Como aumentar os glóbulos vermelhos no sangue

· 5 de abril de 2018
Os glóbulos vermelhos são responsáveis ​​pelo transporte de sangue rico em oxigênio para todo o corpo, por isso é importante para a nossa saúde mantê-los em níveis ótimos. A seguir falamos sobre como podemos aumentar os glóbulos vermelhos naturalmente.

Os glóbulos vermelhos têm uma função muito importante para o nosso corpo: transportar sangue rico em oxigênio para todo o organismo. Portanto, é essencial mantê-los em níveis ótimos. Neste artigo, mostraremos como aumentar os glóbulos vermelhos no sangue de forma natural.

O que são os glóbulos vermelhos?

Os médicos chamam-nos de “eritrócitos” e são as células mais numerosas do sangue. Além disso, o principal componente é a hemoglobina, assim como obtêm energia metabólica através da fermentação lática.

Em adultos há entre 4.500.000 a 5.400.000 glóbulos vermelhos. Ademais, a deficiência no número de eritrócitos é chamada de anemia e o excesso de policitemia.

Alguns fatos interessantes sobre o sangue:

  • Os glóbulos vermelhos vivem aproximadamente 100 a 120 dias. Após esse tempo, a medula óssea produz outro “grupo” de eritrócitos.
  • Cada molécula de hemoglobina possui 4 átomos de ferro que se ligam às moléculas de oxigênio.
  • Cada eritrócito tem 33% de hemoglobina.
  • Os valores normais de hemoglobina são 14 g/dl em mulheres e 15,5 g/dl em homens.
  • Os glóbulos vermelhos eliminam o dióxido de carbono.

Como aumentar os glóbulos vermelhos

Alguns dos sintomas de anemia ou eritrócitos baixos são apatia e fraqueza. A falta de ferro é a causa mais comum de uma menor quantidade de glóbulos vermelhos. Por isso, para aumentar os glóbulos vermelhos no sangue, recomenda-se fazer algumas mudanças na dieta e nos hábitos diários:

1. Coma alimentos ricos em ferro

Oleaginosas para aumentar os glóbulos vermelhos

Em suma, isso permitirá que o corpo reconstrua e substitua os nutrientes perdidos. O ferro aumenta os glóbulos vermelhos, bem como permite que eles funcionem melhor, pois é um componente essencial da hemoglobina. Os alimentos mais ricos em ferro são:

  • Leguminosas (lentilha, feijão)
  • Vegetais (espinafre, couve)
  • Frutas secas (ameixas e uvas passas)
  • Carne (fígado)
  • Gemas de ovo

2. Coma alimentos ricos em cobre

Os adultos precisam de 8 a 18 mg desse mineral todos os dias. Além disso, as mulheres precisam de mais do que os homens durante o estágio fértil, pois perdem cobre durante a menstruação.

Aliás, é um nutriente essencial para que as células tenham acesso ao ferro. Os alimentos que mais contribuem são:

  • Nozes
  • Feijão
  • Cereja
  • Fígado
  • Aves
  • Chocolate

3. Obtenha mais ácido fólico

Espinafre para aumentar os glóbulos vermelhos

A vitamina B9 ajuda na produção normal de glóbulos vermelhos. Se não possuímos ácido fólico suficiente, podemos sofrer de anemia. Além disso, desempenha um papel essencial no funcionamento do DNA.

Cerca de 400 mcg são recomendados para mulheres em estágio fértil e 600 mcg quando estão grávidas. Onde obter ácido fólico, por exemplo?

  • Cereais integrais
  • Vegetais de folhas verdes (espinafre, acelga)
  • Feijão
  • Oleaginosas

4. Ingira mais vitamina A

Também chamada de retinol, é um composto muito importante para o desenvolvimento de células-tronco de glóbulos vermelhos na medula óssea.

Em síntese, garante o processamento de hemoglobina, permitindo a produção de ferro. Entre os alimentos que mais contribuem com a vitamina A estão:

  • Cenouras
  • Abobrinha
  • Vegetais de folhas verdes
  • Pimentão
  • Ameixa
  • Toranja
  • Melancia

5. Aumente a quantidade de vitamina C

Vitamina C para aumentar os glóbulos vermelhos

Este nutriente tem muitas propriedades como, por exemplo, o fortalecimento do sistema imunológico e a prevenção de doenças virais no inverno. No entanto, a vitamina C também estimula a capacidade do corpo de absorver ferro e, consequentemente, aumentar os glóbulos vermelhos. 

Ainda, os cítricos são os alimentos que mais contribuem com vitamina C.

6. Consuma vitamina B12

Uma boa quantidade deste nutriente favorece a produção de eritrócitos na medula óssea e aumenta sua presença no sangue. Portanto, para obter vitamina B12, recomendamos que consumir estes alimentos:

  • Carne de vitela
  • Ovos
  • Peixe azul (salmão, sardinha)
  • Laticínios (leite, iogurte e queijo, melhor se forem desnatados)
  • Soja (em qualquer apresentação)
  • Levedura de cerveja
  • Gérmen de trigo
  • Cogumelos

Saiba mais: Vitamina B: sintomas e remédios para o déficit

7. Faça exercícios

Exercícios com bola para aumentar os glóbulos vermelhos

O estilo de vida sedentário tem muitos efeitos negativos sobre a nossa saúde. Entre eles, aumenta o risco de obesidade e problemas circulatórios.

Além disso, também pode aumentar a retenção de líquidos e a dor muscular. Por fim, não só reduz o número de glóbulos vermelhos, como também não permite a criação de novos.

O exercício é essencial para ter uma saúde “de ferro” e evitar muitas doenças. Por isso, são recomendadas rotinas que incluam pelo menos alguns minutos de cardio (corrida, caminhada intensa, ciclismo, etc.) porque favorecem a oxigenação geral do corpo.

8. Não fume

É um dos piores hábitos que existem, tendo em conta que a nicotina e outros componentes químicos presentes no cigarro reduzem o oxigênio e não permitem o fluxo sanguíneo adequado.

Além disso, fumar “estreita” os vasos sanguíneos e dificulta o trabalho dos glóbulos vermelhos.

9. Não beba álcool

Não beber álcool para aumentar os glóbulos vermelhos

Outro hábito prejudicial à nossa saúde e que tem um impacto negativo no número de eritrócitos. As bebidas alcoólicas convertem o sangue em um líquido mais espesso e lento, com menos oxigênio, que não consegue ser transportado corretamente.

Além disso, o álcool produz glóbulos vermelhos imaturos sem hemoglobina suficiente.

Leia também: Efeitos nocivos do álcool no organismo

10. Faça exames de sangue

Ademais, faça exames de sangue completos pelo menos uma vez por ano. Com eles, é possível analisar as condições gerais e os níveis não apenas de glóbulos vermelhos, mas também de colesterol, ferro, ureia, creatinina, glicose, etc.

Por isso, é muito importante investigar dados que não estão dentro dos limites normais.

Por fim, o médico examinará as informações do exame de sangue e indicará quais tratamentos ou medicamentos são necessários.

  • Pereira, R. (2006). Importância Alimentar das Vitaminas. Biblioteca de Artigos, Ornitofilia. Ornicare.
  • Faustino, P. (2015). A genética dos distúrbios na absorção do ferro proveniente da alimentação: o excesso e o défice. Aula no âmbito do Mestrado em Biologia Humana e Ambiente, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, 25 março 2015.