Qual é o tratamento da enurese noturna?

23 Dezembro, 2019
Fazer xixi na cama é muito comum na infância, um fenômeno que afeta pais e filhos e pode ter duração variável. Descubra como tratá-lo aqui.

Durante a infância (até 5 anos de idade), a incontinência urinária é uma afecção comum e normal, durante o dia e à noite. No entanto, quando persiste em idades posteriores (isto é, se torna crônica) e ocorre durante a noite, a enurese noturna pode ser um desconforto real para qualquer paciente, seja uma criança ou um adulto.

Em seguida, falaremos mais sobre a enurese noturna e tudo o que ela implica. Vamos lá!

O que é a enurese noturna?

Enurese é o termo médico dado à emissão involuntária de urina. Pode ocorrer durante o dia, no caso de enurese diurna ou, mais comumente, durante a noite, no caso de enurese noturna.

Esse distúrbio é muito comum em crianças pequenas, afetando 12% das crianças de 6 anos e 7% das crianças de 10 anos. Afeta mais os homens e geralmente desaparece na adolescência. No entanto, em uma pequena porcentagem de casos, o distúrbio continua e afeta jovens com mais de 20 anos de idade, causando vários problemas sociais e psicológicos.

A micção inconsciente é um fenômeno normal que ocorre em certos estágios do desenvolvimento infantil. A maioria das crianças não é capaz de controlar a bexiga e o esfíncter uretral antes dos 3 anos de idade. Nesse estágio, a enurese não é considerada uma doença, pois é uma condição fisiológica normal, devido à imaturidade.

Problemas na bexiga podem desencadear enurese noturna

No entanto, a partir dessa idade, as crianças aprendem a controlar a bexiga, detectando quando está cheia e controlando o ato de urinar. No entanto, o controle noturno é mais difícil e lento para alcançar, portanto, episódios noturnos de “molhar a cama” são muito comuns em crianças de até 6 anos.

Confira: 5 hábitos para tratar a incontinência urinária

Frequência considerada para diagnóstico

Atualmente, não há unanimidade nos critérios diagnósticos da doença, com base na frequência dos episódios.

Assim, para diagnosticar enurese em uma criança, os critérios variam de duas noites por semana em que a cama está molhada, a uma noite por semana ou até 4 noites por mês. Em qualquer caso, para obter um bom diagnóstico e um tratamento subsequente correto, é necessário avaliar cada caso individualmente.

Assim, os critérios de tratamento e frequência dos episódios não serão os mesmos em crianças menores de 5 anos, em que o fenômeno é considerado normal, do que em crianças adolescentes, nos quais um único episódio pode ser suficiente para denotar a existência de um problema.

Causas da enurese noturna

Quase sempre, o distúrbio se deve apenas ao fato de a criança, enquanto dorme, não ter controle suficiente sobre a bexiga para detectar que ela está cheia, não é consciente, e se urina involuntariamente.

Em uma baixa porcentagem de casos, o fenômeno está relacionado à existência de outras doenças, como diabetes ou problemas do trato urinário. Nesses casos, a enurese também ocorre durante o dia (enurese diurna) e no tratamento será muito diferente.

Também pode te interessar: Crianças que molham a cama: causas e soluções

Tratamento da enurese noturna

Em muitos casos, a situação não requer nenhum tratamento em si. Quando ocorre em crianças com menos de 5 anos, é considerado um problema normal e temporário que diminui à medida que a criança cresce.

No entanto, existem certas diretrizes que podem ser seguidas para ajudar a criança e reduzir os episódios. Na verdade, essas diretrizes constituem um tratamento comportamental, no qual se trata de explicar a razão do problema, tanto para os pais quanto para a criança, a fim de minimizar o distúrbio.

Algumas das dicas que podem ser seguidas são:

  • Explique à criança que ela não precisa sentir vergonha da situação. Faça com que ela veja que é uma condição normal devido ao atraso na maturação do sistema urinário.
  • Não brigue ou embarace a criança.
  • Não acorde a criança à noite para urinar ou restrinja a ingestão de líquidos.
  • É aconselhável implementar um horário para fazer xixi, o que ajudará a criança a ter controle sobre a micção.
  • Explique à criança que ela deve beber mais líquidos durante o dia, mas reduzir o consumo à medida em que a noite se aproxima.
  • O uso de fraldas é contraindicado, por confundir a criança e impedi-la de aprender a controlar sua micção.

Somente nos casos mais extremos é possível realizar um tratamento farmacológico. Nesses casos, os medicamentos utilizados terão como objetivo diminuir o desejo de urinar (antidiuréticos) ou controlar o sono.

Conclusão

Por fim, e para concluir, embora a enurese noturna seja comum em crianças pequenas, é importante prestar atenção. Terapias comportamentais e apoio constante da família são decisivos para superá-la. Além disso, é importante revisar cada caso com um profissional, para determinar se ele oculta outros problemas.

  • Becker, R. E. (2013). Nocturnal enuresis. In Parasomnias: Clinical Characteristics and Treatment. https://doi.org/10.1007/978-1-4614-7627-6_20
  • Ramakrishnan, K. (2008). Evaluation and treatment of enuresis. American Family Physician.
  • Brown, M. L., Pope, A. W., & Brown, E. J. (2011). Treatment of primary nocturnal enuresis in children: A review. Child: Care, Health and Development. https://doi.org/10.1111/j.1365-2214.2010.01146.x
  • Deshpande, A. V., & Caldwell, P. H. Y. (2012). Medical management of nocturnal enuresis. Pediatric Drugs. https://doi.org/10.2165/11594870-000000000-00000
  • Glazener CMA, Evans JHC, Peto RE. Intervenciones conductuales y educativas complejas para la enuresis nocturna en niños (Revisión Cochrane traducida). En: La Biblioteca Cochrane Plus, 2007 Número 3. Oxford: Update Software Ltd. Disponible en: http://www.update-software.com