Usos da canela e suas propriedades medicinais

11 Dezembro, 2019
Os usos da canela remontam os tempos antigos por seus inúmeros efeitos na saúde. Desde a mumificação até à redução do risco cardiovascular, esta planta oferece grandes benefícios à nossa saúde.
 

A canela é uma planta aromática cujo uso remonta aos tempos antigos. Os usos da canela sempre foram empregados ​​para fins medicinais e posteriormente para pratos e sobremesas. A mais conhecida é a variedade Canela cassia, que oferece mais propriedades curativas.

Na literatura atual podemos encontrar uma grande variedade de efeitos atribuídos ao uso da canela em doenças respiratórias, digestivas e reprodutivas. É amplamente utilizada em sobremesas, além de chocolates e cafés, por seu aroma intenso. Aprenda muito mais sobre esta planta aromática no seguinte artigo.

Características da canela

A Cinnamon cassia é uma árvore perene que pode atingir até 15 metros de altura. Possui galhos com casca dupla e muito aromáticas. Seu habitat natural é o sul da Índia ou no Sri Lanka, mas atualmente é cultivada em outros lugares quentes. A canela procede do interior da casca da árvore e nos oferece muito cálcio, potássio, vitamina A, carboidratos, fibras, vitamina C, ferro, magnésio e fósforo.

Em primeiro lugar, o uso desta planta aromática é muito antigo, desde os tempos dos egípcios, como pode ser visto nos desenhos das pirâmides. Foi importada da China 2000 anos aC e depois foi usada para embalsamar múmias. Logo depois, na Grécia e na Roma a usaram para melhorar a digestão.

Por outro lado, pesquisas afirmam que, juntamente com o cardamomo e a pimenta, foram as primeiras especiarias usadas ​​na região do Mediterrâneo. Além disso, no século XIX, começou a ser cultivada em outras áreas do planeta, e hoje é comum consumir canela em sobremesas, cafés e chocolates.

 

Veja também: As melhores infusões para os 13 tipos mais comuns de mal-estar

Quais são os usos da canela?

A canela possui uma grande variedade de propriedades sobre diferentes sistemas do organismo

Primeiramente, podemos dizer que esta planta aromática tem muitos usos diferentes por suas propriedades e benefícios. Além disso, internamente, ajuda nos sistemas digestivo, respiratório, circulatório e reprodutivo:

Sistema digestivo

Devido às suas propriedades carminativas, antivomitivas e antiulcéricas estimula a salivação e os sucos gástricos. É usada em casos de:

  • Aerofagia: evita o excesso de flatulência bebendo uma colher de sopa de canela em pó em um litro de água.
  • Digestão complicada: consuma um quarto de colher de chá de canela em pó antes das refeições.
  • Azia: polvilhando canela sobre os alimentos.
  • Falta de apetite: beber um chá com uma colher de chá de canela por litro de água antes das refeições.
  • Vômitos: espalhe um quarto da colher de chá de canela em pó sobre as refeições.

Sistema respiratório

Deve-se às suas propriedades expectorantes, antibacterianas e anti-inflamatórias. Em primeiro lugar, é utilizada em casos de bronquite, resfriados e tosse. Assim então, para fazer isso, você deve consumir duas gotas de sua essência em um copo de água quente com uma colher de mel.

 

Sistema circulatório

Primeiramente, possui propriedades antiescleróticas e antitrombóticas, ajudando a reduzir o risco cardiovascular. Além disso, serve para tratar problemas nos dedos dos pés e das mãos pelo frio, e é muito eficaz no tratamento de frieiras (beber várias xícaras da infusão com uma colher de chá de canela por um litro de água).

Veja também: Pressão arterial alta durante a gravidez: sintomas e tratamentos

Sistema reprodutivo

É muito boa para:

  • Combater as cólicas menstruais e regular o período: beba um chá preparado com uma colher desta planta aromática em rama em um litro de água.
  • Ademais, é um poderoso afrodisíaco, que estimula a libido e ajuda nos casos de disfunção erétil: consuma meia colher de sopa de canela por xícara de água.

Usos externos da canela

Chá de canela

Certamente, as várias preparações que podem ser compradas ou feitas em casa servem para tratar muitas doenças relacionadas a fungos e bactérias, como:

  • Infecções vaginais: neutraliza a Candida albicans. Faça uma lavagem com um litro de água acrescido de uma colher de pau de canela em pedaços.
  • Fungos nos pés ou unhas: faça um banho de pés com uma infusão de duas colheres de sopa de paus de canela dissolvidos em alguns litros de água morna.
 
  • Infecções respiratórias: gargareje com uma infusão de canela para tratar a angina, a laringite e a faringite.
  • Úlceras na boca: faça bochechos com meia colher de chá de canela por xícara de água.
  • Mau hálito: faça bochechos com uma mistura de várias colheres de sopa desta planta aromática por litro de água.

Outros benefícios

A tradição na Medicina Chinesa relata que, além dos usos medicinais mencionados acima, a canela oferece suas propriedades para o tratamento:

  • Reumatismo
  • Artrite
  • Osteoartrite
  • Dores causadas pelo frio.
  • Problemas renais
  • Circulação sanguínea.
  • Doenças inflamatórias
  • Diarreia
  • Gases
  • Diabetes
  • Indigestão

Contraindicações da canela

Em conclusão, esta planta aromática estimula bastante a circulação sanguínea, porém, é contraindicada em pessoas com problemas de coagulação. Por outro lado, seu uso em mulheres grávidas também deve ser evitado ou restrito. Sem dúvida alguma, você deve consultar o seu médico ou farmacêutico, mesmo que seja uma erva natural, pois pode ter efeitos indesejados no organismo.

 

 

  • HARADA, M., & YANO, S. (1975). Pharmacological studies on Chinese cinnamon. II. Effects of cinnamaldehyde on the cardiovascular and digestive systems. CHEMICAL & PHARMACEUTICAL BULLETIN, 23(5), 941–947. https://doi.org/10.1248/cpb.23.941
  • Rao, P. V., & Gan, S. H. (2014). Cinnamon: a multifaceted medicinal plant. Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine : ECAM, 2014, 642942. https://doi.org/10.1155/2014/642942
  • PASTRANA PELUCHE, Y. I., Acevedo Correa, D., & DURANGO VILLADIEGO, A. M. (2017). EFECTO ANTIMICROBIANO DEL CLAVO Y LA CANELA SOBRE PATÓGENOS. Biotecnoloía En El Sector Agropecuario y Agroindustrial, 15(1), 56. https://doi.org/10.18684/BSAA(15)56-65