Existem bactérias nos pulmões?

A presença de bactérias nos pulmões muitas vezes resulta em sintomas como tosse, dor respiratória, febre e desconforto. É essencial conhecer o quadro clínico da pneumonia bacteriana para acabar com ela o mais rápido possível.
Existem bactérias nos pulmões?

Última atualização: 03 Dezembro, 2020

Sintomas como dor no peito, dificuldade para respirar, febre, náusea e vômito são indicativos de bactérias nos pulmões. Embora esses microrganismos sejam essenciais para o bom funcionamento dos sistemas fisiológicos humanos, sua presença neste tipo de órgão leva a quadros clínicos que podem ser graves.

Sabe por que essas infiltrações bacterianas ocorrem na região pulmonar? Você faz parte de um grupo de risco? Saber mais sobre isso é fundamental para lidar com essas doenças, pois permite que medidas preventivas sejam tomadas. A seguir, descubra tudo que você precisa saber sobre a pneumonia bacteriana.

Sobre microbiota e atividade bacteriana

Em primeiro lugar, é essencial lembrar que as bactérias que habitam o corpo humano são, em sua maioria, positivas. Vários estudos microbiológicos têm comprovado os seus benefícios. As colônias bacterianas no intestino humano desempenham funções como:

  • Melhor absorção de certos nutrientes.
  • Metabolismo lipídico mais eficiente.
  • Proteção contra microrganismos patogênicos.

A microbiota normal é definida como o conjunto de microrganismos que habitam o corpo de seres vivos, e desempenham várias funções de natureza simbiótica com seu hospedeiro.

Essas colônias possuem um componente espacial e temporal, pois sua composição e presença podem variar dependendo de onde vivem e da idade da pessoa.

O problema surge quando as bactérias, que não necessariamente são patogênicas inicialmente, colonizam sistemas internos que não se beneficiam da sua presença. É o caso, por exemplo, da pneumonia bacteriana que explicaremos abaixo.

Bactérias nos pulmões
O corpo tem colônias de bactérias que são benéficas para a sua saúde. No entanto, quando elas estão presentes em órgãos como os pulmões, podem causar sérios problemas.

Existem bactérias nos pulmões?

Com tudo o que foi dito até agora, você pode ter chegado à mesma conclusão que nós: pode haver bactérias nos pulmões, mas isso não é normal. Como qualquer superfície em contato com o exterior, áreas como a cavidade nasal, nasofaringe e laringe têm uma comunidade bacteriana inofensiva para os seres humanos.

Quando esses microrganismos ocorrem no trato respiratório interno, é apresentado um quadro clínico de pneumonia. Esse tipo de condição pode ocorrer em qualquer pessoa, independentemente da idade ou sexo, embora vários estudos estatísticos enfatizem que é mais comum em recém-nascidos.

Os pacientes com HIV também têm um risco especial para essa condição, pois eles são cinco vezes mais propensos a desenvolver pneumonia bacteriana do que uma pessoa HIV-negativa.

Por que ocorre a pneumonia bacteriana?

A pneumonia bacteriana costuma ser causada por bactérias da espécie Streptococcus pneumoniae. Dados publicados na Integral Pediatrics mostram que 40% dos casos ocorrem por esse microrganismo. No entanto, também pode surgir diante da colonização de outros microrganismos, tais como:

  • Haemophilus influenzae.
  • Klebsiella pneumoniae.
  • Escherichia coli.
  • Pseudomonas aeruginosa.
  • Moraxella catarrhalis.

As bactérias atingem o trato respiratório por inalação, mas também podem acabar nele através do sangue se uma infecção se espalhar o suficiente para outra área do corpo. É quando o sistema imunológico envia glóbulos brancos para eliminar os patógenos.

Os neutrófilos cercam as bactérias com suas membranas e liberam citocinas, o que promove um quadro clínico típico em infecções bacterianas. Tudo isso pode ser resumido por inflamação nos alvéolos e falta de ar.

Sintomas de bactérias nos pulmões

Dependendo da gravidade do quadro clínico e do microrganismo causal, os sintomas podem variar. Ainda assim, há alguns sinais que são considerados gerais, como os seguintes:

  • Dor no peito ao respirar e tossir.
  • Desorientação.
  • Febre.
  • Tosse produtiva com escarro purulento.
  • Náuseas, vômitos e diarreia.
Mulher fazendo inalação
A presença de bactérias nos pulmões pode causar complicações respiratórias.

Como a pneumonia bacteriana é diagnosticada?

De acordo com informações do Pan American Journal of Public Health, a imagem radiológica da consolidação alveolar é aceita como critério confirmatório de pneumonia supostamente bacteriana. Em pacientes afetados, geralmente é observada uma opacidade no tecido pulmonar, mas isso não é verdade em todos os casos.

Em casos de suspeita, culturas das expectorações do paciente podem ser feitas para confirmar a presença de bactérias.

Qual é o tratamento?

Como em todos os casos de infecções bacterianas, os antibióticos serão os medicamentos escolhidos. Seu médico, depois de determinar se as bactérias são gram-positivas ou gram-negativas, pode sugerir o uso de vários medicamentos, como amoxicilina, cefalosporina ou doxiciclina.

Como existem tratamentos variados, é necessário estabelecer o gênero exato dos microrganismos causadores da doença. Com esta informação, é possível escolher as opções terapêuticas mais eficazes para cada caso.

Talvez você esteja interessado: Como o sistema imunológico trata infecções virais

O que devemos lembrar sobre a presença de bactérias nos pulmões?

Por mais estranho que possa parecer, de acordo com a Associação Americana de Pulmões, há uma vacina contra a pneumonia causada por Streptococcus pneumoniae, o patógeno mais prevalente.

Ela é recomendada para bebês com menos de dois anos de idade e para adultos com mais de 65 anos, pois são grupos típicos vulneráveis. Além disso, ao contraí-la em outra faixa etária, o prognóstico é positivo se o tratamento for iniciado com rapidez.

As bactérias são microrganismos essenciais porque fornecem proteção contra patógenos em muitos dos sistemas do corpo. No entanto, seu descontrole pode causar problemas de saúde.

Portanto, em caso de suspeita de infecção bacteriana, é essencial ir ao médico imediatamente. Com o tratamento certo, as chances de superação da doença são bastante altas.

Pode interessar a você...
O que é pneumonia atípica?
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
O que é pneumonia atípica?

A pneumonia atípica é uma infecção pulmonar causada por vírus ou bactérias menos comuns. Geralmente ocorre entre o outono e o inverno.



  • Jandhyala, S. M., Talukdar, R., Subramanyam, C., Vuyyuru, H., Sasikala, M., & Reddy, D. N. (2015). Role of the normal gut microbiota. World journal of gastroenterology: WJG21(29), 8787.
  • Miranda-Candelario, J. F., Espino-Huamán, J. E., Miranda-Cabrera, B. F., Cabrera-Hipólito, S. E., & Rivas-Rojas, R. (2015). Utilidad de la escala de predicción diagnóstica de neumonía bacteriana de Moreno en el manejo de la neumonía en niños. Acta Médica Peruana32(3), 157-163.
  • García Castellanos, T., Verdasquera Corcho, D., PérezÁvila, J., Martínez Mota, I., Salazar Rodríguez, D., & Pérez Monrás, M. (2010). Neumonía bacteriana en pacientes VIH/SIDA. Revista Cubana de Investigaciones Biomédicas29(4), 428-436.
  • Neumonía bacteriana, wikipedia. Recogido en https://es.wikipedia.org/wiki/Neumon%C3%ADa_bacteriana.
  • Borrell, L. S., & Segura, C. (2016). Neumonía y neumonía recurrente. Pediatrá integral20(1), 38-42.
  • López, A. (2006). Patología del sistema respiratorio. Slano, Canadá: Atlantic Veterinary College University of Prince Edward, 18.
  • Hakansson AP, Orihuela CJ, Bogaert D. Bacterial-Host Interactions: Physiology and Pathophysiology of Respiratory Infection. Physiol Rev. 2018;98(2):781-811. doi:10.1152/physrev.00040.2016
  • Lagos, R., Di Fabio, J. L., Moënne, K., Muñoz, A., Wasserman, S., & Quadros, C. D. (2003). El uso de la radiografía de tórax para la vigilancia de neumonías bacterianas en niños latinoamericanos. Revista Panamericana de Salud Pública13, 294-302.
  • Neumonía bacteriana, lungusa.org. Recogido en https://web.archive.org/web/20080430043435/http://www.lungusa.org/site/pp.asp?c=dvLUK9O0E&b=36870#two
  • Pragman AA, Berger JP, Williams BJ. Understanding persistent bacterial lung infections: clinical implications informed by the biology of the microbiota and biofilms. Clin Pulm Med. 2016;23(2):57-66. doi:10.1097/CPM.0000000000000108