Transtorno de ansiedade por separação: causas e tratamento

· 14 de março de 2017
Se suspeitarmos que nosso filho tem um transtorno de ansiedade por separação, devemos consultar um especialista para que nos dê as instruções adequadas e nunca tentar tratar o problema por nossa conta.

O transtorno de ansiedade por separação é algo muito comum no desenvolvimento infantil.

Aparece, normalmente, nos bebês entre 8 e 12 meses de idade, e pode desaparecer por volta dos 24 meses. Algumas crianças têm sintomas de ansiedade por separação durante a escola primária e a adolescência.

  • Esta desordem pode ser um indicativo do estado de ânimo geral e de problemas de saúde mental.
  • Cerca de um terço das crianças com esta desordem afetiva estacional serão diagnosticadas com uma doença mental na idade adulta.
  • Aproximadamente metade das referências de saúde mental são detectadas por suspeita deste transtorno.

A que sintomas devemos prestar atenção?

Os sintomas do transtorno de ansiedade por separação se produzem quando uma criança é separada dos pais ou cuidadores e até pelo medo de ser separado.

Dentre os sintomas, você deve prestar atenção nos seguintes:

  • Apegar-se demais aos pais.
  • Chorar severa e excessivamente.
  • Negar-se a fazer coisas que impliquem se afastar.
  • Doenças físicas, tais como dores de cabeça ou vômitos.
  • Comportamento violento e birras constantes.
  • Negam-se a ir à escola.
  • Baixo rendimento escolar.
  • Não interagem com outras crianças de maneira saudável.
  • Negam-se a dormir sozinhas.
  • Pesadelos constantes.

Recomendamos ler: As carências afetivas afetam o desenvolvimento das crianças

Fatores de risco que poderiam ocasionar o transtorno de ansiedade por separação

Bebê com transtorno de ansiedade

É muito mais provável que esse transtorno se desenvolva em crianças quando existem as seguintes características:

  • Antecedentes familiares de depressão ou ansiedade.
  • Personalidade tímida.
  • Baixo nível sócio-econômico.
  • Pais super protetores.
  • Falta de interação adequada com os pais.
  • Problemas relacionais com crianças de sua mesma idade.

O transtorno de ansiedade por separação também pode se apresentar depois de eventos estressantes em sua vida, por exemplo:

  • Mudança para um novo lar.
  • Escolas de intercâmbio.
  • Divórcio de seus pais.
  • Morte de algum familiar ou amigo próximo.

Como se diagnostica o transtorno de ansiedade por separação?

Se você acha que seu filho apresenta três ou mais desses sintomas, pode ser que esteja sofrendo com esse transtorno.

Existem dois métodos que podem ajudar você com a situação de uma maneira positiva.

A terapia poderia ser considerada o tratamento mais eficaz. A terapia cognitivo-comportamental, em particular, encarrega-se de ensinar às crianças técnicas para lidar com a ansiedade, como a respiração profunda e o relaxamento.

Por outro lado, a terapia de interação entre pais e filhos é outra maneira de tratar o transtorno de ansiedade por separação. No que diz respeito aos pais, pode ser dividida nas seguintes três fases principais do tratamento:

1. Interação direta com as crianças

Esta etapa foca na melhora da qualidade do relacionamento entre pais e filhos. Trata-se de proporcionar ao pequeno aconchego, atenção e elogios. Isso lhe permite ajudar a fortalecer o sentimento de segurança em seu filho.

2. Interação direta com os pais

Esta etapa educa os pais sobre por que seu filho se sente ansioso.

O terapeuta da criança deve desenvolver uma escala de valores que mostre as situações que provocam sentimentos de ansiedade e estabelecer recompensas em relação às reações positivas.

3. Interação dirigida entre os pais

A função desta etapa é ensinar os pais a se comunicar claramente com seus filhos. Isso ajuda, fundamentalmente, a aprender a controlar o mau comportamento dos filhos.

Outra das chaves que há que levar em conta é o ambiente escolar. Seu filho precisa de um lugar seguro em que possa ir quando sentir ansiedade.

Também deve haver um modo com o qual seu filho possa se comunicar com você durante o horário escolar ou em outras ocasiões em que se encontre fora de casa.

Ainda assim, o professor de seu filho deve fomentar a interação entre colegas de classe.

Não existe um medicamento específico para o transtorno de ansiedade por separação.

Ainda que possam ser receitados antidepressivos para crianças maiores com este problema, isso deve ser supervisionado por especialistas a todo momento, já que podem provocar efeitos secundários.

O transtorno de ansiedade por separação tem efeitos no ambiente familiar?

Mão com bebê com transtorno de ansiedade

É claro que o desenvolvimento emocional e social também se vê afetado por este transtorno. Pode fazer com que seu filho deixe de ter experiências cruciais para um desenvolvimento normal.

O transtorno pode afetar a vida familiar de várias maneiras:

  • Pode influir em atividades familiares que estão limitadas pelos comportamentos negativos.
  • Os pais com pouco ou tempo nenhum para si mesmos e para a relação entre si podem causar frustrações para a criança.
  • Os irmãos de uma criança com este transtorno podem sentir ciúme de toda a atenção que ela recebe.

Lembre-se de que é fundamental trabalhar sempre de mãos dadas com especialistas para solucionar corretamente o problema. O transtorno de ansiedade por separação é um problema que requer uma série de cuidados especiais.

Veja também: Você tem estresse ou transtorno de ansiedade?

Por isso, não é recomendado sob nenhuma circunstância decidir tratá-lo com seus próprios meios. O melhor é seguir os conselhos de especialistas e utilizar essas informações apenas como um guia.

Apenas um especialista poderá diagnosticar se seu filho sofre com este transtorno ou com qualquer outro.