A inteligência da criança não depende de suas notas

29 de outubro de 2019
Embora todos os pais fiquem impressionados com as boas notas, você deve saber que a inteligência do seu filho não é medida por um exame.

Sabemos que a inteligência da criança não depende de suas notas, entretanto… como impressionamos os pais com as notas! Um “excelente” nos enche de orgulho, um reprovado nos desaponta, como se essa nota definisse quem é nosso filho e quais são suas habilidades.

As notas escolares são uma maneira de medir o conhecimento. No entanto, elas não refletem o esforço e a dedicação que a criança investiu no processo de aprendizagem. Por outro lado, não mostram se a criança aprendeu algo de forma consistente.

Uma criança com boa memória pode obter boas notas. Uma criança com uma inteligência diferente da que está sendo avaliada pode falhar e reprovar. No entanto, no assunto relacionado ao seu tipo de inteligência, certamente será bem-sucedido.

A inteligência da criança

As notas não medem a inteligência da criança

Segundo o psicólogo e pesquisador Howard Gardner, em cada pessoa existem oito tipos de inteligências ou habilidades cognitivas. Aliás, essa teoria das inteligências múltiplas é reconhecida em muitos campos educacionais.

De acordo com a abordagem deste professor americano, não existe uma inteligência humana única. Existe uma diversidade de inteligências, que marcam o potencial, os pontos fortes e fracos que cada indivíduo possui e que portanto, marcarão seu desempenho em diferentes cenários.

Essa teoria das inteligências múltiplas permite avaliar, entender e estimular o potencial de cada criança, além do que um índice de quociente intelectual (QI) pode medir. Seu filho tem todos esses tipos de inteligência, só que alguns são mais preponderantes que outros.

A inteligência da criança para a matemática pode ajudá-lo a ter bons resultados. No entanto, não será o mesmo se a inteligência para linguística ou esportes for mais fraca. Tudo isso destaca a verdade de que as notas não representam a inteligência da criança.

Primeiro dia de aulas? Então leia: Não cometa esses erros quando seu filho começar a escola

Os tipos de inteligência

Inteligência linguística

As crianças com esse tipo de inteligência aprendem a escrever, ler, contar histórias ou fazer palavras cruzadas com facilidade. Sua linguagem oral é tão boa quanto a escrita. Têm facilidade para aprender idiomas.

Inteligência lógico-matemática

As crianças resolvem facilmente problemas aritméticos, problemas de lógica matemática, jogos de estratégia e experimentos. Aqueles com esse tipo de inteligência acham muito fácil resolver os testes do quociente intelectual.

Inteligência visual-espacial

As crianças que preferem dedicar seu tempo livre ao desenho, gostam de resolver quebra-cabeças ou desfrutam construindo jogos, têm esse tipo de inteligência. Pensam em imagens e desenhos.

Inteligência musical

São crianças que gostam, aprendem e apreciam a música e canções. Identificam facilmente os sons. Possuem facilidade para aprender a tocar um instrumento musical.

Inteligência corporal cinestésica

São crianças com uma capacidade notável de realizar atividades que exigem força, velocidade, flexibilidade, equilíbrio e coordenação entre os olhos e as mãos. Unem a mente ao corpo para obter o melhor desempenho físico.

Inteligência naturalista

São crianças que pensam instintivamente e são grandes observadoras. Essa inteligência está ligada a sentimentos em relação à natureza, animais e pessoas. Possuem a capacidade de criar com materiais naturais.

Inteligência interpessoal

Também conhecida como inteligência social. São crianças que se comunicam bem e são líderes em seus grupos. Entendem bem os sentimentos dos outros e possuem facilidade para os relacionamentos interpessoais.

Inteligência intrapessoal

Está relacionada à capacidade da criança de conhecer a si mesma: suas emoções, reações e seu mundo interior. É o que outros especialistas chamam de inteligência emocional. São capazes de nomear suas emoções, interpretar e orientar seu próprio comportamento.

A inteligência da criança X notas baixas

Os pais e a escolaridade dos filhos

Quando seu filho chega com o boletim, é normal que você se preocupe com notas baixas. Entretanto, antes de repreender e punir, dedique um certo tempo, atenção e muito amor para ajudar seu filho a superar as dificuldades, descobrir seus talentos e estimulá-los. Para fazer isso, deixamos as seguintes recomendações:

  • Cada criança tem seu próprio ritmo evolutivo e de aprendizado, portanto, respeite esse ritmo, para que a motivação para a aprendizagem não seja afetada.
  • Os resultados escolares das crianças não dependem exclusivamente de professores ou outros profissionais que trabalham na escola. O apoio fornecido em casa é essencial.
  • Evite rotular seu filho quando ele tirar notas baixas. “Você é bobo”, “você não sabe“, “você não entende” são expressões que incomodam as crianças e portanto, não servem para melhorar a situação.
  • Procure informações para entender como está o processo de aprendizado, mas valorize o esforço antes que o resultado.
  • Trabalhe a motivação e a confiança da criança em si mesma. A inteligência da criança tem um alto componente emocional, portanto, você precisa alimentá-la.
  • Organize os dias de estudos de seu filho: que não faltem minutos para descanso e para as brincadeiras.
  • Quando se esforçar e obtiver melhores resultados, recompense seu filho com elogios, abraços e gestos que expressam sua satisfação e seu amor.

Leia este artigo: Como motivar crianças que estão em fase escolar

Reflexão final

Embora a teoria das inteligências múltiplas seja aceita em vários centros educacionais, também há muitos que continuarão acreditando nas notas como forma de medir as habilidades de seu filho.

Se você não tiver a sorte de que seu filho estude nesses tipos de escolas, não se deixe levar por notas ruins. Nem pelas notas excelentes. As notas são avaliações momentâneas, mas não levam em consideração a inteligência da criança ou o processo de aprendizado.

O papel dos pais é ajudar os filhos a superar dificuldades e fortalecer seus pontos fortes. Portanto, além do fato de a escola não ter a visão de ver as capacidades de outras maneiras, há muito que pode ser alcançado em casa. Sendo assim, se você o estimular e reforçar, receberá tudo o que se propuser.