechamento

Se necessário, o médico continuará a realizar uma sutura para unir os tecidos que se soltaram com a ferida. Dependendo das propriedades da lesão, a equipe médica correspondente determinará qual é o tipo de sutura mais apropriado:

  • Pontos de aproximação. Consiste em um conjunto de seções de esparadrapos que mantêm as extremidades da ferida próximas. Como regra geral, estes são liberados naturalmente dentro de alguns dias de sua colocação (especialmente se ficar molhado).
  • Grampos. Estes são pequenos fios metálicos com a forma de um grampo, que mantêm a ferida e suas bordas firmes para promover a cicatrização e regeneração do tecido. E devem ser removidos usando um instrumento médico especial.
  • Suturas de fio. Existe uma grande variedade de nós e tipos de fios que o grupo de especialistas pode usar, dependendo do tecido e da forma da ferida. Desta maneira, uma agulha é usada para costurar toda a extensão da lesão.