5 chaves para acalmar a mente inquieta e encontrar a paz interior

· 7 de dezembro de 2016
Embora no começo possa ser complicado controlá-la, é possível aprender a administrar a mente inquieta e silenciar o ruído para que nossas emoções não nos dominem.

A mente inquieta não dá trégua nem descanso. Passamos de preocupação a preocupação, com medo e ansiedade. Pouco a pouco tecemos redes tão complexas em nosso cérebro que perdemos o maravilhoso privilégio chamado paz interior. No entanto, é possível que muitos confundam o conceito de mente inquieta com curiosidade e produtividade.

Embora seja verdade que essa energia interna, em algumas ocasiões, seja reflexo da vontade de aprender, na maioria das vezes, essa inquietude é, na realidade, ruído mental, confusão, cansaço e infelicidade. Costuma-se dizer que “não há inimigo pior do que aquele que criamos em nossa mente”.

A psicóloga Melanie Greenberg, da Califórnia, nos Estados Unidos, acredita que esses pensamentos não podem ser bloqueados e, portanto, devemos procurar estratégias para deixá-los para trás.

A seguir, propomos uma reflexão sobre o tema para que você possa encontrar a calma. É fácil de realizar, precisa apenas de um ingrediente essencial: vontade.

A mente inquieta e o oceano turbulento de nosso cérebro

Um dos livros mais conhecidos a respeito dessas situações tão complexas em que o ruído mental se mistura com a depressão, é o de Kay Jamison.

Esta psiquiatra da Universidade John Hopkins de Baltimore (Estados Unidos), explica seu caso particular neste interessante trabalho.

Desde criança, sempre fui propensa à instabilidade afetiva e emocional. A tristeza me acompanhou durante a adolescência e, ao começar minha vida profissional, caí em ciclos de medo, ansiedade, presa à mente inquieta que não me deixava viver.

“Uma mente inquieta”, Kay Jamison

Se você se sente identificado com estas linhas simples, não hesite considerar estas cinco dimensões que podem te servir de ajuda.

Chaves para encontrar a paz interior

Chaves para encontrar a paz interior

1. Retire pesos desnecessários

Você os carrega, mesmo que não os veja. Assim que você se der conta de todos os pesos que leva consigo, sua mente se sentirá melhor.

  • Você está rodeado de pessoas que, longe de acrescentar, roubam a sua energia.
  • É possível que você esteja priorizando aspectos que não sejam benéficos para si mesmo.
  • Entenda que “menos é sempre mais”.

Pode te interessar: As pessoas negativas te afetam? Aprenda a se defender!

2. Pare um instante e tome ar, silencie o ruído mental

O ontem já passou. O passado não pode ser modificado e o futuro ainda não existe. Dessa forma, concentre toda a sua atenção no aqui e agora, onde você se encontra neste exato instante.

Pare e tome ar. Inspire com força e segure por cinco segundos. Em seguida, expire de forma sonora. Este simples exercício, acredite ou não, liberta a sua mente, a oxigena e te permite entrar em calma. Quando o corpo se sente bem, é o momento de se conectar consigo mesmo.

Em seguida, pergunte-se com humildade o que você quer, o que busca, o que não quer, o que aspira conseguir.

Seria adequado praticar este exercício todos os dias, logo depois de se levantar.

Para encontrar a paz interior, pare um instante e tome ar, silencie o ruído mental

3. Construa muros protetores

A mente inquieta sofre porque é muito permeável e acaba deixando entrar as preocupações alheias, o egoísmo, os interesses de quem nos rodeia.

Quando esta energia negativa chega ao nosso interior, se mistura com nossas fraquezas pessoais. A combinação é temível.

É necessário erguer muros da seguinte forma:

  • Afaste-se de quem não está na mesma sintonia que você. Você não quer egoísmo, nem falsos interesses.
  • Crie muros para quem te traz tempestades em dias de calmaria.
  • Construa paredes para quem não te respeita. Os perdoe e os deixe ir.

Leia também: Como atrair energia positiva para a sua vida

4. O silêncio que repara

Uma vez por dia, pelo menos durante uma hora e meia ou duas horas, você precisa de um banho de silêncio absoluto.

Esses momentos de tranquilidade e paz interior nos permitem conectarmos com nossas necessidades para acalmar a mente inquieta. A mente nervosa que pula de buraco negro em buraco negro esquece de atender a si mesma. Já não sabe o quanto vale, ou o quão importante é.

Relaxe em meio ao silêncio e apague os medos e as vozes internas. Permita que as emoções surjam, como a satisfação, a paz interior e o equilíbrio entre a mente e o coração.

O silêncio repara e pode te ajudar a encontrar a paz interior

5. Cultive a gratidão

Esta dimensão é, sem dúvida, a mais complicada de realizar.

Relaxe e reflita sobre os seguintes aspectos:

  • Se você se sente mal por pessoas que não te querem bem, afaste-se. A solução pode ser simples, no entanto, requer coragem.
  • Se o que você sente agora é mal-estar, mude seu pensamento. Escolha não ficar assim: apague o que você sente e lembre-se do que você merece.
  • Agradeça pelas pequenas coisas que te envolvem e que, talvez, tenham ficado esquecidas.
  • Agradeça por estar bem fisicamente, por ter ao seu lado certas pessoas que você ama e que também te amam.
  • Aprenda a agradecer por cada novo dia. Porque são novas oportunidades que se abrem em seu horizonte para que você consiga aquilo que deseja.

Seja feliz, esteja em calma, em equilíbrio, em um estado de paz interior.

  • Calle, R. (2000). El libro de la serenidad. Espiritualidad. https://doi.org/10.1007/978-94-007-0872-3