11 benefícios da dieta mediterrânea que você deve conhecer

· 20 de agosto de 2018
A dieta mediterrânea é muito mais que uma alimentação deliciosa. Como o afirma o portal da Fundação Dieta Mediterrânea, é uma valiosa herança cultural, que representa muito mais do que uma simples orientação nutricional, saborosa e saudável.

A transcendência desta dieta a levou a ser reconhecida como Patrimônio Imaterial da Humanidade, de acordo com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). Além de ser uma forma de alimentação, envolve também tradição e costumes, além de fatores culturais.

Trata-se de uma forma de alimentação que pressupõe tanto a inclusão de ingredientes variados como formas de preparação saudáveis. Por suas características inerentes, é não apenas uma dieta saborosa, mas também rica em benefícios para o nosso organismo. É por isso que, neste artigo, falaremos sobre os 11 benefícios da dieta mediterrânea.

Decálogo mediterrâneo

A Fundação Dieta Mediterrânea detalha uma série de qualidades deste tipo de alimentação:

A principal gordura utilizada é o azeite de oliva, que contém vitamina E, betacaroteno e ácidos graxos monoinsaturados. Isso torna o azeite um grande protetor do coração.

Alimentos permitidos na dieta mediterrânea

Confira a lista de produtos de origem vegetal que fornece minerais, vitaminas, fibras e água:

  • Frutas
  • Verduras
  • Legumes
  • Cogumelos
  • Frutos secos

Os cereais (massas, arroz) e o pão devem fazer parte do consumo diário, mas o melhor é consumir os integrais. São boas fontes de carboidratos, que fornecem a energia necessária para o organismo.

Os alimentos mais adequados no momento são os da temporada. Os laticínios, como iogurte e queijo, devem estar presentes na refeição diária, porque fornecem proteínas, minerais e vitaminas, além de favorecerem o equilíbrio da flora intestinal.

As carnes devem ser consumidas com moderação. Não são a base do prato, mas um acompanhamento. Peixes devem ser ingeridos em bastante quantidade, já que seu consumo protege o coração. O ovo é rico em proteínas e deve ser consumido várias vezes por semana, embora com moderação.

A sobremesa deve ser à base de frutas frescas, assim, os doces devem ser consumidos apenas de vez em quando. A água é a bebida por excelência para este tipo de alimentação. O vinho deve ser tomado com moderação somente durante o almoço, já que tem propriedades antioxidantes.

Por último, o exercício físico é o complemento indispensável da alimentação. Dito isto, vamos reconsiderar 11 benefícios da dieta mediterrânea.

Leia também: Qual deve ser a duração de uma dieta para perder peso?

11 benefícios da dieta mediterrânea

1. Combater o colesterol ruim

Entre os principais alimentos da dieta mediterrânea, encontra-se o consumo em abundância de frutos do mar, peixes e vegetais. O consumo de carnes vermelhas deve ser moderado. Isso está relacionado a uma diminuição dos índices de colesterol.

2. É benéfica para o coração

A dieta mediterrânea ajuda a reduzir os riscos de doenças cardiovasculares, pois diminui a hipertensão arterial, graças à presença de ácidos graxos insaturados, combinados com os nutrientes dos vegetais.

Esses ácidos graxos podem ser encontrados em nozes, no óleo de peixe, nas azeitonas e no abacate.

3. Previne o AVC (derrame)

Um dos problemas de saúde mais comuns hoje em dia são os acidentes vasculares cerebrais, mais conhecidos como AVCs.

Pode incluir frutos secos na dieta mediterrânea

A dieta mediterrânea reduz significativamente o risco de sofremos com um AVC. Isso porque inclui frutos secos e azeite de oliva, que evitam o problema. Isto de acordo com os resultados do Centro de Pesquisa sobre Nutrição Humana e Envelhecimento da Universidade de Tufts, nos Estados Unidos, e pesquisadores do Instituto de Saúde Carlos III.

4. Evita problemas de estômago

Os nutrientes de vegetais verdes, combinados com polifenóis (substâncias antioxidantes) de maçãs e vinho tinto, funcionam como um protetor gástrico. Dessa forma, previnem-se as doenças gástricas, como as úlceras. Caso você já sofra com o problema, a dieta mediterrânea pode aliviar os sintomas.

5. Evita o mal de Alzheimer e a demência

O ovo é um item importante na dieta mediterrânea. O consumo deste alimento melhora as funções cerebrais, porque traz benefícios aos vasos sanguíneos. Por isso, diminui a probabilidade de deterioração mental em pessoas que seguem esta dieta.

6. Controla a diabetes

Graças à alimentação baixa em gorduras e sobremesas adocicadas, a dieta mediterrânea ajuda a controlar a diabetes tipo 2.

7. Ajuda contra a obesidade

O equilíbrio adequado de nutrientes, o consumo moderado de carboidratos, açúcares e bebidas pasteurizadas ou gasosas, assim como a presença de vegetais, gorduras “boas” e proteínas, permite emagrecer e manter o peso ideal.

A dieta mediterrânea pode ser feita durante a gravidez

8. Previne o mal de Parkinson

Os alimentos desta dieta têm um grande poder antioxidante, que previne a deterioração celular e reduz as chances de virmos a sofrer com o mal de Parkinson.

9. Protege os ossos

A ingestão adequada de produtos ricos em cálcio ajuda a fortalecer os ossos, o que ajuda a evitar as fraturas e doenças ósseas.

Recomendamos ler: 6 remédios para a dor nos ossos

10. Contribui para a agilidade

Os alimentos nutritivos desta dieta favorecem a firmeza e a força muscular, o que se traduz em uma maior aptidão física, independentemente da idade.

11. Antienvelhecimento

A abundância de antioxidantes e de cálcio, assim como a diminuição da probabilidade de sofrer de várias doenças, implica uma melhor saúde física e, com isso, uma vida saudável, longa e produtiva.

Como vimos, são muitos os benefícios que este regime alimentar traz para o seu organismo. Se você quiser adotar a dieta mediterrânea, consulte um especialista para que a transição seja feita da forma mais adequada.