5 hábitos para tratar a incontinência urinária

26 de setembro de 2019
A alimentação e alguns exercícios podem ajudar no tratamento da incontinência urinária. Embora seja necessário consultar o especialista, esses simples hábitos podem ser um bom complemento dos tratamentos médicos.

A incontinência urinária é uma condição que se caracteriza pela perda do controle da bexiga. Pode ser leve, quando os escapes de urina são menores ou graves, quando a bexiga se esvazia completamente. Você sabe quais são os hábitos para tratar a incontinência urinária?

Embora o tratamento possa variar em função da causa subjacente, existem algumas medidas básicas que podem contribuir para o seu controle. Neste artigo, vamos compartilhar os 5 principais para que você os considere a partir de agora.

Hábitos para tratar a incontinência urinária

A perda do controle da bexiga pode ser causada por muitos problemas de saúde. De fato, a incontinência urinária não é uma doença em si, mas sim um sintoma. Os escapes de urina são repentinos e podem ocorrer ao tossir, espirrar ou fazer algum tipo de força.

Inclusive, alguns pacientes desenvolvem esse problema de forma severa, sendo incapazes de chegar ao banheiro após sentir uma forte necessidade de urinar. No entanto, independentemente da sua causa ou gravidade, todos podem colocar em prática alguns simples hábitos para tratar a incontinência urinária. Descubra quais são!

1. Fazer mudanças na dieta

O consumo de determinados alimentos de tipo apimentados ou açucarados aumentam a vontade de urinar.

Uma das dicas para tratar a incontinência urinária é melhorar a alimentação. Apesar de muitas pessoas ignorarem esse fato, há alimentos irritantes que podem incidir de forma negativa sobre essa condição.

Devido a isso, é necessário reduzir ou eliminar a ingestão de alimentos apimentados, ácidos e com alto teor de açúcar. Também é conveniente evitar o café e qualquer outra fonte de cafeína.

Não deixe de ler também: Os melhores remédios para tratar infecções do trato urinário

2. Treinar a bexiga para tratar a incontinência urinária

O treinamento da bexiga envolve simples técnicas que têm como objetivo fortalecer os músculos envolvidos na micção. Seu objetivo é ajudar a estabelecer padrões de horário para esvaziar a bexiga. Assim, a primeira técnica consiste em programar horários fixos para ir ao banheiro.

O ideal é segurar a vontade de urinar tanto quanto for possível, até que o corpo se acostume a esvaziá-la nos horários estabelecidos. Evidentemente, é importante fazer isso de forma gradual: ir a cada hora, depois a cada duas horas e assim por diante, até que se consiga passar intervalos de até 4 horas sem escapes.

Há outra técnica simples permite fortalecer a capacidade de segurar a urina. Ela consiste em adiar um pouco o ato de ir ao banheiro quando se percebe uma necessidade urgente de fazer xixi. Então, primeiro se adia 5 minutos, depois 10 e assim sucessivamente, até que se consiga sentir um controle maior sobre a bexiga.

3. Fazer exercícios para o assoalho pélvico

Os exercícios de kegel

Os exercícios de fortalecimento do assoalho pélvico são o melhor complemento para tratar a incontinência urinária. De fato, costumam ser a primeira opção de tratamento quando os escapes de urina são leves. Os mais conhecidos são os chamados exercícios de Kegel, cuja prática pode ser realizada diariamente em casa.

Então, como fazer?

  • Para começar, aperte e relaxe os músculos do assoalho pélvico durante 5 ou 10 segundos. Em seguida, descanse a mesma quantidade de tempo. Os músculos do assoalho pélvico são os mesmos que se usa para interromper o fluxo de urina na metade. Se você não tiver certeza de como se faz, pode tentar interromper a urina quando estiver fazendo xixi.
  • Outras atividades, como a ponte ou a elevação da pélvis também podem ajudar. No entanto, é preciso se concentrar em contrair os músculos corretos.

Leia também: Remédios para limpar a bexiga e vias urinárias

4. Tratar a incontinência urinária: evitar o consumo de tabaco

O consumo de tabaco pode comprometer a função nervosa da bexiga. Devido ao seu alto teor de componentes tóxicos, fumar pode causar um enfraquecimento dos músculos do assoalho pélvico. Especificamente, o efeito da nicotina pode causar contrações excessivas na bexiga, o que se traduz no aumento repentino da necessidade de urinar.

Por outro lado, vale destacar que o tabagismo pode levar a um problema de tosse crônica, o que também incide nos escapes de urina. Ao tossir, a pressão abdominal sobre o assoalho pélvico aumenta, o que provoca uma descida da bexiga e da uretra.

5. Evitar bebidas alcoólicas

As bebidas alcoólicas exercem uma ação negativa sobre a micção,

O consumo excessivo de bebidas alcoólicas está relacionado com o enfraquecimento e a irritação das paredes da bexiga, dos ureteres e dos rins. Por isso, quando se trata de tratar a incontinência urinária, o ideal é evitar a ingestão desse tipo de bebida. 

O álcool estimula em excesso a bexiga e diminui a capacidade de segurar a urina. Além disso, por ser diurético, eleva o risco de infecções urinárias. Então o que fazer em relação a isso? Evitar por completo o consumo de álcool em caso de sintomas de incontinência. No lugar, aumente o consumo de água.

Por fim, vale destacar a importância de procurar um médico caso você perceba sintomas dessa condição. Quanto mais rápido você receber um diagnóstico e tratamento adequados, melhor será o prognóstico.

  • Imamura, M., Williams, K., Wells, M., & Mcgrother, C. (2015). Lifestyle interventions for the treatment of urinary incontinence in adults. Cochrane Database of Systematic Reviews. https://doi.org/10.1002/14651858.CD003505.pub5
  • Le, N. B. P. (2014). Urinary incontinence. In Urology at a Glance. https://doi.org/10.1007/978-3-642-54859-8_37
  • Gleason, J. L., Richter, H. E., Redden, D. T., Goode, P. S., Burgio, K. L., & Markland, A. D. (2013). Caffeine and urinary incontinence in US women. International Urogynecology Journal and Pelvic Floor Dysfunction. https://doi.org/10.1007/s00192-012-1829-5
  • Kargar Jahromi, M., Talebizadeh, M., & Mirzaei, M. (2014). The Effect of Pelvic Muscle Exercises on Urinary Incontinency and Self-Esteem of Elderly Females With Stress Urinary Incontinency, 2013. Global Journal of Health Science. https://doi.org/10.5539/gjhs.v7n2p71
  • M., M. (2018). Nonsurgical treatment methods in urinary incontinence. Gineco.Eu. https://doi.org/10.18643/gieu.2016.39
  • Kolcaba, K., Dowd, T., Winslow, E. H., & Jacobson, A. F. (2011). Kegel Exercises. American Journal of Nursing. https://doi.org/10.1097/00000446-200011000-00048
  • Bump, R. C., & McClish, D. K. (1992). Cigarette smoking and urinary incontinence in women. American Journal of Obstetrics and Gynecology. https://doi.org/10.1016/S0002-9378(11)91691-3