Um dia alguém vai te abraçar tão forte que todos os seus pedaços se juntarão de novo

· 4 de junho de 2018
Para que um abraço transmita emoções, devemos aprender primeiro a abraçar a nós mesmos. Graças a isso podemos diminuir o estresse e reforçar nossa autoestima

Algumas pessoas nos abraçam com tanta força que parece que vamos nos quebrar, mas na verdade elas apenas ajustam o traje do amor a nosso corpo. Existem “apertões” que criam uma sintonia especial entre a mente, o corpo e nossas emoções.

Existem abraços que não resolvem nada, mas que têm a capacidade de nos reconfortar. Quando alguém nos acolhe de forma sincera, pode chegar a recompor nossas partes quebradas pelo tempo, afastar a solidão e os medos e nos encher de alegria.

Ainda, por incrível que pareça, existem pessoas que não gostam de abraços, pois se sentem incomodadas e invadidas. Porém, na realidade todos sentem falta de que alguém os acolha com calor em um momento ou outro da vida.

Mulher abraçando animal

Existem centenas de abraços nos esperando

Um pequeno abraço pode secar muitas lágrimas, uma pequena palavra cheia de amor pode nos encher de felicidade e um pequeno sorriso pode mudar o mundo. São essas pequenas coisas que constroem nosso mundo, enchendo-o de felicidade e de amor…

Não poderíamos escrever uma novela sobre os tipos de abraço que existem, porque nunca acabaríamos. Existem tantos abraços quanto pessoas, situações e relações, segundo a mensagem que queiram transmitir. Assim, podemos nos deparar com:

Os abraços de ossos

Quando a pessoa te abraça e aperta amorosamente contra o corpo. Este tipo de abraço transmite verdadeiras mensagens de apoio e carinho.

Abraços de A

Esse é o abraço mais formal, mas nem por isso transmite menos do que o anterior. Consiste em abraçar ao outro e apoiar levemente o queixo sobre o ombro correspondente.

Os abraços “sanduíche”

São aqueles que acontecem entre três pessoas, por isso são especialmente familiares. Estão cheios de carinho incondicional!

Os abraços impetuosos

Caracterizam-se pelo impulso de amarrar o outro e demonstrar afeto, o que os torna ideais para expressar carinho e bons desejos.

Os abraços de coração

São aqueles que entregam o corpo com total plenitude, de forma que os braços rodeiam as costas e os ombros da pessoa. É um dos abraços de maior entrega que existem.

Os abraços de canto

Este tipo é ideal na hora de dar um passeio ou ficar esperando juntinhos por algo. Reflete a necessidade e a vontade de um casal de estar juntos.

Os abraços pelas costas

Este tipo de abraço é o mais gostoso e romântico. Uma das partes do casal se aproxima do outro pelas costas e une seu corpo ao do outro. Basta lembrarmos de cenas famosas como a de Titanic para nos darmos conta da paixão que esse tipo de abraço desprende!

Os abraços em grupo

É um dos tipos que mais simboliza união e apoio incondicional, reconfortando muito a seus membros.

Todos esses abraços são curadores, pois contribuem para nosso bem-estar psicológico e nosso desenvolvimento emocional. Assim, com este simples gesto obtemos centenas de sensações insubstituíveis que transpassam a barreira do que pode ser descrito.

Casal se abraçando

Sabemos abraçar?

Um abraça aos outros como abraça a vida. Um abraça a vida como a si mesmo.

Para saber abraçar basta ter uma alma carregada e um corpo para fundir ao outro. Porém, para que um abraço transmita tudo o que queremos, devemos começar a ensaiar com nós mesmos.

Agora, as perguntas que surgem são as seguintes: Você já se abraçou alguma vez? Já se deu calor? Já aliviou suas tristezas? Trabalhar os “auto-abraços” é indispensável para nos nutrirmos e nos mantermos unidos aos outros.

Digamos que, por meio de um abraço íntimo, sincero e próprio, nos reafirmamos e nos vinculamos com nós mesmos, abaixamos a guarda e nos aproximamos da autenticidade na qual o amor próprio se baseia.

Se você se abraça, você se ama. Se você se ama, se reconhece. E se você se reconhece, se constrói. Porque nos acolhermos entre nossos braços liberta nossas emoções e nos permite que nos aproximemos das coisas boas da vida.

Os benefícios do abraço

Um abraço é um poema escrito na pele que nos protege do falso amor, da dependência, da idealização e de tudo aquilo que nos enfraquece e empobrece, resguardando a coragem e a bondade que está dentro de nós.

Graças aos abraços validamos nosso direito de existir, de experimentar, de ser como somos, de precisar, de tocar, de ser saudável e feliz, de criar, de intimar, de ser livres e de amar.

É muito complicado enumerar todos os benefícios que um abraço pode nos oferecer, por existem inúmeros. Assim, de uma forma geral, podemos comentar algumas das vantagens dos abraços positivos:

  • Diminuem o estresse.
  • Oferecem segurança e proteção, ou pelo menos transmitem esse sentimento.
  • Ajudam na autoestima.
  • Transmitem energia e fortalecem.
  • Melhoram as relações interpessoais.
  • Dão a sensação de tranquilidade.
Idosos se abraçando

Os abraços, um carinho da alma

Diz-se que cada vez que abraçamos alguém com gosto, ganhamos um dia de vida. “Paulo Coelho”

Abraçar é aprofundar as raízes do afeto. Grande parte de nossas lembranças mais significativas contêm abraços, pois nesses momentos os abraços nos reconfortaram. Assim, abraçar é uma maravilhosa forma de dar amor aos que nos rodeiam e acariciar suas almas.

Muitas vezes os abraços são a melhor terapia, pois nos fazem sentir renovados e merecedores de amor. Cada abraço tem uma linguagem própria, o que faz com que seja a forma mais curta de nos comunicarmos com quem amamos.

Ou seja, por meio dos abraços dizemos mais do que com palavras. Fundir nossos corpos nos enche de alegria e nos transmite uma paz característica que nos relaxa muito.

Os abraços são uma fonte verdadeiramente confiável de comunicação empática que fazem com que possamos entender melhor como nos sentimos e como os outros se sentem, podendo assim mostrar nosso amor e nosso apoio.