4 conselhos para separar o lixo

· 7 de abril de 2019
Se queremos ver mudanças no planeta, nada melhor do que começarmos nós mesmos. A separação de resíduos para sua posterior reciclagem é uma tarefa fundamental para ajudar a ter um planeta mais limpo e cuidar dos recursos naturais.

No último tempo esteve muito em ênfase a importância de separar o lixo em casa. Muitas pessoas seguem à risca estas indicações; outros, em contrapartida, têm problemas para fazê-lo. A maioria alega falta de informação para não cumprir com esta obrigação. Por isso, te contamos tudo o que precisa saber sobre isso.

Entendemos por lixo todos aqueles elementos que já não usamos. Sua carência de valor econômico ou produtivo os torna prescindíveis, por isso se opta por jogá-los fora para que alguém se ocupe de seu tratamento.

Por sorte, as práticas como queimas de lixo estão ficando de lado devido a seus irremediáveis efeitos no meio ambiente. Progressivamente elas foram sendo substituídas por práticas mais amigáveis para o entorno, como a reciclagem.

O primeiro elo desta cadeia são os consumidores; ou seja, cada um de nós. Todos somos responsáveis por começar este processo de depuração de resíduos para seu posterior tratamento. Se deseja saber mais sobre como aplicar este processo em casa, este artigo te será de utilidade.

Por que é importante separar o lixo?

Além de ser uma obrigação para os residentes de muitas cidades do mundo como, por exemplo, Madrid e Buenos Aires, separar o lixo tem vários benefícios. Aqui te contamos alguns deles:

  • Economia de recursos renováveis e não renováveis: ambos os tipos são usados na produção industrial. Reciclar elementos de ambas as classes permite dar tempo à natureza para que os reponha, caso isso seja possível.
  • Menos emissão de gases: isso tem um impacto positivo no aquecimento global e nas mudanças climáticas. Se as empresas produzissem mais elementos reciclados, gastariam menos energia; esta se obtém majoritariamente queimando petróleo, carvão e gás.
  • Redução notável de custos: a economia é uma consequência direta da reciclagem. Aqui se incluem os gastos em insumos, água – um dado não menor – e combustíveis para o transporte.

Veja também: Ideias para aproveitar cadernos velhos

Conselhos para separar o lixo

Lixo reciclável

Como assinalam as páginas oficiais de diversos municípios e províncias, a separação de resíduos é uma tarefa indelegável dos cidadão. Porém, muitas vezes não se provê a informação necessária para que isso seja feito corretamente.

Em Madri, para citar um exemplo, o lixo é separado e recolhido de acordo com quatro categorias:

  • Papel e papelão: este tipo de envase de papelão, propaganda, jornais e revistas, etc.
  • Vidro: nesta categoria se incluem as garrafas, os frascos e potes.
  • Embalagens: aqui vão os resíduos de embalagens metálicas, de plástico e briks.
  • Restos de comida: nesta última classe vão os restos de alimentos e demais resíduos não incluídos nas categorias anteriores.

Por outro lado, também há muitas cidades que indicam aos seus habitantes distribuir o lixo em dois grandes grupos. Primeiro: os resíduos orgânicos ou úmidos, onde se incluem os restos de comida e de outros produtos; em contrapartida a eles, se encontram os produtos inorgânicos ou secos, que incluem toda classe de recipientes, envases e envoltórios, dentre outras coisas.

Agora, a realidade marca que muitas pessoas se recusam a ter três ou quatro cestos de resíduos em casa para separar os lixos como é indicado. Nestes casos é recomendável seguir os seguintes conselhos.

1. Em sua cozinha, o mais usado

Para não ter quatro lixeiras diferentes você pode colocar em sua cozinha duas: uma para resíduos orgânicos e outra para os inorgânicos. Assim poderá jogar fora restos de comida e envases com total praticidade.

2. Lixeiras alternativas

De mãos dados com o item anterior, você pode pôr uma lixeira no banheiro para os resíduos como papel higiênico, lenços, algodão, lenços descartáveis, toalhas sanitárias. Ainda, adicione outra no lavatório ou na varanda para garrafas de vidro.

3. Leve outros tipos de elementos a um ponto de reciclagem

Cestos para reciclar

Quase todas as cidades têm um lugar onde recebem outro tipo de elementos difíceis de rejeitar. Aqui podemos incluir:

  • Óleo de carros e de cozinha (armazenando-os em um frasco; nunca os jogue na pia). Ambos são altamente recuperáveis, por exemplo, para fazer biodiesel.
  • Baterias de carros, motos, computadores e celulares: todas contêm elementos contaminantes como o chumbo, o níquel e o cádmio.
  • Fluorescentes: estes incluem mercúrio tóxico, que deve ser tratado separadamente. Além disso, é possível extrair deles o mercúrio e o alumínio.
  • Medicamentos: algumas farmácias os aceitam. É obrigação que sejam rejeitados de forma controlada.
  • Pilhas: é um caso similar ao das baterias.
  • Radiografias: pode-se extrair prata das placas.
  • Pinturas, aerossóis, inseticidas, líquidos de freios, cartuchos de tinta: este tipo de elemento contém materiais tóxicos.
  • Aparelhos elétricos e eletrônicos.
  • Bases de cama e sofás: de nenhuma maneira devem ser queimadas, já que contêm elementos tóxicos.
  • Restos de podas: com eles se produz fertilizante.

Te recomendamos ler: Você já usou papel alumínio no cabelo?

4. Colabore desde casa

Além de tudo o que foi dito antes, também podemos colaborar com o cuidado do planeta com pequenos gestos. Quais são? Usar envases e copos de cerâmica e não de plástico, comprar materiais reciclados, usar envases retornáveis, usar o papel de forma moderada e responsável, usar pilhas recarregáveis e reutilizar objetos, dentre outros.