Tipos de drenos cirúrgicos e cuidados

Os drenos cirúrgicos podem promover a cicatrização de feridas e reduzir complicações pós-operatórias. No entanto, eles também aumentam o risco de infecção.
Tipos de drenos cirúrgicos e cuidados

Última atualização: 28 dezembro, 2021

Os drenos cirúrgicos são dispositivos amplamente utilizados na medicina. Eles servem para drenar fluidos de quase qualquer parte do corpo do paciente. Desta forma eles evitam que as referidas substâncias exerçam pressão sobre o local onde foi realizada a cirurgia.

Por exemplo, eles são usados em cirurgias de aumento de mama ou em procedimentos relacionados à cavidade abdominal. Eles devem ser colocados e removidos com cuidado. Além disso, podem provocar infecções ou desconforto ao paciente. 

O que são drenos cirúrgicos?

Os drenos cirúrgicos são usados com muita frequência. Esses são dispositivos que permitem evacuar fluidos como sangue, pus ou gás do local onde foi realizada a cirurgia.

A razão pela qual esses fluidos precisam ser removidos é que, do contrário, eles se acumulam e pressionam as estruturas vizinhas, podendo danificar vasos e nervos. Além disso esse acúmulo provoca dor e retarda a cura.

De acordo com uma publicação da Revista Electrónica de Portales Médicos, os drenos cirúrgicos são tubos conectados a um recipiente fechado. Esse recipiente tem uma pressão negativa que faz com que os fluidos tenham uma propensão em sair na direção dele.

A verdade é que os drenos cirúrgicos costumam ser muito benéficos em certas cirurgias. Eles reduzem o desconforto pós-operatório e permitem que as feridas cicatrizem mais facilmente. No entanto, eles devem ser escolhidos com precisão.

Classificação dos drenos cirúrgicos

Os drenos cirúrgicos podem ser classificados de acordo com diferentes características. Em primeiro lugar é importante destacar que eles podem ser profiláticos ou terapêuticos. Os profiláticos são usados preventivamente, ou seja, são colocados de forma a evitar o acúmulo de fluidos.

Os terapêuticos, por outro lado, são colocados quando o acúmulo de líquido já está formado. Nas seções a seguir explicaremos outros aspectos que permitem a classificação.

Dreno cirúrgico para cirurgia.
Os drenos são colocados durante as cirurgias para permitir uma melhor cicatrização da ferida.

Abertos ou fechados

Os drenos cirúrgicos podem ser abertos ou fechados. Os abertos drenam o líquido diretamente para uma gaze ou bolsa. Os fechados são semelhantes aos que descrevemos na introdução: são feitos de tubos que drenam para um recipiente, como uma bolsa ou garrafa.

Ativos ou passivos

Conforme explicado em um artigo da Patient Info, os drenos cirúrgicos são classificados como passivos ou ativos. Os ativos funcionam graças a um sistema de sucção, que estimula a saída do fluido.

Já os passivos não requerem energia. Eles atuam por diferença de pressão entre a cavidade e o recipiente, ou por gravidade.

De acordo com o material

Os drenos cirúrgicos podem ser feitos de diferentes materiais. Estes são escolhidos de acordo com o local onde serão colocados e o tecido circundante. Em geral, se distinguem os de borracha e os de Silastic ®.

Principais tipos de drenos cirúrgicos

Atualmente existem vários tipos de drenos cirúrgicos. Cada um deles apresenta uma série de características que os tornam mais adequados para uma intervenção ou outra. Nas seções a seguir explicaremos quais são os principais.

Drenos cirúrgicos de gaze

São uma espécie de drenagem formada por uma tira de gaze, que é colocada enrolada, com uma extremidade na ferida e a outra do lado de fora. Este dreno atua por capilaridade, fazendo com que o fluido escoe para fora.

Dreno de Penrose

Este tipo de dreno consiste em um tubo de borracha, ligeiramente achatado e fino. Assim como o anterior, também atua por capilaridade.

Geralmente ele é colocado através de uma pequena incisão na pele no final da cirurgia. Para que o dreno seja fixado é necessário fazer uma pequena sutura.

Dreno de Redon

Os drenos cirúrgicos Redon são do tipo ativo. Eles consistem em um tubo flexível que tem orifícios em diversos pontos. Sua extremidade externa está ligada a um recipiente de pressão negativa que aspira os fluidos.

Drenos Jackson Pratt e Blake

Os drenos Jackson Pratt também são do tipo aspirativo. Trata-se de um tubo de silicone branco, cuja extremidade inicial é ligeiramente achatada.

A extremidade externa é circular e se conecta a um recipiente tipo pera, assim como o Redon. O dreno de Blake é semelhante a ele, no entanto, possui uma extremidade redonda e multi-perfurada.

Dreno de Kehr

Os drenos cirúrgicos do tipo Kehr são frequentemente usados em cirurgias abdominais. Especificamente nos procedimentos relacionados ao ducto hepático ou ao ducto biliar comum. Eles ajudam a evitar que a bile se acumule e aumente a pressão no local.

Este tipo de drenagem atua por gravidade. Trata-se de um tubo macio que se conecta a um sistema fechado. Desta forma, é imprescindível que ele seja posicionado abaixo do paciente, por exemplo, ao pé da cama. O tubo tem uma forma de T.

Dreno Saratoga

Esse tipo de drenagem é um dos mais utilizados em feridas infectadas. Ele também é usado quando grandes quantidades de fluidos precisam ser drenadas. Consiste em um tubo de silicone multi-perfurado que se conecta a um sistema de aspiração.

Outros tipos

O dreno Pleur-Evac ® é um dos mais conhecidos. A razão para isso é que ele é o mais usado em cirurgias torácicas, permitindo que os fluidos que se acumulam no espaço pleural sejam drenados.

Também é importante destacar os drenos de Abramson e o pig tail. O primeiro é usado para aspirar e irrigar a área ao mesmo tempo, e o segundo para acúmulos de urina.

Quando os drenos cirúrgicos são necessários?

Existem certas patologias e intervenções para as quais os drenos cirúrgicos são especialmente indicados. Uma das principais aplicações são as cirurgias radicais.

Essas são intervenções nas quais ocorrem grandes ressecções de tecidos. Por isso é comum uma grande perda de fluido linfático e sangue.

Os abcessos também exigem drenos cirúrgicos. Eles são acúmulos circunscritos de fluidos que surgem a partir de uma infecção. Da mesma forma, esses dispositivos são frequentemente colocados em ferimentos provocados por traumatismos.

Por fim, eles costumam ser colocados profilaticamente em cirurgias gerais, especialmente naquelas em que existe um alto risco de sangramento ou superinfecção posterior.

Cirurgia.
Muitas cirurgias exigem a colocação de um dreno para evitar o acúmulo de líquidos e prevenir infecções.

Possíveis complicações

Os drenos cirúrgicos apenas devem ser usados quando for realmente necessário. A razão para isso é que, embora apresentem benefícios significativos eles também trazem riscos, costumam ser incômodos para o paciente e tendem a imobilizá-lo, devido ao volume do dispositivo.

Além disso, o uso de drenos cirúrgicos está associado a infecções frequentes. De fato, quando eles entopem por qualquer motivo o risco de infecção aumenta exponencialmente.

Como os drenos cirúrgicos são retirados?

A remoção de um dreno cirúrgico pode ser desconfortável e até dolorosa para o paciente. Para retirá-lo é aconselhável acalmar o paciente e administrar algum analgésico.

Geralmente eles são removidos quando o líquido drenado não chega a 25 mililitros por dia. No entanto, o tempo médio de permanência é variável. Por exemplo, em alguns casos o uso pode durar até uma semana.

De qualquer forma, é recomendável retirá-los o mais rápido possível para reduzir o risco de infecções. Para isso é necessário remover os pontos, se houverem. Puxar o tubo geralmente é suficiente.

Sempre que um dreno é colocado, o monitoramento contínuo do mesmo é recomendado. A ajuda de enfermeiras e médicos é essencial para evitar complicações.

This might interest you...
Cirurgia para a exostose: quando operar?
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Cirurgia para a exostose: quando operar?

A cirurgia para a exostose do canal auditivo externo é indicada nos casos em que há um fechamento total ou quase total do mesmo. Saiba mais aqui!