Remédios naturais para a epilepsia: complementos simples e eficazes

24 Dezembro, 2018
Os remédios naturais são uma grande ajuda contra os ataques epilépticos. Embora eles não substituam os medicamentos, seu consumo regular pode ajudar a promover o bem-estar.
 

Os remédios naturais para a epilepsia podem complementar os efeitos do tratamento médico para prevenir as convulsões. Devido a suas propriedades e nutrientes, são soluções fáceis que ajudam a melhorar a qualidade de vida dos pacientes afetados.

A doença prejudica as funções do sistema nervoso e, como consequência, provoca ataques repentinos de curta duração. Em particular, ocorre devido a um aumento na atividade elétrica dos neurônios em alguma parte do cérebro, que é repetida com uma certa frequência.

No entanto, atualmente existem medicamentos e procedimentos cirúrgicos que podem reduzir os ataques na maioria dos casos. Além disso, um estilo de vida saudável e algumas soluções caseiras podem ajudar a promover o seu bem-estar.

Você quer saber como prepará-los? Embora não sejam alternativas para substituir os medicamentos, eles têm efeitos terapêuticos que vale a pena experimentar. Aqui compartilharemos as melhores opções, então não hesite em experimentá-las!

Leia também: Como acalmar um ataque de ansiedade

Quais são as causas da epilepsia?

Conexões neuronais

A maioria das pessoas afetadas pela epilepsia tem causas de caráter neurológico. No entanto, certos casos podem ser explicados por razões psicológicas e físicas. Os fatores de risco e gatilhos da doença incluem:

 
  • Falhas no funcionamento dos neurônios ou neurotransmissores
  • Traumatismos na cabeça
  • Acidente vascular cerebral recente
  • Anomalias genéticas
  • Presença de tumores cerebrais
  • Desenvolvimento da doença de Alzheimer
  • Alcoolismo grave
  • Ataque cardíaco e doenças cardiovasculares graves
  • Meningite
  • Encefalite viral
  • Infecção parasitária do cérebro (neurocisticercose)
  • Paralisia cerebral
  • Autismo
  • Deficiência de oxigênio no feto
  • Desnutrição grave na gravidez
  • Convulsões na infância

Sintomas da epilepsia

Como a epilepsia causa interferência na atividade cerebral, as convulsões podem prejudicar qualquer processo coordenado por esse órgão. Por outro lado, os sintomas variam de acordo com o tipo de crise, mas não apresentam alterações importantes entre os episódios.

Os mais comuns são:

  • Confusão temporária
  • Movimentos espasmódicos incontroláveis ​​de braços e pernas
  • Perda de consciência
  • Sensação de medo, ansiedade ou déjà vu
  • Formigamento repentino
  • Dificuldades de concentração
  • Incontinência urinária

Os melhores remédios naturais para a epilepsia

Todos os casos de epilepsia exigem monitoramento médico contínuo e medicação apropriada para o tipo de convulsão. Além disso, você pode levar em conta alguns remédios naturais que servem como um suporte adicional. Embora eles não curem a doença, podem reduzir as convulsões e os sintomas.

Infusão de casca de tília

Chá de tília
 

As propriedades sedativas da casca de tília ajudam a relaxar o sistema nervoso para reduzir os casos de ataques epiléticos. No entanto, para um consumo seguro, a sua ingestão é recomendada apenas a cada 3 dias.

Ingredientes

  • 1 colher de sopa de casca de tília (15 g)
  • 1 xícara de água fervente (250 ml)

Preparação

  • Adicione a colher de sopa de casca de tília em uma xícara de água fervente.
  • Cubra a infusão, deixe descansar por 10 minutos e coe.

Modo de consumo

  • Beba a infusão em goles, de preferência antes de ir para a cama.

Chá de valeriana

Outro dos remédios naturais para a epilepsia que ajuda a acalmar o sistema nervoso é o chá de valeriana. Por possuir propriedades relaxantes e sedativas, ajuda a acalmar a ansiedade e o medo que ocorrem nessa doença. Além disso, é benéfico para tratar a insônia ou qualquer problema de sono.

Ingredientes

  • 1 colher de sopa de valeriana (15 g)
  • 1 xícara de água (250 ml)

Preparação

  • Despeje a valeriana em um copo de água e leve para ferver, em fogo baixo, por 5 minutos.
  • Cubra a infusão, deixe esfriar e coe.

Modo de consumo

  • Tome uma xícara de chá no meio da tarde por uma semana.
  • Descanse mais duas semanas e retome o tratamento.

Não perca este artigo: Como conseguir um sono de qualidade

Álcool de artemísia

Os extratos orgânicos de artemísia contêm ingredientes ativos que beneficiam a saúde nervosa e cerebral. Embora possa ser comprado pronto em muitas lojas de produtos naturais, também existem maneiras simples de fazê-lo em casa.

 

Ingredientes

  • 1 colher de sopa de artemísia seca (15 g)
  • ¼ xícara de álcool a 60º (60 ml)

Preparação

  • Adicione a planta em uma jarra e cubra com álcool.
  • Deixe marinar por 10 dias e coe.

Modo de consumo

  • Tome entre 5 e 10 gotas por dia, a cada três dias.

Chá de amora

Chá de amora

O chá de amora tem benefícios interessantes para o tratamento da epilepsia. Em primeiro lugar, destaca-se por sua capacidade de reduzir os colapsos nervosos. Por outro lado, possui propriedades que melhoram a circulação sanguínea e beneficiam a saúde cognitiva.

Ingredientes

  • 1 colher de chá de amora (8 g)
  • 2 xícaras de água (500 ml)

Preparação

  • Adicione a amora e a água em uma panela e ferva por 10 minutos em fogo baixo.

Modo de consumo

  • Divida a bebida para tomar 2 ou 3 xícaras em um dia.

Chá de folhas de laranja

Como outras bebidas naturais relaxantes, o chá de folhas de laranja reduz a hiperatividade do sistema nervoso graças aos seus efeitos sedativos. Entre outras coisas, é uma solução eficaz para problemas como insônia, nervosismo e dores de cabeça recorrentes.

Ingredientes

  • 1 colher de sopa de folhas e flores de laranja amarga (15 g)
 
  • 2 xícaras de água (500 ml)

Preparação

  • Adicione a laranja amarga em uma panela e cubra com as xícaras de água.
  • Deixe ferver por 10 minutos em fogo baixo.

Modo de consumo

  • Divida a bebida para tomar 3 ou 4 xícaras em um dia.

Finalmente, lembre-se de que você deve consultar seu médico antes de usar qualquer método natural para complementar o tratamento da epilepsia. Embora seus efeitos sejam benéficos, é bom saber se algum dos ingredientes pode ter reações desfavoráveis ​​com seus medicamentos.

  • Fisiopatología de la epilepsia. Rev. Fac. Med. (Méx.)  [revista en la Internet]. 2016  Oct [citado  2018  Dic  16] ;  59( 5 ): 37-41. Disponible en: http://www.scielo.org.mx/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0026-17422016000500037
  • Medina Ortiz Oscar, Sánchez-Mora Nora, Fraguas Herraez David, Arango López Celso. Valeriana en el tratamiento a largo plazo del insomnio.   [].   [  2018    16] ;  37( 4 ): 614-626. : http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-74502008000400011&lng=e.
  • Phillip L. Pearl, Ian M. Drillings, Joan A. Conry. Herbs in Epilepsy. Evidence for Efficacy, Toxicity, and Interactions, Seminars in Pediatric Neurology, Volume 18, Issue 3, 2011, Pages 203-208, ISSN 1071-9091, http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1071909111000544
  • Instituto Nacional de Trastornos Neurológicos y Accidentes Cerebrovasculares. https://espanol.ninds.nih.gov/trastornos/crisis_epilepticas.htm#que_causa
  • “Epilepsia Mayor”. Mayo Clinic. https://www.mayoclinic.org/es-es/diseases-conditions/grand-mal-seizure/symptoms-causes/syc-20363458?p=1
  • NN Wannang, JA Anuka, HO Kwanashie, S Gyang (2008). “Actividad anticonvulsiva del extracto acuoso de hojas de Solanum nigrum linn (solanaceae) en animales de experimentación”. African Health Science vol. 8 (2) 2008: pp. 74-79. https://www.ajol.info/index.php/ahs/article/view/7053
  • Ortiz Tabera Nadia & Jenny Vianey (2009). “Uso de plantas medicinales como tratamiento antihipertensivo”.  Facultad de Enfermería de México. http://www.tlahui.com/medic/medic29/fitoterapia_hipertension.pdf
  • María Teresa Buznego Rodríguez. Efectos agudos del extracto de Ambrosia paniculata (Willd) O.E. Schulz (artemisa) sobre diversos modelos de epilepsia experimental. Instituto de Neurología y Neurocirugía. Rev Cubana Plant Med v.2002 n.2 Ciudad de la Habana Mayo-ago. 2002. http://scielo.sld.cu/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1028-47962002000200005
  • Carvalho-Freitas, MIR y Costa, M. (2002). Efectos ansiolíticos y sedantes de extractos y aceites esenciales de Citrus aurantium L. Boletín biológico y farmacéutico, 25 (12), 1629-1633. https://doi.org/10.1248/bpb.25.1629