6 sinais de desrespeito em um relacionamento e como corrigir esse problema

A falta de respeito entre o casal deteriora o vínculo e provoca um grande dano emocional aos membros. Descubra com esses sinais se o desrespeito está presente no seu relacionamento.
6 sinais de desrespeito em um relacionamento e como corrigir esse problema

Última atualização: 22 março, 2022

Os relacionamentos devem ser um lugar seguro para os seus integrantes, paraísos onde eles se sintam amados, apoiados e validados. Caso não atenda a esse objetivo, o vínculo se torna prejudicial e acaba atrapalhando ao invés de contribuir para a vida de ambos. Por isso é importante que aprendamos a detectar os sinais de desrespeito em um relacionamento e que estejamos dispostos a agir para solucionar esse problema.

O desrespeito nem sempre é tão visível quanto a violência ou a infidelidade. Às vezes esses comportamentos se disfarçam nas situações cotidianas, sendo manifestado como indiferença, crítica ou controle.

Por isso tendemos a ignorar, minimizar e justificar esses comportamentos. No entanto, não existe lugar para eles em uma relação saudável. Sua presença pode causar danos à autoestima que levarão anos para serem reparados. Assim, é fundamental interromper essa situação a tempo.

Sinais de desrespeito em um relacionamento que não devem ser ignorados

Como já comentamos, é importante não justificar o nosso desrespeito ou do nosso parceiro sob nenhuma circunstância. Não importa se estamos cansados ou estressados, se temos um temperamento forte ou estamos passando por uma fase difícil como casal.

Nenhum desses motivos nos dão o direito de ofender o outro. Preste atenção aos seguintes sinais de desrespeito em um relacionamento, pois eles podem ser uma bandeira vermelha.

Invalidar os seus sentimentos

Todas as suas emoções são válidas e dignas de serem ouvidas. Se o seu parceiro menospreza os seus sentimentos, te acusa de estar exagerando ou sendo histérico ou responde com um gesto exasperado quando você expressa o seu descontentamento, ele está te desrespeitando.

Você tem o direito de expressar o que pensa, sente e deseja. Quem diz que te ama deve estar aberto para ouvir, entender e buscar soluções em conjunto.

Casal que não se escuta e se desrespeita.
Não validar os sentimentos do outro não é uma atitude correta entre o casal. Em vez disso, o relacionamento deve ser um espaço seguro para que ambos se expressem.

Não te leva em consideração ao tomar decisões

Viver a dois não significa abrir mão da individualidade e da liberdade. No entanto, ao manter um relacionamento estável e de longo prazo, ao compartilhar um projeto de vida com outra pessoa é imprescindível consultá-la sobre as decisões importantes.

Se o seu parceiro faz com que você se sinta dispensável e toma medidas relevantes para o futuro sem te levar em consideração, não ignore esta bandeira vermelha.

Existem problemas de comunicação

A comunicação é a base para a resolução de qualquer conflito ou desacordo entre o casal, e também uma das maneiras mais fáceis de detectar sinais de desrespeito em um relacionamento.

Gritos, insultos, desprezo ou sarcasmo são a face mais visível de uma má comunicação, mas a indiferença e o silêncio são igualmente violentos. Nenhum dos extremos pode ser a dinâmica geral entre pessoas que se respeitam.

Ele não passa tempo com você

Apesar das obrigações diárias é importante que os dois integrantes do casal dediquem momentos de qualidade ao parceiro. Uma pessoa que sempre dá desculpas para não estar com o outro, que prefere planos alternativos ou que, quando está junto com a outra fica olhando para o celular, está desrespeitando esse ser humano e o vínculo compartilhado com ele.

Não respeita o seu tempo ou espaço

Não passar tempo com o seu parceiro é tão prejudicial quanto tentar absorvê-lo completamente. Seu parceiro deve respeitar o tempo que você dedica à sua carreira, família, amigos e a si mesmo, e não tentar te coagir ou fazer com que você se sinta culpado por isso. O desenvolvimento individual é necessário e benéfico para a saúde do relacionamento.

Críticas constantes e dolorosas

Seu parceiro critica as pessoas que você ama, minimiza as suas realizações e zomba dos seus sonhos? Embora isso seja feito em tom humorístico, essas atitudes são inadmissíveis e mostram uma grande falta de respeito.

O mesmo acontece se você recebe críticas constantes pela maneira como age, pensa ou sente. Isso pode ser claro e direto ou disfarçado de sarcasmo, em público ou de forma privada. De qualquer forma, estes são grandes sinais de desrespeito em um relacionamento.

Por que acontecem sinais de desrespeito em um relacionamento?

Não existe uma razão única para que o desrespeito se torne uma constante na dinâmica do casal. Em alguns casos, com o passar do tempo os sentimentos se transformam e a falta de comprometimento ou motivação da pessoa a leva a agir dessa forma. Ela para de tentar cultivar o vínculo e acaba tendo atitudes inadequadas.

No entanto, em outros casos esse tipo de comportamento pode estar presente desde o início. Eles geralmente estão relacionados aos valores e crenças de seus integrantes.

Os modelos de relacionamento que vimos durante a infância, os mitos do amor romântico que presumimos serem verdadeiros e outros elementos culturais podem nos levar a pensar que essa forma de relacionamento é natural e aceitável. Certas deficiências pessoais como falta de inteligência emocional, um baixa habilidade social e um estilo de apego inseguro também podem nos levar a cometer ou suportar esse tipo de atitudes.

Falta de respeito entre o casal.
Não existe nenhum motivo para o desrespeito entre o casal. O problema é a frequência e uma duração longa de forma constante.

Como lidar com os sinais de desrespeito em um relacionamento?

Se você detectou que o desrespeito está presente no seu relacionamento, certamente está se questionando sobre o que pode fazer a respeito. Na verdade o que você deve se perguntar é se o seu parceiro está ciente de que as atitudes dele são inadequadas, além de reconhecer e assumir a responsabilidade que lhe cabe.

Caso contrário, se ele não estiver disposto a trabalhar para mudar essa dinâmica, a melhor coisa a ser feita por si mesmo é se proteger e terminar o relacionamento. No entanto, se ambos estiverem dispostos a corrigir esta situação prejudicial, existem algumas diretrizes fundamentais que resumiremos a seguir:

  • Ambos devem realizar trabalhos pessoais (de preferência com acompanhamento profissional) para curar estilos de apego inadequados, medos, crenças e limitações que podem estar interferindo no relacionamento.
  • Adquirir técnicas de regulação emocional para poder dominar palavras e decisões e não agir de forma automática. Aprender a controlar as emoções nos impede de reagir de uma forma pela qual possamos nos arrepender mais tarde.
  • A assertividade e as habilidades sociais são os grandes segredos para acabar com o desrespeito. Ambos devem aprender a expressar as próprias opiniões, sentimentos e pedidos com respeito, e também firmeza. Ao mesmo tempo, ouvir as necessidades do outro com uma intenção verdadeira de compreendê-las.

Em última análise, o respeito e a aceitação profunda do outro são as bases para um relacionamento saudável e duradouro. Portanto, não justifique o desrespeito, não apoie essa situação por medo de perder o seu parceiro. A prioridade deve ser sempre cuidar de si mesmo.

This might interest you...
As 5 chaves do respeito entre um casal
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
As 5 chaves do respeito entre um casal

O respeito e a confiança, juntamente com o amor, formam a base de um relacionamento amoroso. Confira como anda esse valor na sua relação.



  • Blázquez Alonso, M., Moreno Manso, J. M., & García-Baamonde Sánchez, M. E. (2009). Inteligencia emocional como alternativa para la prevención del maltrato psicológico en la pareja. Anales de Psicología / Annals of Psychology25(2), 250–260. Recuperado a partir de https://revistas.um.es/analesps/article/view/87541
  • Capafóns, J. I., & Sosa, C. D. (2015). Relaciones de pareja y habilidades sociales: el respeto interpersonal. Behavioral Psychology/Psicología Conductual23(1).
  • Cuervo, J. J. (2013). Parejas viables que perduran en el tiempo. Diversitas9(2), 257-270.