O que é mais saudável: comida quente ou fria?

Nos preocupamos muito com quais são os alimentos mais saudáveis ​​em nossa dieta e em que quantidades devemos comê-los. Porém, normalmente não questionamos a importância que a temperatura dos alimentos pode ter para a nossa saúde. 
O que é mais saudável: comida quente ou fria?

Última atualização: 20 Dezembro, 2020

O que é mais saudável: a comida quente ou fria? Esta questão surge quando precisamos trocar as deliciosas sopas quentes do outono pelos pratos frios do verão ou vice-versa. No entanto, os mitos que cercam o assunto nos confundem. Portanto, queremos abordá-lo em detalhes neste artigo.

A comida quente ajuda a digerir os alimentos

Você sabe por que é aconselhável comer ou beber algo quente mesmo no verão? A resposta é muito simples: alimentos e líquidos quentes favorecem a digestão. Isso é afirmado em um artigo publicado no Journal of the Science of Food and Agriculture.

Para que o estômago e os intestinos funcionem bem, é bom que estejam à mesma temperatura do corpo. Isso equivale a aproximadamente 37 graus.

Portanto, parece lógico pensar que ingerir alimentos quentes ou mornos facilita o processo de digestão. Dessa forma, o estômago não precisa fazer nenhum esforço extra para atingir a temperatura certa antes de começar a trabalhar.

Portanto, comer alimentos quentes parece ser uma boa opção para pessoas que sofrem de problemas digestivos ou digestão lenta. Além disso, como acontece com os alimentos picantes, a comida quente também é uma boa maneira de se aquecer.

A temperatura aumenta a absorção de alguns nutrientes

Mulher cozinhando
A temperatura certa dos alimentos pode aumentar a disponibilidade de alguns nutrientes, como os compostos antioxidantes do tomate e da cenoura.

 

Outro aspecto que devemos ter em conta ao escolher entre comida quente ou fria é como a temperatura afeta os nutrientes dos alimentos. Em alguns casos, a temperatura pode favorecer a acessibilidade e absorção de alguns nutrientes. Por este motivo, é interessante cozinhar determinados alimentos antes de consumi-los:

  • Os ovos crus dificultam a digestão de proteínas.
  • Tomates e cenouras cozidos aumentam a disponibilidade de seus componentes antioxidantes, como o licopeno e o betacaroteno.
  • O brócolis cozido melhora a ação dos glucosinolatos.

Perda de nutrientes

Ao contrário do que foi visto antes, outras vezes, cozinhar alimentos pode levar a uma perda significativa de nutrientes. Isso acontece, sobretudo, com as vitaminas hidrossolúveis, como a vitamina C e as vitaminas do complexo B, que são muito sensíveis ao calor.

A principal fonte dessas vitaminas em nossa dieta são as frutas e os vegetais, que podem ser comidos crus sem nenhum problema. Por isso, é aconselhável incluir saladas e frutas frescas em nossa rotina diária.

Já vimos que se acompanharmos um prato frio com um segundo alimento ou bebida quente, o estômago também conseguirá atingir a temperatura ideal para funcionar. Se for difícil para nós comer alimentos muito frios, podemos retirá-los da geladeira um pouco antes para que fiquem um pouco mais aquecidos.

No caso dos vegetais que não podem ser consumidos crus, o mais indicado será cozinhar no vapor, no forno ou em um refogado rápido. Apenas o tempo mínimo para que fiquem al dente.

Comida quente ou fria para prevenir intoxicações

Peixe assado
Devemos cozinhar muito bem alimentos como peixes, ovos e carnes para eliminar possíveis microrganismos patogênicos.

A segurança alimentar também é importante quando preparamos as refeições, que é quando podemos correr os maiores riscos. Com um bom controle das temperaturas de cozimento, podemos evitar muitos problemas de saúde que podem se tornar relevantes.

O crescimento bacteriano está diretamente relacionado à temperatura. Ao aplicar calor, podemos eliminar a maioria dos patógenos. Por isso, recomenda-se cozinhar muito bem os alimentos mais sensíveis (carne, ovo e peixe).

Da mesma forma, devemos nos certificar de que nenhuma porção dos alimentos fique crua ou mal passada. Depois de cozidos, devemos consumi-los no menor tempo possível ou mantê-los acima de 65 graus. Se quisermos comê-los frios, é importante manter os padrões adequados de cozimento e armazenamento refrigerado.

O sabor da comida quente é melhor

Percebemos o sabor dos alimentos na língua graças às papilas gustativas. A temperatura dos alimentos entre 20 e 37 graus favorece a percepção dos sabores. Além disso, às vezes, ao esquentar o alimento, o seu sabor se intensifica e a sua textura fica mais macia.

Pelo contrário, quando comemos comida muito fria, temos que deixá-la um pouco na boca para apreciar melhor o seu sabor. No entanto, devemos ter cuidado com alimentos muito quentes. 

Por um lado, tendemos a rejeitá-los para evitar queimar as nossas línguas, e por outro, a ingestão contínua de alimentos muito quentes pode favorecer o aparecimento de problemas no esôfago e no estômago, segundo um estudo publicado na revista “Medicine.

Como indica a Agencia de Investigación del Cáncer“as bebidas muito quentes (acima de 65 graus) são classificadas como possíveis carcinogênicos". Essa conclusão surgiu após a revisão de cerca de 1.000 estudos que investigavam a ingestão de bebidas quentes e a sua possível conexão com o câncer.

Embora possamos pensar que o sabor dos alimentos não os tornará opções mais ou menos saudáveis, é muito importante saber saborear a comida. Além das quantidades, nutrientes ou da absorção, a comida também tem muito a ver com emoções e bem-estar.

Mastigar devagar e desfrutar de cada mordida vai transformar a nossa comida quente ou fria em um ato de prazer e alegria. E isso, embora possa não parecer relevante, também é uma boa aposta para a saúde.

Qual é a melhor opção: comida quente ou fria?

De todas as vantagens e desvantagens dos alimentos quentes ou frios, podemos elaborar as seguintes chaves para fazer uma melhor escolha:

  • Combine pratos quentes e frios em cada refeição, ao longo do ano.
  • Cozinhe os legumes ao vapor, assados ​​ou salteados por um curto período de tempo para minimizar a perda de vitaminas e melhorar a disponibilidade de nutrientes.
  • Cozinhe bem a carne, o peixe e os ovos e coma-os logo depois de prepará-los ou aquecê-los.
  • Devemos cozinhar certos alimentos para que os seus nutrientes possam ser melhor absorvidos. Isso não significa que não possamos comê-los frios.
  • Respeite sempre as condições ideais de armazenamento e lembre-se de que os alimentos mornos ou quentes costumam ter um sabor melhor.
Pode interessar a você...
9 alimentos que não precisam de refrigeração para se conservar
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
9 alimentos que não precisam de refrigeração para se conservar

Ao conservar certos alimentos na geladeira é provável que eles mudem sua textura, por isso é bom saber quais não precisam de refrigeração.



  • Boland M., Human digestion a processing perspective. J Sci Food Agric, 2016.
  • Chai T., Shen Z., Zhang P., Lin Y., et al., Comparison of high risk factors (hot food, hot beverage, alcohol, tobacco, and diet) of esophageal cancer: a protocol for a systematic review and meta analysis. Medicine, 2019.