É ruim remover ou depilar os pelos da região íntima? Descubra!

13 de novembro de 2019
Os pelos pubianos cumprem a função de proteger a área genital contra os agentes patogênicos e agressores externos. É importante também prestar atenção à irritação nesta área do corpo.

Depilar-se ou não… esta é a questão. Existem muitos debates em relação a este tema e por isso várias mulheres não sabem o que fazer. Afinal, é ruim depilar a região íntima? Responderemos a esta pergunta neste artigo!

Devemos deixá-los crescer ou tirar os pelos pubianos em sua totalidade? Algumas mulheres afirmam que os pelos as protegem de doenças, e outras, que se depilam por razões estéticas.

É ruim remover ou depilar os pelos da região íntima? Neste artigo, compartilharemos informações importantes para que você possa tomar a decisão certa para o seu caso.

As funções dos pelos pubianos

Embora nosso corpo não tenha deixado nada ao acaso no momento da criação, muitas mulheres (e cada vez mais homens) decidem barbear-se ou se depilar. Para poder tomar uma decisão em relação à remoção dos pelos pubianos, é necessário estar bem informado.

Depilacao

Para começar, os pelos nessa região cumprem várias funções, entre as quais destacamos:

  • Criam uma barreira para evitar que os vírus e bactérias exteriores causem infecções ou doenças.
  • Permitem que os órgãos genitais femininos estejam sempre a uma temperatura agradável e adequada para garantir o seu funcionamento adequado.
  • Retêm o aroma pessoal (criado pelos ferormônios) que transmitem sinais sexuais para estimular a libido do parceiro.
  • Previnem a irritação da área genital durante o ato sexual, já que o contato com a pele pode causar vermelhidão e incômodo.

Razões para não tirar os pelos da região íntima

Ainda não está totalmente convencida se quer ou não manter os pelos pubianos? Você deveria prestar atenção nos seguintes motivos para entender que o melhor seria deixá-los como estão (ou, simplesmente, cortá-los um pouco).

1. A pele sofre

Pele

Em primeiro lugar, eliminar os pelos pubianos inflama e irrita os folículos. Além disso, pode deixar feridas abertas (que não podem ser vistas a olho nu) incômodas e dolorosas. A depilação constante causa também pelos encravados dolorosos e queimaduras, no caso de usar a cera. Se, em vez disso, se utiliza a lâmina, pode causar cortes.

Também devemos levar em consideração as condições da pele. A psoríase ou eczema podem piorar devido à depilação. Se você sofre de algum desses distúrbios da pele, é melhor consultar um médico para descobrir qual método de remoção de pelos é recomendado para você. Caso contrário, você pode agravar a situação e sofrer muito desconforto ou dor.

2. Acelera a proliferação de bactérias

A depilação com cera quente (também conhecida como sistema espanhol) é uma das mais prejudiciais para a região íntima, já que causa a vermelhidão e o enfraquecimento dos poros.

Quando isso se combina com a umidade e a temperatura na região, converte-se em um local propício para a proliferação de bactérias. E se não houver pelos, não podemos impedir que os microrganismos entrem no nosso corpo!

No entanto, essas alegações, embora sejam baseadas em estudos científicos, também têm detratores. Estes afirmam que é possível realizar uma remoção segura dos pelos pubianos e que não tem porquê levar a nenhum tipo de problema.

O melhor, em caso de dúvida, é perguntar ao seu médico de confiança.

Mais possibilidade de ter herpes

São vários os estudos que demonstram que as mulheres completamente depiladas são mais propensas a ter herpes genital. Quando se raspam ou depilam, causam feridas que expõem o organismo ao vírus que provoca esta doença sexualmente transmissível.

3. Maior possibilidade de ter herpes e HPV

Este estudo realizado entre 2011 e 2012 na França faz uma avaliação negativa da depilação íntima. Mostra que as mulheres depiladas são mais propensas a sofrer de herpes genital. Quando se depilam e causam feridas, o organismo é exposto ao vírus que causa essa doença sexualmente transmissível.

Por outro lado, o papilomavírus humano tem proliferado rapidamente. Esta doença é transmitida em muitos casos sem que as pessoas saibam (porque não apresenta sintomas automáticos) ou devido à falta de informação. No entanto, neste caso, ainda não existem estudos que estabeleçam algum tipo de correlação com a depilação.

Virus

4. As modas são passageiras

Não se esqueça que esse tipo de depilação é uma tendência entre as mulheres e oferece trabalho para muitas clínicas. No entanto, você não precisa fazer isso apenas por moda ou porque acha que, se os outros o fazem, você também deveria.

Se você não se sente confortável ou lhe dói demais, é melhor ficar como está. Sempre é hora de mudar de ideia ou valorizar outras opções.

Além disso, devemos ter em mente que, não por nos depilarmos, aumentaremos nossa higiene. O mau cheiro não tem nada a ver com a quantidade de pelos nos órgãos genitais, mas sim com a higiene pessoal.

Atenção às doenças da pele

A psoríase e os eczemas podem se agravar devido à depilação. Se você sofrer de algum destes transtornos da pele, é melhor consultar um médico para saber qual método ele recomenda para retirar os pelos da região íntima.

Caso contrário, você poderia agravar a situação e sofrer muitos incômodos e dores.

Depilar-se não é mais higiênico

Depilacao-com-lamina

Também não é um afrodisíaco!

É certo que muitas mulheres se sentem mais seguras de si mesmas quando estão depiladas e por isso se sentem melhor no sexo. No entanto, a satisfação íntima vai mais além da quantidade de pelos de cada um.

Também depende muito do parceiro. Muitos homens gostam de mulheres que se depilam por completo, mas também há muitos que as preferem de forma natural, ou seja, com seus atributos intactos.

Conselhos para genitais depilados

Pode ser que nada do que você leu anteriormente a convenceu de não tirar os pelos pubianos porque você se sente muito cômoda sem eles, não há problema! Entretanto, recomendamos alguns bons hábitos para que esta decisão provoque as menores consequências possíveis.

Durante a depilação

  • Comece pouco a pouco: se você nunca tirou os pelos da região íntima, é aconselhável começar aos poucos. Desta maneira, você sofrerá menos dor e efeitos colaterais. Comece cortando com a tesoura e depois passe para a lâmina ou a cera.
Corpo-de-mulher

  • Preste atenção à irritação: Não importa o método que você escolheu para depilar a região íntima, não deixe de lado os efeitos na pele. Se ela estiver muito vermelha, se arder ou incomodar, passe um bom creme hidratante. Fique atenta para possíveis pelos encravados.

Depois da depilação

  • Analise como você se sente: Talvez você tenha tomado a decisão de se depilar por completo porque o seu parceiro pediu, porque você vai para a praia de férias ou porque queria experimentar algo diferente. Compare as suas sensações com as que você tinha quando conservava os pelos.
  • Use calcinhas de algodão: Descarte certos materiais como a lycra. Também não devemos usar roupas muito justas (inclusive as calças). Use saias ou vestidos mais folgados e cuidado com o biquíni.
  • Não tome sol na região depilada: Pode ser que você tenha se depilado por completo porque o seu biquíni é pequeno ou porque o verão começou. No entanto, não é aconselhado que durante os primeiros dias após a depilação, seja ela com lâmina ou com cera, o sol entre em contato com a área. Evite a irritação e a vermelhidão usando um fator de proteção elevado se for à praia ou à piscina.
  • Celis, C., Hernández, I., Herrán, S., Paradas, A., Paredes, O., Vela, L., … Asturias, M. M. (2011). Results of an epidemiological survey about hygiene habits in Latin American women [Resultados de una encuesta epidemiológica de hábitos de higiene íntima en mujeres latinoamericanas]. Revista de Obstetricia y Ginecologia de Venezuela.
  • Sangiorgi, M., Lara, L., Lerri, M., Ferriani, R., & Romão, A. (2017). The Preference of Women and Men Regarding Female Genital Depilation. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia / RBGO Gynecology and Obstetrics. https://doi.org/10.1055/s-0037-1604472