Mitos sobre as cirurgias nos seios

Há uma série de mitos sobre as cirurgias nos seios que se espalharam. Também há crenças populares que são verdadeiras. Por isso, é necessário examinar a validade das afirmações mais frequentes sobre esse tipo de cirurgia.
Mitos sobre as cirurgias nos seios

Última atualização: 12 Abril, 2021

Atualmente, existem muitos mitos sobre as cirurgias nos seios. Talvez seja porque elas estão entre os procedimentos mais amplamente praticados no mundo. Isso também faz com que alguns casos excepcionais se tornem referências.

As cirurgias estéticas que podem ser realizadas nas mamas são muito variadas. Incluem aumento, redução, elevação e reconstrução da mama, entre outras. 

A verdade é que a ciência avançou muito nesse tipo de cirurgia. Atualmente, elas podem ser realizadas de forma segura, desde que sejam praticadas por profissionais capacitados e nas condições adequadas. Por isso, é importante derrubar esses mitos sobre as operações nos seios que circulam diariamente.

Cirurgias nos seios

Na maioria das vezes, as cirurgias nos seios são realizadas para atingir uma imagem mais simétrica. O segundo motivo mais comum é a reconstrução, após ter sofrido a perda de uma ou ambas as mamas, ou porque o busto sofreu alterações devido à amamentação, idade ou perda de peso.

Este procedimento cirúrgico pode ser realizado de várias maneiras. Uma das mais frequentes é a introdução de um implante pela borda inferior da aréola. Muito mais comum é a entrada do implante pela dobra da axila ou pela dobra inferior da mama. Às vezes, isso também é feito através do umbigo.

As próteses utilizadas são bolsas contendo silicone ou gel adesivo. Os implantes feitos pelo umbigo contêm uma solução salina. Esse tipo de cirurgia é ambulatorial e raramente causa complicações.

Principais mitos sobre as cirurgias nos seios

Embora seja um procedimento seguro e realizado de forma rotineira, ainda existem muitos mitos sobre as cirurgias nos seios. Alguns dos mais difundidos são os seguintes:

  • Esta cirurgia afeta a sensibilidade das mamas: isso é totalmente falso. A sensibilidade nas mamas é causada pelos nervos intercostais, que entram na glândula mamária pelas costas. A perda de sensibilidade só ocorreria se algum nervo fosse lesionado durante a cirurgia.

É verdade que, logo após a operação, ocorre uma afetação na região inferior da mama. Isso altera a sensibilidade, mas com o passar do tempo tudo volta ao normal. É simplesmente um efeito pós-operatório.

  • Pode haver rejeição dos implantes: isso também é totalmente falso. Os implantes são totalmente neutros e, portanto, não geram esse tipo de reação no organismo. Às vezes, o que ocorre é uma contratura ao redor do implante, o que não é uma rejeição. Isso ocorre entre 2-3% dos casos.

Os implantes colocados por profissionais credenciados seguem rígidos padrões de biossegurança, daí a confiança que pode ser depositada neles. É claro que o cenário é diferente quando a origem é desconhecida ou a cirurgia não é realizada com profissionais sérios.

Outros mitos infundados

Embora os mencionados acima sejam os mitos mais difundidos sobre as cirurgias nos seios, não são os únicos. Estas são outras crenças equivocadas:

  • Os implantes impedem a amamentação: isso é falso. A cirurgia de mama não atinge a glândula mamária e, portanto, não interfere em nada na amamentação.
  • As próteses podem causar câncer: isso também é falso. Inclusive, as mulheres com implantes desenvolvem câncer com menos frequência, uma vez que os nódulos são mais detectáveis ​​nelas.
  • As próteses fazem mal à saúde: não há estudos, nem evidências, de que isso seja verdade. 
  • Implantes salinos são melhores do que os implantes de silicone: isso não é verdade. O médico é quem determina qual dos dois usar de acordo com cada caso específico.

Verdades que não são mitos

Assim como existem mitos sobre as cirurgias nos seios, também existem crenças amplamente difundidas que têm um pouco ou muito de verdade. Estas são as principais:

  • Quanto maior o implante, maior o risco de complicações: isso é verdade em muitos casos. Implantes grandes têm um maior potencial de gerar contraturas capsulares ou dobras na pele.
  • É possível notar a presença das próteses: apenas ligeiramente, mas elas são perceptíveis, especialmente se forem apalpadas.
  • A aparência do seio muda com o tempo: isso é verdade em muitas ocasiões. Se o implante for muito grande, pode esticar a pele e fazer com que o seio pareça caído.
  • Essas cirurgias exigem consultas mais frequentes com o médico: é verdade. É importante fazer pelo menos uma consulta anual para verificar se o implante permanece intacto.  
Pode interessar a você...
Cirurgia estética genital: labioplastia ou ninfoplastia
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Cirurgia estética genital: labioplastia ou ninfoplastia

A cirurgia estética genital é cada vez mais difundida. Em que casos é realizada e quais são os resultados? Nós nos aprofundamos neste assunto.



  • Gordillo Álvarez, I., & Ramírez Alvarado, M. D. M. (2007). Escultores de cuerpos: cirugías estéticas y realities televisivos. In IV Congreso Internacional Comunicación y Realidad (pp. 861-872). Trípodos.