Válvula aórtica bicúspide: diagnóstico e tratamento

18 Maio, 2020
A válvula aórtica bicúspide é uma malformação congênita que necessita de acompanhamento e controle durante a vida toda, apesar dos tratamentos realizados.

A válvula aórtica geralmente possui três folhetos. No entanto, algumas pessoas nascem com uma válvula aórtica bicúspide. Isso causa alguns problemas, uma vez que a função da válvula é que o sangue oxigenado seja transportado do coração para a aorta.

Como alguns estudos indicam, essa circunstância é conhecida como malformação congênita do coração que, ao contrário do que podemos pensar, é bastante comum.

Embora durante a infância isso não cause problemas, eles começam a aparecer durante a vida adulta. Por esse motivo, um diagnóstico precoce e adequado permitirá receber um tratamento mais eficaz.

Válvula aórtica bicúspide

Sintomas

A dor no peito é um sintoma de problemas na válvula aórtica
Este é um problema congênito que afeta o transporte sanguíneo realizado pelo coração.

O diagnóstico da válvula aórtica bicúspide é feito por diferentes métodos. No entanto, esse problema apresenta algum sintoma que nos alerte sobre a sua presença?

A verdade é que sim, e isso acontece ainda na infância. Portanto, é importante prestar atenção às queixas das crianças sobre dor ou outros sintomas que veremos a seguir:

  • Dor no peito: é sentida uma leve dor no peito que pode ser acompanhada por dificuldade em respirar.
  • Palpitações: os batimentos cardíacos costumam ser rápidos e irregulares.
  • Desmaio: as crianças podem perder a consciência devido à fadiga mencionada ou sem motivo aparente. Sua pele também costuma ser pálida.

Na presença de qualquer um desses sintomas, é necessário levar a criança ao pediatra o mais rápido possível para que sejam realizados os exames adequados.

Você também pode se interessar: Micra: o menor marca-passo do mundo, implantado sem cirurgia

Diagnóstico de válvula aórtica bicúspide

Ecocardiograma
A auscultação de sons cardíacos e a ecocardiografia são técnicas eficazes no diagnóstico desta patologia.

O diagnóstico da valva aórtica bicúspide é feito através da revisão do histórico familiar. Se houver antecedentes familiares, é muito possível que esse problema tenha sido herdado. Depois disso, é feito um exame físico.

Durante a revisão, um estetoscópio pode ser usado para perceber palpitações cardíacas irregulares e algum sinal de sopro cardíaco. Em seguida, para verificar se estamos diante de uma válvula aórtica bicúspide, é realizado um ecocardiograma para avaliar como o coração está funcionando.

Tratamento da válvula aórtica bicúspide

Existem diferentes tipos de tratamento entre os quais o médico escolherá. No entanto, é importante mencionar que são necessários controles regulares para detectar outros tipos de problemas, como por exemplo, uma aorta aumentada.

  • Substituição da válvula: a válvula danificada é removida e substituída por uma mecânica ou de tecido biológico.
  • Valvoplastia com balão: usada para expandir a abertura da válvula que tende a se estreitar. Portanto, esse tratamento geralmente precisa ser repetido.
  • Cirurgia: a seção que foi aumentada na aorta é removida e substituída. Também há a possibilidade de tentar reparar a válvula aórtica.

Existem muitos estudos que continuam tentando encontrar uma solução eficaz para essa malformação congênita que pode afetar a qualidade de vida.

Mais informações? Então leia: Auscultação das veias e artérias

Monitoramento durante a vida toda

Controle desde a infância com o cardiologista
Após o diagnóstico e o reparo, o paciente deve ser monitorado com frequência para evitar possíveis complicações.

Seja qual for o tratamento realizado, uma pessoa diagnosticada com válvula aórtica bicúspide precisará de monitoramento ao longo de sua vida. Não importa que o paciente tenha passado por cirurgia ou que a válvula tenha sido substituída. As visitas ao cardiologista serão realizadas anualmente para verificar se está tudo bem e se não há novos problemas.

Além disso, é importante que todos os familiares próximos da pessoa com essa cardiopatia realizem um ecocardiograma para verificar se está tudo bem. A razão é que essa malformação congênita pode ser hereditária. Portanto, os membros da família devem consultar o cardiologista para que ele verifique se a válvula está funcionando corretamente.

Esperamos que este artigo tenha esclarecido um pouco mais sobre esse problema cuja presença é alertada através de diferentes sintomas. Lembre-se de que é essencial consultar um médico caso alguém da sua família sofra com essa malformação da válvula. Assim, será possível impedir que sua saúde e qualidade de vida sejam afetadas.

  • Martín Cazorla, F., López Calvo, A.M., & Rubio Lamia, L.. (2014). Estenosis aórtica por válvula bicúspide: una causa de muerte súbita en jóvenes deportistas. Cuadernos de Medicina Forense20(2-3), 123-125. https://dx.doi.org/10.4321/S1135-76062014000200009
  • Zalaquett S, Ricardo, Camplá C, Cristóbal, Scheu G, Maximiliano, Córdova A, Samuel, Becker R, Pedro, Morán V, Sergio, Irarrázaval Ll, Manuel J, Baeza P, Cristian, Arretz V, Claudio, Braun J, Sandra, Chamorro S, Gastón, Godoy J, Iván, & Yáñez D, Fernando. (2005). Ciruguía reparadora de la válvula aórtica bicúspide insuficiente. Revista médica de Chile133(3), 279-286. https://dx.doi.org/10.4067/S0034-98872005000300002
  • Zalaquett, Ricardo, Besa, Santiago, Contreras, Juan, Gundelach, Joaquín, Muñoz, Cecilia, & González SM, Patricio. (2016). Veinte años de reparación de Ia válvula aórtica bicúspide insuficiente: a twenty year experience. Revista chilena de cardiología35(1), 32-40. https://dx.doi.org/10.4067/S0718-85602016000100004