8 dicas para viajar com segurança na gravidez

Viajar grávida não é contraindicado, mas você precisa de um médico para confirmar que você pode fazer isso sem colocar você e seu bebê em risco. Aqui estão algumas sugestões para viajar com segurança.
8 dicas para viajar com segurança na gravidez

Última atualização: 09 Novembro, 2021

Estar grávida não é impedimento para viajar de férias ou a trabalho. Se não apresentar complicações e se sentir em perfeitas condições, além de contar com a autorização do seu médico, você pode viajar com segurança durante a gravidez.

A melhor época para fazer isso é durante o segundo trimestre. No entanto, existem necessidades ou datas que não podem ser adiadas, por isso sempre é preciso viajar com os devidos cuidados. Vamos ver 8 dicas que vão te ajudar a se organizar.

O que você deve ter em mente ao viajar grávida?

Sugerimos que considere o destino e o meio de transporte que utilizará na sua viagem. Numa escala do mais para o menos aconselhável, o primeiro é o trem, o segundo o avião e o terceiro o carro ou ônibus. Embora, é claro, estes últimos sejam a melhor escolha para viagens curtas.

O mais desaconselhado é o barco ou um cruzeiro. Se não for possível escapar disso, pergunte sobre o serviço médico de bordo, especialmente para saber se você teria acesso a um esquema apropriado para uma emergência.

Antes de adquirir as passagens, apresente a sua condição, pois há agências que não dão acesso a gestantes após a 28ª semana a menos que apresentem um documento assinado por um médico, descartando qualquer risco. Informe-se sobre as condições ou requisitos impostos por cada agência.

O decisivo em cada meio de transporte é quanto tempo e quão fácil é se mover, esticar as pernas ou fazer paradas. O outro fator determinante é se se trata de ir à praia ou a um país tropical, às montanhas ou a um espaço tranquilo, mas solitário.

Recomendações para viajar com segurança na gravidez

Vamos analisar 8 recomendações para viajar na gestação. Você verá que, com essas dicas, tudo será mais fácil.

Grávida em avião
Se a viagem for de avião, você tem que saber com antecedência se a companhia aérea vai te admitir de acordo com o número de semanas da sua gestação.

1. O controle ginecológico é essencial

Independentemente da sua segurança para enfrentar a viagem, é aconselhável fazer uma avaliação médica. O profissional saberá dizer se está tudo bem e se você pode viajar com segurança durante a gravidez. Caso contrário, ele a mandará para casa descansar.

Não ignore as observações médicas apenas com base em como você se sente. A expectativa da viagem gera endorfinas que podem encobrir ou ocultar alguns sinais de desconforto.

2. Se for no segundo trimestre, melhor

Da 1ª à 13ª semana, queixas como náuseas e vômitos podem ser frequentes, especialmente pela manhã. A isso se somam a sensibilidade nos seios, inchaço, fadiga e sono. Às vezes, há até indigestão e prisão de ventre.

Neste último caso, os ritmos de evacuação são condicionados pela vida doméstica e as viagens envolvem mudanças que podem agravar a constipação. Além disso, a quantidade de urina aumenta. Em uma viagem longa, isso pode ser incômodo e levá-la a reter a urina, o que pode provocar uma infecção urinária.

Entre as semanas 28 e 41 o nascimento se aproxima, e o bebê pode surpreendê-la fora da data esperada. Em conclusão, se você puder escolher, opte pelo segundo trimestre.

Os desconfortos iniciais diminuíram e o parto ainda está muito longe. Nessas circunstâncias, a barriga ainda não é tão grande, facilitando os movimentos e o uso de cintos.

3. Planeje a viagem

Considerando uma viagem no segundo trimestre, você tem alguns meses após saber sobre a sua gravidez para se preparar. O lugar que você deseja visitar não deve ser de difícil acesso ou solitário.

Garanta o acesso a atendimento e cuidados médicos por perto. Verifique a cobertura de um seguro. Não embarque em uma aventura ousada porque você não está mais sozinha; uma vida depende de você.

As malas que você usar devem ter rodas e as roupas e sapatos devem ser confortáveis. Peças apertadas afetarão negativamente a circulação.

Uma garrafa de água não deve faltar na sua bolsa ou em mãos.

4. Quando você viaja para o exterior…

Em outras ocasiões, isso pode nem ter passado pela sua cabeça, mas agora que você está grávida, as possíveis doenças endêmicas do país que você visita passam a ser consideradas.

Alguns países exigem certas vacinas para autorizar a entrada, portanto, antes de comprar um pacote de viagem, verifique com seu médico se elas são seguras para o feto.

5. Certifique-se de ter a cobertura necessária

Muito importante! Pergunte se o país e a cidade que você visitará estão dentro do escopo de cobertura e se atendem aos requisitos de qualidade que uma emergência exigiria.

6. Durante a viagem, mova-se

Sim, você tem que continuar se movendo. Gire os tornozelos, levante-se a cada 30 minutos, e caminhe a cada hora ou no máximo 2.

Resumindo, faça tudo para evitar favorecer a coagulação do sangue. Se a viagem for longa, continue caminhando pelos corredores.

A propósito, se você viajar de avião ou trem, quando chegar ao seu destino, deixe o corredor que leva à porta de saída esvaziar antes de sair. Evite apertar e fazer pressão na barriga.

7. Mantenha-se hidratada

Você precisa de mais de 2 litros de água por dia durante a gravidez, e cerca de 700 ml podem ser fornecidos pelos alimentos. Mesmo que você não sinta sede, deve consumir mais água do que se não estivesse grávida. Para evitar ITUs comuns na gravidez, como a cistite, você precisa beber muita água.

A hidratação melhora a circulação e evita a hipotensão. Existe uma relação entre o aumento dos níveis de ingestão de água durante a gravidez, o bem-estar da placenta, o líquido amniótico e as necessidades metabólicas do feto.

Consequentemente, você precisará ir ao banheiro com frequência, portanto, no planejamento da viagem, este requisito deve ser estritamente observado. Opções simples e seguras devem ser avaliadas com praticidade.

8. Aperte o cinto para ganhar vida

Até 80% das lesões graves são impedidas ou atenuadas devido ao uso do cinto de segurança. Se você está grávida e quer ou precisa viajar por terra, sempre o use. O tamanho da barriga não deve ser um obstáculo.

Faça o cinto passar sobre o ombro e o esterno sem esfregar o pescoço ou passar sobre os seios, mantendo-o tão baixo quanto você puder nos quadris. Tome cuidado para que a seção abdominal do cinto não pressione a barriga. Estudos afirmam que muitas mulheres usam o cinto incorretamente.

Cinto de segurança para viagens na gravidez
A barriga da gravidez não é um impedimento para usar o cinto de segurança. Pelo contrário, você deve aprender a posicioná-lo corretamente.

Quando é preciso consultar um profissional?

Para viajar com segurança durante a gravidez você precisa da autorização do seu médico, e é ele que irá avaliar o seu estado geral, o tempo de viagem e o meio de transporte. Outro elemento vital é a imunização ou vacinação, dependendo do lugar que você vai visitar.

Com estes conselhos, prepare o seu kit de viagem e não deixe o essencial ao acaso. Deixe o nome e o contato do seu obstetra e o seu histórico médico ao seu alcance.

Pode interessar a você...

É bom comer abacaxi durante a gravidez?
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
É bom comer abacaxi durante a gravidez?

Comer abacaxi durante a gravidez é seguro e saudável. Esta fruta fornece água, fibras e vitamina C. Saiba mais detalhes neste artigo!