O maltitol é um adoçante seguro?

Para substituir o açúcar, as indústrias recorrem ao uso de adoçantes artificiais como o maltitol. No entanto, quais são as consequências do seu consumo? Descubra a seguir.
O maltitol é um adoçante seguro?

Última atualização: 04 Agosto, 2021

Atualmente, a indústria de alimentos usa diferentes ingredientes para adoçar em substituição ao açúcar. Entre eles, um dos mais conhecidos é o maltitol, nutriente cuja fórmula química representa um álcool de açúcar. Embora seja um adoçante encontrado naturalmente em algumas frutas e vegetais, também é produzido artificialmente.

Ele está presente em muitos alimentos comumente consumidos atualmente, como chocolates e doces. No entanto, há quem se pergunte se o seu consumo é seguro. Para resolver esta questão, detalhamos a seguir suas principais vantagens e desvantagens.

Em quais produtos o maltitol é usado?

Na tentativa de obter produtos doces e, por sua vez, com teor reduzido de açúcar, a indústria alimentícia utiliza diversos adoçantes, como o maltitol. Ele pode estar presente em produtos de uso diário ou de consumo regular. Alguns exemplos de alimentos em que ele é usado são os seguintes:

  • Produtos de padaria.
  • Chicletes.
  • Sorvetes.
  • Guloseimas e doces.
  • Sobremesas lácteas.
  • Enxaguantes bucais e cremes dentais.
Em quais produtos o maltitol é usado?
O maltitol está presente nos mais diversos produtos alimentícios. Embora seja utilizado em menor quantidade que o açúcar, seu consumo deve ser moderado.

É seguro consumir maltitol? Benefícios e vantagens

O maltitol também é conhecido como ‘poliol’. Suas vantagens são as seguintes:

Adoça mais do que açúcar

Seu poder adoçante é semelhante ao da sacarose, mas ele não é completamente metabolizado no corpo. Portanto, em teoria, forneceria um valor calórico inferior. Por isso surgiu a ideia de que ele poderia ajudar na perda de peso.

Um estudo publicado na Gastroenterology Magazine concluiu que a absorção do maltitol é quase completa; portanto, a diferença entre a sua ingestão calórica e a de açúcar é mínima.

No entanto, devido ao seu potencial para adoçar, a quantidade de maltitol usada é menor do que a de açúcar. Nesse sentido, pode-se determinar que existe uma diferença no total de calorias.

Sabor

Outra vantagem é que o maltitol não tem o sabor desagradável típico que outros substitutos do açúcar costumam ter. Por isso, é facilmente aceito por quem consome produtos que o contenham.

Não causa cáries

A cárie dentária é uma das preocupações com os açúcares e adoçantes tradicionais. No entanto, este ingrediente não as causa. Isso ocorre porque ele não é um substrato que as bactérias na boca podem atacar, como o açúcar. Por esse motivo, o maltitol é usado como ingrediente em enxaguantes bucais e cremes dentais.

Gera uma resposta glicêmica controlada

O açúcar é um produto capaz de provocar alterações nos níveis de insulina, pois eleva rapidamente a glicemia. No entanto, este adoçante não produz essas alterações abruptas. Assim, o uso desse ingrediente pode contribuir para a prevenção da diabetes tipo 2.

Ressalta-se que isso não significa que ele possa ser consumido à vontade, visto que ainda é um produto presente em doces e itens de panificação. Estes últimos contêm gorduras e outros componentes que também são prejudiciais.

Evita o acúmulo de gordura no fígado

Uma consequência do excesso de sacarose é que ele pode causar esteatose hepática. Na verdade, isso acontece porque a glicose que não pode mais ser armazenada se transforma em gordura, o que é um risco à saúde. Felizmente, esse adoçante não tem esse efeito.

Possíveis riscos e contraindicações do maltitol

Existem alguns aspectos a serem considerados se o maltitol for consumido em quantidades excessivas. Vamos ver mais detalhes abaixo.

Pode causar distúrbios gastrointestinais

Depois de consumir maltitol, algumas pessoas podem sentir distúrbios gastrointestinais como dores de estômago e náuseas. Isso ocorre porque, em grandes doses, ele tem um efeito laxante. Tampouco deve ser ingerido por pessoas com cólon irritável ou inflamação, já que o organismo não se adapta a ele.

De qualquer forma, é importante mencionar que as doses que tendem a gerar esses sintomas variam entre 30 e 40 gramas por dia, o que costuma ser difícil de ingerir.

Possíveis riscos e contraindicações do maltitol
O maltitol tem um efeito laxante. Portanto, pode causar desconforto digestivo se for consumido em excesso.

O maltitol não é recomendado para pessoas com diabetes

O consumo pontual e moderado de maltitol contribui para a prevenção da diabetes tipo 2, substituindo a sacarose. Apesar disso, seu consumo não é recomendado por pessoas que já sofrem desta doença. A razão? Produtos que contêm este adoçante tendem a alterar o índice glicêmico devido à sua composição.

Outras alternativas ao açúcar

Existem diferentes alternativas ao açúcar que o mercado usa para adoçar seus produtos. No entanto, como tudo, cada um tem seus prós e contras. Alguns exemplos são os seguintes.

Stevia

A estévia é uma planta nativa da América do Sul usada há séculos. Não há nada mais natural e saudável do que usar essas folhas para adoçar. No entanto, seu uso pode ser complicado.

Elas podem ser adicionadas às infusões e, após 5 minutos, podem ser removidas. No entanto, para usá-las na confeitaria, por exemplo, primeiro você tem que fazer com que liberem sua doçura em água quente, e depois usar esse líquido como adoçante.

Existem também adoçantes líquidos fabricados pela indústria, mas às vezes eles têm misturas de ingredientes e não são 100% naturais. Para ter certeza, você deve verificar a lista de ingredientes.

Xilitol

Este é outro álcool de açúcar encontrado em frutas e vegetais. Hoje, sua principal produção vem do milho. Quanto ao sabor, é semelhante ao açúcar e sua ingestão calórica é semelhante à do maltitol.

É seguro consumir maltitol?

É importante notar que este adoçante é usado em produtos doces para substituir o açúcar. Apesar do fato do seu teor calórico ser inferior ao desse ingrediente, isso não significa que possa ser consumido à vontade.

Não se esqueça de que uma alimentação saudável e equilibrada é baseada em alimentos frescos e naturais. Portanto, não é aconselhável o consumo regular de chocolates, doces e sobremesas somente porque possuem menos calorias devido à presença de um adoçante.

Por fim, quanto à questão da segurança de consumir maltitol, a resposta é que sim, ele é seguro, mas em quantidades moderadas. Mesmo assim, o ideal é adoçar com ingredientes como estévia ou frutas maduras, já que os adoçantes artificiais podem afetar a saúde intestinal e causar complicações.

Pode interessar a você...
Adoçantes contra a obesidade: mito ou realidade?
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Adoçantes contra a obesidade: mito ou realidade?

Tradicionalmente, os adoçantes são considerados uma opção benéfica no controle da obesidade. Mas até que ponto isso é verdade?



  • Beaugerie, L., Flourié, B., Marteau, P., Pellier, P., Franchisseur, C., & Rambaud, J. C. (1990). Digestion and absorption in the human intestine of three sugar alcohols. Gastroenterology99(3), 717-723.
  • Ruskone-Fourmestraux, A., Attar, A., Chassard, D., Coffin, B., Bornet, F., & Bouhnik, Y. (2003). A digestive tolerance study of maltitol after occasional and regular consumption in healthy humans. European journal of clinical nutrition57(1), 26-30.
  • Grez, C., Vega, Á., & Araya, M. (2019). Consumo de mono, di, oligo sacáridos y polioles fermentables (FODMAPs), una nueva fuente de sintomatología gastrointestinal. Revista médica de Chile147(9), 1167-1175.
  • Durán, S., Cordón, K., & Rodríguez, M. D. P. (2013). Edulcorantes no nutritivos, riesgos, apetito y ganancia de peso. Revista chilena de nutrición40(3), 309-314.