12 dicas para se preparar para uma consulta médica

Se preparar para uma consulta médica significa ter em mente todas as informações sobre o estado de saúde de quem vai se consultar, além de organizar as ideias a fim de se comunicar de forma concreta. Também é importante já saber quais perguntas você deseja fazer ao médico.
12 dicas para se preparar para uma consulta médica

Última atualização: 01 dezembro, 2021

Se preparar para uma consulta médica é uma decisão inteligente. Essa atitude não apenas permite que a consulta seja aproveitada ao máximo, como também evita a omissão de dados ou detalhes importantes.

Desta forma é possível evitar erros ou imprecisões, pois o paciente chega à consulta com as ideias claras e ordenadas. Isso garante ao médico elementos melhores e mais completos para analisar o quadro e saber como proceder.

É necessário identificar com clareza os motivos da consulta. Além disso é importante especificar as perguntas a serem feitas e fornecer informações específicas sobre medicamentos usados ou tratamentos que estejam sendo feitos.

Dicas para se preparar para uma consulta médica

Se preparar para uma consulta médica significa reunir as informações que devem ser fornecidas ao médico e ser claro sobre o que se deseja obter. Para tornar todo esse processo mais fácil, as dicas a seguir serão bastante úteis:

1. Saber o motivo principal da consulta

A primeira coisa a considerar para se preparar para uma consulta médica é o motivo da mesma. De um modo geral, existem três tipos de consultas: inicial ou com novo médico, por sintomas e para fazer um check-up.

Numa consulta inicial ou com um novo médico, o objetivo principal é atualizá-lo sobre o seu estado de saúde e comunicar um determinado acontecimento. Em uma consulta de controle, o objetivo é comunicar as mudanças ou novidades ocorridas desde a última visita.

O objetivo de uma consulta de check-up é fazer uma revisão de rotina. Nela, o médico também deve ser informado sobre o estado de saúde do paciente e os eventos ocorridos no último ano, mesmo que eles não pareçam relevantes.

2. Ter uma lista de prioridades

Quando existem preocupações específicas com a saúde, medicamentos, evolução de uma condição pré-existente ou de um evento específico, o ideal é fazer uma lista de prioridades. Ela deve conter todos e cada um dos temas que geram preocupação.

Este inventário será muito útil para que todos os assuntos importantes sejam abordados na consulta. Se o tempo não for suficiente para revisar tudo, você terá um registro claro do que ficou pendente.

Consulta com um médico.
Os próprios médicos estimulam seus pacientes a fazerem listas de dúvidas e questionamentos a serem discutidos na consulta.

3. Ter em mãos o histórico médico ou de saúde

Um dos documentos que devem ser levados à consulta inicial ou check-up é o histórico médico. Na maioria dos casos, é provável que o médico já tenha os dados digitalizados e online. No entanto, é recomendável que o paciente já tenha lido o próprio histórico, e de preferência tenha uma cópia física (se essa é uma opção na área geográfica onde ele vive).

Também pode te interessar: Por que é bom doar sangue?

4. Ter informações sobre o histórico médico

Na primeira consulta ou check-up o médico deve ser informado sobre os antecedentes relevantes. Portanto, é necessário que o histórico esteja muito claro e por escrito.

Além disso, é muito importante comunicar ao médico quais tratamentos o paciente está fazendo atualmente. Também é conveniente especificar se algum tratamento estético foi realizado no último ano.

5. Informar sobre os medicamentos utilizados

Esse é mais aspecto fundamental para se preparar para uma consulta médica. Manter uma lista dos medicamentos que você está tomando é crucial.

Devem ser anotados os nomes exatos, doses, a partir de que data eles foram introduzidos e em que condições foram prescritos. Essa lista também deve incluir suplementos, medicamentos alternativos ou naturais, remédios caseiros e qualquer produto ingerido ou aplicado para fins terapêuticos.

6. Ter consigo os documentos relevantes

Além dos documentos credenciados junto ao sistema de saúde, o paciente deve levar os exames realizados recentemente ou que não tenham sido revisados pelo médico ou ainda exames antigos mas que sejam considerados relevantes.

7. Ter um relatório de eventos na saúde

Se você deseja obter o máximo de proveito da sua consulta médica, é recomendável relatar os eventos de saúde da forma mais completa possível. Como o mais comum é que a consulta tenha sido marcada para aliviar uma dor, existe um método chamado OPQRST (pela sigla em inglês) que permite fazer um relatório muito completo. Ele é aplicado da seguinte forma:

  • O: Origem do evento: o que você estava fazendo quando a dor começou? A dor é repentina, gradual ou crônica?
  • P: Provocação do problema: a dor melhora ou piora com a atividade, posição ou um adjuvante?
  • P: Quantidade de dor: a dor é pulsante, constante, aguda?
  • R: Região e radiação da dor: onde se localiza a dor? Ela é proveniente de outras partes do corpo?
  • S: Severidade da dor: avalie a dor de 1 a 10.
  • T: Hora do evento: quando a dor se originou? Melhorou ou piorou com o tempo?

8. Manter um registro de sintomas

Mesmo que se trate de uma dor ou outro tipo de anomalia, é recomendável registrar os sintomas de forma bem detalhada. Se preparar para uma consulta médica envolve manter claras as seguintes informações:

  • Existe dor? Se sim, aplique o método OPQRST.
  • Em que área do corpo você detectou uma anormalidade?
  • Quais são as características da anomalia detectada?
  • Data aproximada ou exata na qual ela foi detectada.
  • Outros sintomas associados ao principal.
  • Medidas que foram tomadas para corrigir o problema.

9. Informar o médico sobre o seu estilo de vida

É necessário fornecer ao médico algumas informações gerais (mas relevantes) sobre o seu estilo de vida:

  • Tipo de dieta mantida.
  • Tipo de atividade física realizada.
  • Se o paciente fuma ou não, e em que proporção (mesmo deve ser feito com álcool e drogas psicoativas).
  • Padrões de sono.
  • Eventos ou situações atuais que podem estar causando estresse.

10. Preparar as perguntas

Se preparar para uma consulta também significa elaborar uma lista de perguntas relevantes para fazer ao seu médico. É conveniente priorizá-las e tentar torná-las práticas.

11. Organizar tudo com antecedência

O ideal é deixar todos os documentos e anotações prontas um dia antes da consulta. O tempo deve ser organizado de forma que você chegue ao consultório com bastante antecedência. Caso existam dúvidas sobre o que fazer ou você precise de algum tipo de ajuda, é recomendável levar um acompanhante.

12. Faça anotações

Uma consulta médica às vezes envolve uma grande quantidade de informações. Portanto, é recomendável anotar tudo que você considerar importante.

Consulta médica para registro de dados.
Tanto o médico quanto o paciente podem anotar os dados relevantes, para garantir que eles não sejam esquecidos após a consulta.

Perguntas úteis para fazer ao médico

Uma boa comunicação com o médico é muito importante para que tudo corra bem. Parte dessa comunicação são as perguntas que o paciente deve fazer.

O mais aconselhável é considerar as variáveis a seguir e especificar as perguntas que você deseja fazer ao profissional:

  • Doenças ou sintomas: tem a ver com o significado dos sintomas e as características da doença do paciente, além das expectativas e prognóstico.
  • Medicamentos: para que serve cada um, seus benefícios e riscos, cuidados a serem tomados, nomes alternativos e se existem genéricos.
  • Exames: para que serve cada exame, se é necessária alguma preparação especial ou se existem riscos.
  • Tratamento: objetivo, duração, benefícios e desvantagens, eficácia e opções alternativas.

Honestidade na consulta médica

Além de se preparar para uma consulta médica, é importante estar ciente de que nenhuma informação deve devem ser ocultada, minimizada ou alterada ao ser informada ao médico. A honestidade é essencial, tanto para construir confiança entre as partes quanto para solucionar o problema de maneira adequada.

Embora as consultas médicas tenham um tempo limitado, isso não deve ser um obstáculo para fazer as perguntas necessárias. O paciente tem todo o direito de buscar clareza sobre o que está acontecendo com ele e entender o que o médico está fazendo pra solucionar o problema.

This might interest you...
Motivos mais frequentes de consultas médicas na adolescência
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Motivos mais frequentes de consultas médicas na adolescência

Fazer referência aos motivos mais frequentes de consultas médicas na adolescência nos obriga a considerar diferentes contextos e idades.



  • Wahren, C. G., & De Cunto, C. (2004). Medicinas alternativas: un tema que no puede ser ignorado. Arch Argent Pediatr, 102(2), 85-7.
  • Eloge, J., Napier, T. C., & Dantz, B. (2018). OPQRST (U): Integrating substance use disorders or “Use” into the medical history. Substance abuse, 39(4), 505-508.
  • Bustos, R. E. (2019). Aproximaciones antropológicas de la biomedicina desde un enfoque intercultural de la cita médica. Antropología: Cuadernos de Investigación, (22), 74-84.