Refrigerante: um verdadeiro risco à saúde

09 Março, 2019
Conheça mais sobre os malefícios do refrigerante para a sua saúde

Todo mundo sabe que consumir o refrigerante faz mal à nossa saúde. Mas será que você sabe o que de fato este consumo ocasiona?

Afinal, mesmo com tantos alertas, ainda é alto o número de vendas desta bebida, sendo a segunda bebida mais consumida no mundo, perdendo apenas para a água.

Alguns contras de consumir refrigerante são a agitação que causa nos consumidores, já que em alguns produtos há a presença de cafeína. E não para por ai…

O consumo frequente pode causar osteoporose, problemas cardíacos, aumento de peso, entre outros.

Saberemos agora os verdadeiros riscos dessa bebida que ao mesmo tempo que é deliciosa, também é perigosa.

Componentes encontrados no refrigerante e alguns sintomas

Encontramos em alguns refrigerantes compostos como sódio, conservantes e corantes. Este último item merece atenção, pois em muitos corantes encontram-se substâncias cancerígenas.

Conheça: 5 benefícios para a saúde de usar pouco sal em sua comida

O consumo da bebida com estes componentes pode ocasionar inchaço nos membros, comprometimento intestinal, desconforto gástrico, retenção de líquidos entre outros.

Glass of soda with straw

Riscos de consumo

  • Ao ingerir refrigerante todos os dias, você aumenta o risco de problemas cardíacos na faixa de 22 anos, devido ao alto índice de açúcar presente. 
  • Há uma grande probabilidade de ganhar peso facilmente, principalmente em mulheres. Devido ao açúcar, este grupo está mais propício a elevar os níveis de gordura no sangue, que são conhecidos como triglicerídeos, prejudicando a saúde cardiovascular feminina. Tudo isso consumindo refrigerante apenas duas vezes na semana. O alto índice de triglicerídeos no sangue acarreta em problemas não só do coração, como outros que veremos a seguir.
  • Há estudos reveladores que os refrigerantes, principalmente de cola, podem ocasionar a osteoporose, pois o consumo regular da bebida está diretamente relacionada com a perda óssea. Isto porque encontramos neste refrigerante um ácido específico, o fosfórico, que é responsável por um nível maior de acidez na corrente sanguínea. Com isso, o nosso organismo usa o cálcio dos ossos para neutralizar a acidez do sangue e diminui assim a força dos óssea.
  • E por conta do alto índice de açúcar na bebida, que também ajuda no processo de ganho de peso, a diabetes está relacionada com o consumo de refrigerantes. As bebidas que são muito adocicadas tem a tendência de aumentar o nível de glicemia de jejum e resistência à insulina. Prova disso é que pessoas que consomem refrigerante têm a probabilidade duas vezes maior de desenvolver a diabetes tipo 2.
  • Cuidado com seus dentes. Por conta também do açúcar, aumenta a incidência de cáries.

Leia também: 7 ervas que ajudam a tratar a diabetes tipo 2

Viva saudavelmente

refrigerante.CityWodge

O consumo do refrigerante diminui automaticamente o consumo de outras bebidas mais saudáveis e, consequentemente, perdemos nutrientes importantes para o corpo.

Se depois de tudo isso você está pensando em mudar seus hábitos, inclua em sua alimentação muita água e sucos de frutas.

Uma dica importante para quem quer consumir refrigerante uma vez ou outra é consumir apenas 100 ml da bebida e, em seguida, beber um copo de água para diminuir a acidez.

  • Bartlett M, R. L. (2016). Efectos secundarios de bebidas carbonatadas en piezas dentales en jóvenes adultos de la ULACIT, 2015. Revista Electrónica de La Facultad de Odontología9(1), 2–28. Retrieved from http://www.ulacit.ac.cr/files/revista/articulos/esp/resumen/133_article1idental9.1.pdf
  • Silva O, P., & Durán A, S. (2014). Bebidas azucaradas, más que un simple refresco. Revista Chilena de Nutrición41(1), 90–97. https://doi.org/10.4067/S0717-75182014000100013
  • Velázquez, J. (2012). PROBLEMAS DE SALUD OCASIONADOS POR LOS ADITIVOS, PRESERVATIVOS, COLORANTES Y SABORES ARTIFICIALES, HORMONAS Y. Universidad Interamericana de Puerto Rico. Retrieved from http://www2.ulpgc.es/hege/almacen/download/6/6710/Problemas_de_salud_ocasionados_por_los_aditivos.pdf