Quais são os sintomas de uma hipoglicemia?

29 Dezembro, 2019
Os sintomas de uma hipoglicemia são gerados pelo baixo nível de açúcar no sangue. Existem quadros de hipoglicemia leves e outros mais graves, que até podem causar convulsões. Neste artigo, contamos como identificar uma queda nos níveis de açúcar.

Os sintomas de uma hipoglicemia podem ser confundidos com outros quadros clínicos quando a queda do nível de açúcar é leve. De fato, até pode acontecer que com a ingestão de um alimento rico em carboidratos a queda passe desapercebida.

Consideramos que há hipoglicemia quando o valor da glicemia, ou seja, do açúcar no sangue, cai. Especificamente, este quadro requer menos de 70 miligramas por decilitro (mg/dl) de glicose sanguínea para ser considerado como tal.

As causas são variadas e as mostraremos em seguida, mas é interessante entender primeiro como nosso corpo adquire a glicose. O mecanismo de obtenção explica como, ao falhar em algum ponto, acontecem os sintomas de uma hipoglicemia.

O ser humano consome a glicose dos alimentos. Não necessariamente precisam ser alimentos açucarados ou doces. O corpo extrai moléculas de glicose de frutas, bem como de vegetais.

Para ser efetiva, a glicose deve ingressar nas células dos tecidos. Ali será transformada em combustível energético para as funções de cada célula. Em suma, este processo de ingresso celular é regulado com a insulina.

A insulina é um hormônio secretado pelo pâncreas. Além disso, regula o acesso do açúcar que circula no sangue para o interior das células. É o hormônio que falha nos indivíduos que sofrem com a diabetes.

O antagonista da insulina é o glucagon, outro hormônio fabricado no pâncreas. Em resumo, o glucagon tem como tarefa estimular o fígado para que este decomponha o glicogênio que possui armazenado e coloque em circulação glicose sanguínea. Em termos gerais, pode-se dizer que a insulina reduz a glicemia e o glucagon a aumenta.

Neste jogo hormonal, somado a outros fatores, podem aparecer os sintomas de uma hipoglicemia. A mesma será leve ou severa dependendo da quantidade de glicose que continua circulando no sangue.

Sintomas de uma hipoglicemia leve

Muitas vezes, os sintomas de uma queda leve na glicemia passam desapercebidos. Esta queda não o suficientemente potente para afetar tanto os órgãos vitais.

Nesse sentido, entre os sintomas temos:

  • Transpiração abundante.
  • Cefaleia ou dor de cabeça.
  • Tonturas, descoordenação motora e alterações da visão.
  • Sonolência. Às vezes, mais do que sono, se expressa uma dificuldade na concentração, como se a mente estivesse cheia.
  • Tremores musculares.
Medição da glicemia

Valores de glicemia inferiores a 70 mg/dl desenvolvem hipoglicemia.

Conheça os: Alimentos para a diabetes 2

Sintomas de uma hipoglicemia severa

No outro extremo, quando a queda é importante e os níveis de açúcar sanguíneos caem muito, os sintomas são:

  • Convulsões: geralmente na forma de movimentos musculares intensos, como sacudidas.
  • Desmaio com perda da consciência: que pode durar um longo momento e não ter uma recuperação rápida.
  • Impossibilidade de se alimentar: às vezes, como sintoma de uma hipoglicemia isolada e, outras vezes, como parte do quadro de convulsões ou desmaio.

Causas

Existem cinco causas que podem estar por trás dos sintomas de uma hipoglicemia. Em suma, são causas, no geral, preveníveis, exceto o insulinoma, ainda que este último seja pouco frequente:

  • Diabetes: paradoxalmente, ainda que se trate de uma doença que aumenta os níveis de açúcar no sangue, constitui a causa mais comum de hipoglicemia. Em resumo, isso é gerado pela medicação utilizada para tratar a diabetes. No início do tratamento, até encontrar a dose adequada, ou por uma mudança na rotina do diabético, a glicemia pode cair bruscamente.
  • Álcool: nas pessoas alcoólatras, os sintomas de uma hipoglicemia não são raros. O mecanismo subjacente é a anulação que o álcool provoca na liberação da glicose por parte do fígado. Além disso, isso costuma ser combinado com longos períodos de jejum da pessoa alcoólatra que não come o suficiente nem nos momentos adequados.
  • Jejum prolongado: se a pessoa passa longos períodos de tempo sem se alimentar, por mais o glucagon aja no início, chegará o momento que será insuficiente. Doenças como a anorexia nervosa são causadoras de jejum prolongado. Em resumo, sem alimentação não há ingresso de glicose no organismo.
  • Medicamentos: muito além dos fármacos que são utilizados para a diabetes, existem outros medicamentos que possuem entre seus efeitos adversos a hipoglicemia. É possível mencionar a quinina – do tratamento da malária -, ou o gatifloxacino – um antibiótico.
  • Insulinoma: existe um tumor do pâncreas que é formado pelo supercrescimento das células geradoras de insulina. De fato, por ter maior quantidade de insulina no corpo, aparecem episódios de hipoglicemia.
Anatomia do pâncreas

Siga descobrindo: Tumores neuroendócrinos do pâncreas – tratamento

O que fazer ante uma hipoglicemia?

Os sintomas, como vimos previamente, podem ser leves ou severos. Baseado nesta classificação, é possível prever como agir em cada caso.

Se a queda da glicemia for leve, a medida mais eficiente é administrar líquidos que forneçam para a pessoa rápida disponibilidade de glicose. Entre estes preparados têm-se um copo de água com duas colheres de açúcar, um gole de uma bebida açucarada como os refrigerantes, ou um copo de suco de fruta, entre outros.

Por outro lado, nas severas, não é possível proporcionar alimentos ao paciente porque estará inconsciente ou convulsionando. Para estes casos, os profissionais médicos aplicam o hormônio glucagon na forma artificial injetável.

  • Rovira, A. “Fisiopatología de la hipoglucemia en la diabetes mellitus.” Endocrinología y Nutrición 49.5 (2002): 140-144.
  • Boltaña Lorenzo, A., and R. Insa Soria. “Hipoglucemia.” Revista Rol de Enfermería 34.5 (2011): 352-356.
  • González, JP Miramontes, et al. “Protocolo terapéutico de la hipoglucemia.” Medicine-Programa de Formación Médica Continuada Acreditado 10.18 (2008): 1217-1218.