Melhor Com Saúde
 

10 razões para comer couve-flor

Ao comer couve-flor, proporcionamos ao nosso corpo uma grande quantidade de nutrientes. Dentre eles, destaca-se a fibra. Seu alto teor de fibras nos ajuda a eliminar toxinas e otimizar nossa saúde.

10 razões para comer couve-flor

Última atualização: 13 Janeiro, 2019

Você gosta de comer couve-flor ou é daquelas pessoas que evita este vegetal, porque seu sabor não é tão agradável?

Se seu caso for o segundo, você deve saber que esta crucífera está repleta de vitaminas do complexo B (B1, B2, B3, B6 e ácido fólico), C, K e E.

Além disso, proporciona minerais vitais, como cálcio, magnésio, fósforo, potássio e manganês, e é uma das melhores fontes de proteína vegetal.

A quantidade de gordura que contém é mínima, e o aporte de proteínas, fibras e ácidos graxos essenciais ômega 3 é muito alto.

Por tudo isso, comer couve-flor com uma certa regularidade manterá seu organismo saudável e forte.

1. A couve-flor melhora a sua saúde cardiovascular

A vitamina K que você obtém ao comer couve-flor tem propriedades anti-inflamatórias que melhoram sua circulação sanguínea.

Assim, evita o acúmulo de lipídios no sangue, algo que poderia resultar em problemas cardiovasculares, como a aterosclerose.

O sulforafano que a couve-flor contém é de grande ajuda quando o que se quer é melhorar os níveis da pressão arterial.

2. Transtornos do estômago

Como mencionamos antes, a couve-flor é rica em fibras. Elas são de muita utilidade para a digestão e favorecem a eliminação das toxinas pelo corpo.

Por outro lado, o sulforafano contido nesse vegetal protege o revestimento do estômago e o torna mais resistente à formação de bactérias malignas.

Se a isso acrescentamos seu teor de isotiocianatos, você verá que comer couve-flor é uma excelente forma de diminuir o risco de sofrer com úlceras estomacais e câncer de cólon.

Leia também: É possível depurar o estômago?

3. Luta contra o câncer

menina_sorrindo_cancer_infantil

O sulforafano e os isotiocianatos contêm elementos quimio-preventivos e antiestrógenos que constituem um obstáculo para o crescimento das células cancerígenas.

Isso faz com que seja mais fácil enfrentar o câncer e controlar seu avanço.

Consumir couve-flor também previne o aparecimento de certos tipos de câncer, como os de:

  • Pulmão
  • Bexiga
  • Mama
  • Próstata
  • Ovário
  • Colo uterino

4. Previne a degeneração macular

Por seu alto teor de vitamina C e antioxidantes, a couve-flor pode ser eficaz para reduzir o risco de degeneração macular própria da idade, e que, em certos casos, causa cegueira.

O sulforafano, além disso, ajuda a proteger os tecidos da retina dos danos causados pelo estresse oxidativo. Assim, previne em grande medida a incapacidade visual e doenças oculares, como a catarata.

5. Combate os danos causados pela radiação ultravioleta

sol_mulher_se_bronzeando_praia

O sulforafano da couve-flor também é útil quando se trata de proteger a pele contra os danos que a radiação ultravioleta causa. Protege seu corpo de problemas como:

  • Inflamação
  • Câncer de pele induzido pelos raios UV
  • Vermelhidão da pele pelo aumento de sangue nos capilares
  • Danos celulares

É importante que, além de comer este vegetal, você mantenha uma correta vigilância de sua exposição ao sol. Lembre-se de aplicar protetor solar e evitar passar várias horas seguidas sob o sol.

6. Transtornos neurodegenerativos

Outro motivo para comer couve-flor é que o sulforafano ativa as enzimas de desintoxicação e ajuda seu cérebro no tratamento de lesões neuronais, causadas pela inflamação e estresse oxidativo.

Isso significa que doenças como o Parkinson e o Alzheimer têm menos probabilidade de afetá-lo.

7. Combate a hipertensão e o colesterol

Graças às propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias da couve-flor, suas artérias se mantêm saudáveis.

Os ácidos graxos ômega 3 e a fibra ajudam a diminuir os níveis do colesterol ruim (LDL). Isso é excepcionalmente bom se você estiver lidando com problemas cardíacos, ou se quiser evitá-los.

8. Equilibra os eletrólitos

homem_na_bicicleta_academia

Comer couve-flor ajuda a equilibrar os eletrólitos do seu corpo. Graças a isso, seu sistema nervoso realiza as transmissões dos impulsos nervosos e as contrações musculares da maneira correta.

Se você for uma pessoa que pratica muitos esportes, é provável que tenha adotado o hábito de consumir grandes quantidades de bebidas energéticas. Muita gente faz isso para obter mais eletrólitos.

O problema é que as ditas bebidas também contêm açúcares que você não precisa. Uma boa alternativa é incluir mais couve-flor na sua dieta.

9. A saúde de seu cérebro e células

O fósforo que se encontra na couve-flor é de grande ajuda para a reparação das membranas celulares. Elas são essenciais para que seu cérebro e sistema nervoso funcionem corretamente.

Por sua vez, o potássio e a vitamina B6 favorecem a saúde de seu cérebro e seus neurotransmissores. Isso é muito importante se você quiser que o seu cérebro esteja alerta e trabalhe corretamente.

Visite este artigo: 9 coisas que acontecem com seu cérebro quando você começa a se exercitar

10. Comer couve-flor protege você da diabetes

Graças ao seu teor de vitamina C e potássio, o consumo regular de couve-flor ajudará você a diminuir o risco de desenvolver a diabetes. Esses dois elementos regulam a glicose em seu sangue e o metabolismo.

Quando seus níveis de potássio estão baixos, a glicose pode se elevar e ser uma ameaça importante se você tiver diabetes.

Por esse motivo, é fundamental consumir alimentos que mantenham seus níveis de potássio estáveis.

Como cozinhar vegetais apetitosos

Como cozinhar vegetais apetitosos

Quando se trata de cozinhar vegetais, muito do sucesso da receita está na forma como os preparamos. Eles sempre ficarão mais apetitosos se tiver em conta algumas dicas.



  • Ahmed, F. A., & Ali, R. F. M. (2013). Bioactive compounds and antioxidant activity of fresh and processed white cauliflower. BioMed Research International. https://doi.org/10.1155/2013/367819
  • MELO, E. de A., MACIEL, M. I. S., LIMA, V. L. A. G., LEAL, F. L. L., CAETANO, A. C. da S., & NASCIMENTO, R. J. (2006). CAPACIDADE ANTIOXIDANTE DE HORTALIÇAS USUALMENTE CONSUMIDAS1. Ciência e Tecnologia de Alimentos. https://doi.org/10.1590/S0101-20612006000300024