Melhor Com Saúde
 

Aneurisma da aorta abdominal: sintomas e tratamento

O aneurisma da aorta abdominal é uma condição grave quando acompanhado de ruptura das paredes arteriais. Se detectado precocemente, é possível iniciar um monitoramento rigoroso para minimizar o risco.

Aneurisma da aorta abdominal: sintomas e tratamento

Última atualização: 10 Dezembro, 2020

O aneurisma da aorta abdominal é uma dilatação anormal e persistente deste vaso sanguíneo. É uma patologia que pode afetar qualquer pessoa e causar sérias complicações.

As pessoas mais velhas são um grupo de risco para o aneurisma da aorta abdominal, porque as suas paredes arteriais são mais frouxas e elásticas. No entanto, houve casos em jovens que estão associados a um problema genético ou patologias secundárias que levam ao problema.

O que é o aneurisma da aorta abdominal?

A artéria aorta é a maior do corpo humano. Começa na parte esquerda do coração e é responsável pelo transporte de sangue por todo o corpo.

O que chamamos de aorta abdominal é apenas a parte desta artéria que cruza o abdômen, logo à frente da coluna. Ela vai do músculo diafragma até a altura da quarta vértebra lombar.

Um aneurisma é uma área da artéria que se dilata. Isso significa que as paredes do vaso sanguíneo ficam dilatadas e enfraquecidas, com um risco aumentado de ruptura. Como neste caso estamos nos referindo ao vaso sanguíneo de maior calibre de todo o corpo, ou seja, aquele que carrega mais sangue e mais pressão, o risco de ruptura é um grande motivo de preocupação para as pessoas que o apresentam.

Saúde circulatória
A aorta é a artéria mais volumosa do corpo humano, e suas doenças podem colocar a vida em risco.

Você pode estar interessado: Os efeitos do álcool no coração

Fatores de risco para o aneurisma da aorta abdominal

Embora possa se desenvolver em qualquer pessoa, existem certos traços ou hábitos que predispõem ao aneurisma da aorta abdominal. Da mesma forma, há fatores de risco que, em pacientes com a condição, aumentam o risco de ruptura. Alguns deles são os seguintes:

  • Sexo masculino. Os homens são quatro vezes mais propensos a desenvolver um aneurisma do que as mulheres.
  • Histórico familiar de aneurisma. Há certos fatores genéticos envolvidos na herança da patologia.
  • Fumo. O tabaco tem muitos efeitos prejudiciais no corpo. Entre eles, os tóxicos ingeridos ao fumar fazem com que as paredes dos vasos sanguíneos fiquem mais rígidas e mais fracas. Isso aumenta o risco de ruptura em caso de aneurisma.
  • Colesterol alto e aterosclerose. Assim como o tabaco, ambos os fatores danificam as paredes arteriais, tornando-as mais suscetíveis ao rompimento.
  • Pressão alta. Na hipertensão, o sangue circula com mais pressão dentro das artérias. Esta pressão é transmitida diretamente para as paredes dos vasos, forçando-os a serem mais resistentes.

Você pode estar interessado: 6 alimentos proibidos para pessoas hipertensas

Quais sintomas isso causa?

Em geral, o aneurisma da aorta abdominal se desenvolve lentamente ao longo do tempo. Casos agudos desde o início são muito raros. O que é uma emergência é a ruptura da parede do aneurisma, que pode ser o início e a descoberta da doença.

Durante o desenvolvimento lento, não há sintomas. Quando há uma ruptura, que pode ser pequena, há sintomas que aparecerão e se intensificarão gradualmente. Em alguns casos, uma ruptura maior agrava o quadro clínico abruptamente. Os sintomas em caso de ruptura incluem:

  • Queda na pressão sanguínea.
  • Tontura ou desmaio.
  • Suor com uma sensação de frio.
  • Falta de ar e ritmo cardíaco acelerado.

Mulher com dor no abdômen
A dor no abdômen, em casos de aneurisma da aorta rompida, é aguda e poderosa.

Diagnóstico e tratamento do aneurisma da aorta abdominal

Se o aneurisma não se romper, geralmente ele é detectado acidentalmente em um teste de imagem realizado por outra razão. Pode ser um ultrassom, tomografia ou raio-X.

Uma vez diagnosticado, o tratamento evitará a ruptura e dependerá do tamanho do aneurisma. Algumas medidas incluem o controle rigoroso da pressão arterial, parar de fumar e regular os níveis de colesterol no sangue.

Caso o aneurisma seja de grande porte, maior que 5 centímetros quando diagnosticado, esteja crescendo muito rápido, ou se houver muitos fatores que envolvem risco de ruptura, a melhor opção é tratá-lo cirurgicamente. Se o aneurisma for diagnosticado uma vez rompido, uma cirurgia de emergência será necessária.

O risco é o rompimento

O aneurisma da aorta abdominal é uma patologia que apresenta uma frequência significativa. Se diagnosticado precocemente, o controle preventivo e o tratamento costumam evitar complicações.

No entanto, caso a artéria se rompa, será necessário um diagnóstico rápido e cirurgia de emergência para evitar uma situação fatal. Controlar a pressão arterial, reduzir os níveis de colesterol e evitar o tabagismo será fundamental para evitar a ruptura.

7 dicas para prevenir um aneurisma

7 dicas para prevenir um aneurisma

Um aneurisma é uma protuberância formada em um vaso sanguíneo. Pode aparecer tanto no cérebro quanto no coração ou no abdômen.



  • Belloch García SL. Abdominal aortic aneurysm. Prevalence and associated risk factors in a population of patients hospitalised in Internal Medicine. Rev Clin Esp. 2018 Dec 1;218(9):455–60.
  • Izquierdo González R, Dorrego García RM, Rodríguez Ledo P, Segura Heras JV. Screening based on risk factors for abdominal aortic aneurysm in the cardiology clinic. Int J Cardiol. 2019 Mar 15;279:162–7.
  • Gentille-Lorente DI, Salvadó-Usach T. Screening for Abdominal Aortic Aneurysm by Means of Transthoracic Echocardiography. Rev Española Cardiol (English Ed. 2011 May 1;64(5):395–400.
  • Riambau V, Guerrero F, Montañá X, Gilabert R. Abdominal aortic aneurysm and renovascular disease. Vol. 60, Revista Espanola de Cardiologia. Ediciones Doyma, S.L.; 2007. p. 639–54.
  • Maceira-Rozas, M. C., and G. Atienza-Merino. “Cribado de aneurisma de aorta abdominal en población de riesgo: revisión sistemática.” Angiología 60.3 (2008): 165-176.
  • Soria, J. M., et al. “Métodos de estudio de las enfermedades complejas: aneurismas de la aorta abdominal.” Angiología 62.2 (2010): 58-64.
  • Canaud, L., and P. Alric. “Cirugía de los aneurismas de la aorta torácica y toracoabdominal.” EMC-Cirugía General 20.1 (2020): 1-22.