6 erros que destroem as relações familiares: evite-os

· 18 de novembro de 2016
Não podemos esquecer que nossos pais e irmãos são os únicos que estarão sempre ao nosso lado, aconteça o que acontecer. Por isso, devemos aprender a fortalecer as relações.

Seu núcleo familiar deve ser a sua principal fonte de amor, compreensão, aceitação e apoio. Infelizmente, existem muitas relações familiares que falham de maneira desastrosa.

Isso pode fazer com que a união familiar se dissipe e com que nada seja confortável.

Para saber qual o motivo, o primeiro a fazer é compreender a raiz do problema. Em seguida, poderá procurar as possíveis soluções.

A seguir, explicaremos 6 coisas que podem destruir as relações familiares sem que perceba.

Fatores que prejudicam as relações familiares

1. Insultos e críticas

casal_discutindo_briga

As palavras têm peso e, ainda que não pareça, podem causar muitos danos e marcar as pessoas por toda a vida.

Sua família é uma fonte de apoio, mas as palavras negativas prejudicam o núcleo das relações familiares.

Existem ocasiões em que, por causa de uma discussão acalorada, você diz coisas de maneira casual que os outros podem deixar passar por alto, pois foi algo apenas de momento.

O problema é que isso faz com que se abram brechas nas relações familiares.

É importante evitar essas situações, porque precisam de muito tempo para serem reparadas. É melhor se apegar ao ditado: “Se não tiver nada de bom para dizer, não diga nada”.

Se existe algo que tenha que dizer, é melhor que o fale de maneira serena e com a finalidade de ser construtivo, e não agredindo os outros.

Veja também: 5 maneiras de conter relações tóxicas na família

2. A fofoca

A fofoca, em todos os casos, é muito prejudicial. Geralmente aparece quando você está incomodado por algo que tem a ver com a pessoa sobre a qual se está falando.

Isso pode lhe fazer sentir melhor temporariamente, mas não resolve o problema. Pelo contrário, faz com que a pessoa sobre a qual você inventa coisas comece a desconfiar de você.

Pode ser que, ao existirem fofocas, os demais membros da família tomem partido do problema e escolham um lado ao qual apoiar.

Isso gera apenas mais divisão nas relações familiares. O recomendável é que fale em particular com quem tenha alguma diferença de opinião e valores.

Converse calmamente sobre os temas que geram tensão, as razões e possíveis soluções para que haja uma reconciliação.

Se conseguir fazer isso bem, poderá fortalecer a relação.

3. A falta de inclusão

A inclusão dos membros é essencial para a unidade da família em si.

É importante incluir cada familiar nas decisões, mesmo sabendo que poderiam se negar, já que, assim, faz com que se sintam parte importante da família.

Quando você isola um membro da família, ele pode começar a abrigar sentimentos de inferioridade e ressentimento em seu coração.

Por exemplo, se você organiza uma viagem, festa, atividade, seja o que for, e convida a todos os membros de sua família, é decisão deles participar ou não.

O fundamental nas relações familiares é contribuir para que todos se sintam importantes. No fim das contas, uma família sem seus membros não é uma família.

4. A falsidade e as mentiras

infidelidade

A falsidade em qualquer relacionamento é destrutiva. Às vezes podem se passar anos, e até gerações, para que uma mentira termine se revelando.

Tenha como certo que a verdade sempre prevalece e aparece.

Se não puder ser honesto com sua família, então, com quem? Mentir para a família ou até esconder coisas pequenas leva a uma ruptura das relações familiares. Isso porque a confiança é quebrada.

Quanto maior for a mentira, maior pode ser o dano. Lembre-se de que suas ações têm consequências, tanto para você quanto para os que o rodeiam.

Por isso, é melhor reconhecer seus erros e trabalhar em conjunto com sua família para repará-los. Ser honesto demonstra que você os respeita.

5. A falta de aceitação das diferenças

Enquanto você é criança, é natural que viva sob as normas de seus pais. Tanto seus irmãos quanto você recebem a mesma disciplina e orientação. Isso não significa que sejam cópias exatas uns dos outros.

O fato de viver sob o mesmo teto não significa que tenha que compartilhar os mesmos pontos de vista, como os aspectos políticos ou até religiosos, por exemplo.

Você deve ter a capacidade de aceitar as opiniões, gostos e preferências dos demais membros da família.

Se você decide constantemente entrar em conflito porque existem diferenças, então só vai prejudicar suas relações familiares.

Aceitar as pessoas como são é uma das muitas formas de amor que existem.

6. Não perdoar ou não pedir perdão

pai_filhos_abraco

As desculpas sinceras são a “cola” mais forte das relações familiares. Ninguém é perfeito e é normal que até nas melhores famílias existam discussões.

Uma expressão tão simples como “sinto muito por…” pode criar vínculos familiares fortes.

A mensagem que você envia quando se desculpa é que essa pessoa é importante e que você não deseja que existam ressentimentos entre vocês.

Recomendamos ler: 5 passos para perdoar e seguir em frente

É importante recordar que na família, os membros precisam uns dos outros.

Além disso, guardar rancor só causa mal. Por isso, é importante aprender a perdoar e pedir perdão para fortalecer as relações familiares.

  • BERESFORD, L. (2017). Como se libertar das relações tóxicas
  • Simionato-Tozo, S. M. P., & Biasoli-Alves, Z. M. M. (1998). O cotidiano e as relações familiares em duas gerações. Paidéia (Ribeirão Preto)8(14-15), 137-150.
  • Schabbel, C. (2005). Relações familiares na separação conjugal: contribuições da mediação. Psicologia: teoria e prática7(1).
  • Bernardy, C. C. F., & de Oliveira, M. L. F. (2010). O papel das relações familiares na iniciação ao uso de drogas de abuso por jovens institucionalizados. Revista da Escola de Enfermagem da USP44(1), 11-17.
  • Szelbracikowski, A. C., & Dessen, M. A. (2007). Problemas de comportamento exteriorizado e as relações familiares: revisão de literatura. Psicologia em estudo12(1), 33-40.