7 melhores materiais para os tapetes da sua casa

Os tapetes podem dar aquele toque especial aos seus ambientes caso sinta que falta algo. De diferentes materiais e estilos, vale a pena incorporar um em seus espaços.
7 melhores materiais para os tapetes da sua casa

Última atualização: 27 maio, 2022

Atualmente, há cada vez menos ambientes totalmente acarpetados, uma vez que a madeira e os mosaicos aos poucos suplantaram os tapetes. No entanto, eles ainda são usados para algumas partes da casa. É por isso que queremos compartilhar com você quais são os melhores materiais para tapetes.

Propostas para escolher os melhores materiais para tapetes

Existe uma grande variedade de materiais para fazer tapetes e cada um deles tem seus prós e contras. Pelos altos ou curtos, fibras naturais ou sintéticas, é fácil ficar confuso e duvidar de qual escolher. Talvez saber um pouco mais sobre sua composição o ajude a decidir sobre um ou outro.

1. Tapetes de algodão

Feitos de fibras naturais, esses tipos de tapetes são ótimos para banheiros porque podem absorver a umidade com facilidade. Da mesma forma, o algodão é um tecido muito resistente à passagem e às altas temperaturas. Eles são muito fáceis de limpar porque você simplesmente os coloca na máquina de lavar.

Piso acarpetado.
Há cada vez menos espaços em casas com piso acarpetado, mas ainda há estilos de decoração que os utilizam.

2. Tapetes de lã

Sem dúvida, a lã é um dos melhores materiais para os tapetes da sua casa e o mais comum e tradicional. Isso porque tem muitas vantagens. Primeiro, é um notável isolante térmico e acústico, o que significa que você pode usá-lo sem problemas durante todo o ano.

Por outro lado, tendem a regular a umidade do ambiente e melhorar a qualidade do ar, além de evitar a proliferação de ácaros. São antibacterianos, antialérgicos e antiestáticos. Se você sofre de algum tipo de alergia, um tapete de lã não deve ser um problema. Por fim, são ideais para tráfego médio e alto, pois suas fibras recuperam rapidamente sua forma original.

3. Tapetes de sisal e juta

No caso do tapete de sisal, ele é feito com fibras vegetais resistentes ao tráfego intenso. Da mesma forma, são isolantes acústicos e térmicos e têm uma capacidade de absorção muito alta, por isso procure não colocá-los em áreas úmidas, como o jardim ou o banheiro. São perfeitos para halls, corredores e regiões com muito tráfego.

Quanto aos tapetes de juta, embora sejam semelhantes aos tapetes de sisal, são menos resistentes ao trânsito, pois suas fibras naturais são quebradiças e tendem a quebrar. Eles são um pouco mais macios e escuros do que os tapetes de sisal. Nossa recomendação é que você os coloque em áreas onde o tráfego é bastante baixo e seu uso for decorativo.

4. Tapetes de bambu

Este tipo de tapete é muito indicado para quem sofre de alergias porque não tem pelos e absorve o pó. Além disso, são resistentes.

Você pode colocá-los em salas com bastante tráfego residencial. Embora sejam fáceis de limpar, as manchas não são facilmente removidas.

5. Tapetes de nylon

Passamos agora aos tapetes sintéticos, cujos materiais passam por diferentes processos industriais para obter os fios que os vão compor. No caso do nylon ou da poliamida, são amplamente utilizados para cobrir grandes extensões que recebem alto tráfego.

6. Tapetes de polipropileno

Além de serem baratos, os de propileno são fáceis de limpar e duram bastante. Eles são perfeitos para áreas movimentadas e até mesmo ao ar livre, pois não absorvem água.

Devido ao tipo de material, vários designs podem ser encontrados. Esta é uma grande vantagem na hora de escolher um motivo que combine com a decoração da sua casa.

7. Tapetes acrílicos e vinílicos

Os tapetes de acrílico são muito semelhantes aos tapetes de lã, só que muito mais resistentes ao desgaste. Os de vinil também oferecem resistência, mas não são tão fofinhos.

Por isso, costumam ser usados para animais de estimação ou para a cozinha, na área da mesa, por exemplo. Outras vantagens são que são fáceis de limpar, repelem umidade e poeira.

Tapete em um quarto.
É preciso considerar o tráfego que o local onde será colocado o tapete terá. Isso determina se optamos por um material mais ou menos resistente.

Como escolher o tapete certo?

Como já analisamos, existem muitos tipos de tapetes e nem todos são adequados para todos os lugares. Aqui estão algumas dicas para ajudá-lo a escolher o melhor:

  • Se você for usá-los na sala, lembre-se de que todos os móveis devem estar no tapete. As poltronas, as mesas de apoio, as lâmpadas, etc.
  • Se o ambiente for pequeno, é melhor optar por um em tons pastéis e bastante simples, enquanto em espaços maiores você pode brincar com estampas coloridas.
  • Escolha tapetes retangulares ou quadrados para salas dessas formas e tapetes circulares para destacar uma determinada peça de mobiliário. Desta forma, você ganhará harmonia nos espaços.
  • Tapetes de pelo comprido ou de pelo curto? Os primeiros geram uma sensação de prazer ao andar descalço sobre eles, são muito confortáveis e convidam ao descanso. É por isso que eles são perfeitos para quartos. Os de pelo curto se encaixam bem em espaços de alto tráfego.
  • Para determinar a qualidade do tapete você tem que passar a mão sobre ele e, se você puder sentir sua base, então ele tem uma qualidade baixa-média. Pelo contrário, se você não consegue sentir a base, significa que ela tem uma construção melhor.

Os tapetes darão aos seus espaços um toque especial e uma personalidade única. Caso goste de um ambiente acolhedor, não hesite em colocar um de pelo comprido que seja macio o que convida a relaxar. Se a ideia é conseguir uma impressão elegante, então um de pelo curto em um determinado setor da sala é uma ótima ideia.

Pode interessar a você...
Como remover as manchas difíceis de tapetes
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Como remover as manchas difíceis de tapetes

Os tapetes podem facilmente manchar e arruinar todo o ambiente. Não se desespere! Com produtos naturais você pode remover as manchas difíceis de ta...



  • Burgos, L., & Montenegro Laverde, E. (1986). Instalación de vinilos y alfombras.
  • Lacaba, C. P. (2003). Alfombras españolas. In Textil e indumentaria [Recurso electrónico]: materias, técnicas y evolución: 31 de marzo al 3 de abril de 2003, Facultad de Geografía e Historia de la UCM(pp. 73-117). EL Grupo Español del IIC (International Institute for Conservation of Historic and Artistic Works).
  • Lancerio Echeverría, K. H. (2015). Manual de materiales acústicos en arquitectura(Doctoral dissertation, Universidad de San Carlos de Guatemala).
  • Pérez, R. G., & Correspondiente, C. A. DuRMIENDO CON Su ENEMIGO: ÁCAROS y ALERGIA. Sesión necrológica In Memoriam Ilmo. Sr. Dr. D. Tomás González, 10.
  • Barbaro, G. (2007). Transformación e industrialización del bambú. Barcelona, España: Arquitectura del paisaje. Obtenido de http://www. horticom. com/revistasonline/qej/bp155/08_15. pdf.
  • Zela Arévalo, N. G. (2016). Importación de alfombras de seda sintética con componente textil desde China.