Quais podem ser as causas da fraqueza no corpo?

Em várias situações podemos sentir que não temos força suficiente para executar um movimento. Podemos até executá-lo, mas com dificuldade. Você conhece as causas da fraqueza no corpo? Descubra aqui.
Quais podem ser as causas da fraqueza no corpo?

Última atualização: 12 maio, 2022

É comum que muitas pessoas sintam que sua força muscular diminui repentinamente. Isso pode ser um sintoma muito assustador, pois eles desconhecem as causas da fraqueza no corpo. No entanto, nem sempre é uma questão de alarme. Leia e descubra o porquê.

Antes de mais nada, é importante esclarecer dois conceitos muito semelhantes: fadiga e fraqueza. A primeira refere-se a uma sensação subjetiva de falta de energia. Por outro lado, a fraqueza é a perda ou diminuição da força muscular.

Causas mais comuns de fraqueza no corpo

A fraqueza muscular é um sintoma bastante comum. Na verdade, pode aparecer em uma infinidade de circunstâncias, como após exercícios intensos. Além disso, muitas pessoas com excesso de peso relatam isso, o que é esperado devido a um estilo de vida sedentário.

Por outro lado, vários estados fisiológicos podem causar diminuição da força muscular. Nesse sentido, a gravidez e o envelhecimento são a causa do problema.

No entanto, a fraqueza no corpo deve ser um sinal de alerta quando não há causas aparentes que a originam. Desta forma, se ocorrer repentinamente,  se prolongado por semanas ou em uma área específica do corpo, se deve visitar ao médico.

Se não houver causa aparente, a fraqueza muscular pode ser um indício de uma patologia muito mais grave que deve ser tratada o quanto antes. Entre as várias doenças que podem gerar esse sintoma estão as seguintes:

  • Anemia.
  • Câncer.
  • Eventos vasculares cerebrais.
  • Infecções agudas ou crônicas: tuberculose, poliomielite, dengue, difteria.
  • intoxicações.
  • Miastenia gravis.
Mulher cansada do trabalho.
O cansaço de longas horas de trabalho e exercício é uma causa de fraqueza muscular.

Doenças neurológicas e musculares

Quase todas as doenças neurológicas podem causar fraqueza muscular, conforme relatado por várias investigações. Isso ocorre porque a comunicação entre o sistema nervoso central e os músculos é total ou parcialmente interrompida.

Algo semelhante acontece com as doenças musculares. Se as fibras forem afetadas, o músculo não poderá se contrair adequadamente. Portanto, o movimento desejado não será executado normalmente.

Uma das patologias neurológicas mais comuns que causa fraqueza muscular são os eventos vasculares cerebrais. Estes geram danos diretos ao cérebro que se manifestam por meio de vários sintomas sistêmicos; incluindo fraqueza muscular.

Outras das causas mais comuns de fraqueza no corpo de origem neurológica ou muscular são as seguintes:

  • Síndrome de Guillian-Barré.
  • Miastenia Gravis.
  • Hemorragia da medula espinhal.
  • Síndrome de Lambert-Eaton.
  • Rabdomiólise.
  • Esclerose múltipla.
  • Mal de Parkinson.

Intoxicações e medicamentos

Outra causa comum de fraqueza muscular generalizada é a intoxicação com várias substâncias. Seu mecanismo de ação é semelhante ao de algumas patologias musculares. Desta forma, não ocorre a contração correta das fibras musculares.

Mesmo o consumo prolongado de vários medicamentos pode causar fraqueza no corpo devido a um processo alérgico. Desta forma, entre as substâncias que podem levar à exaustão muscular estão as seguintes:

  • Toxina botulínica.
  • Arsênico.
  • Esteróides orais.
  • Alguns antibióticos: ciprofloxacina e penicilina
  • Estatinas.
  • Analgésicos anti-inflamatórios: como naproxeno e diclofenaco.
  • Substâncias quimioterápicas.

Doenças cardiovasculares, metabólicas e endócrinas

A causa direta pela qual algumas doenças cardiovasculares e metabólicas podem gerar fraqueza muscular é a ausência de sangue e nutrientes no músculo. Esse tipo de patologia gera um desequilíbrio entre a oferta e a demanda do tecido. Portanto, os nutrientes necessários não estarão disponíveis para executar a contração.

Além disso, muitas doenças endócrinas podem causar neuropatia quando não tratadas. Estudos mostraram que, embora a patologia da tireoide seja a mais comum, a neuropatia associada a ela é rara. Desta forma, a fraqueza pode ser causada por diabetes ou hiperparatireoidismo.

Fraqueza muscular devido ao esforço físico.
O músculo está esgotado por doenças ou substâncias tóxicas capazes de alterar a conexão com o sistema nervoso central.

Outras causas

Uma das causas mais comuns desse sintoma é a anemia. Como não há glóbulos vermelhos suficientes na corrente sanguínea, os músculos não têm um suprimento adequado de oxigênio. Portanto, eles não executam os movimentos normalmente.

Por outro lado, doenças infecciosas como dengue, poliomielite ou tuberculose podem causar fraqueza no corpo. Além disso, as doenças inflamatórias que afetam o músculo também causam fraqueza.

Finalmente, outra das causas frequentes de fraqueza no corpo é o câncer. Na verdade, esse sintoma faz parte da tríade característica da doença, que inclui também febre de origem desconhecida e sudorese noturna.

As causas da fraqueza no corpo são muito variadas

Como você pode ver, existem muitas patologias diferentes que podem causar fraqueza no corpo. Portanto, é seguro dizer que é um sintoma bastante inespecífico. No entanto, não deve ser tomado como algo sem importância, pois às vezes é indicativo de uma doença grave.

Portanto, se você apresenta esse sintoma e não consegue encontrar uma causa direta dele, o melhor é consultar um médico. Dessa forma, você pode tratar a doença rapidamente e evitar sequelas a longo prazo.

This might interest you...
Hipocalemia: o que é e quais são seus sintomas?
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
Hipocalemia: o que é e quais são seus sintomas?

A hipocalemia pode ter várias causas: insuficiência renal, doenças gástricas, lesões na pele ou desequilíbrios osmóticos no organismo.



  • Ayuso T., Jericó I.. Urgencias en patología neuromuscular. Anales Sis San Navarra. 2008; 31:115-126.
  • Muscle weakness. In: Ferri FF, ed. Ferri’s Clinical advisor: instant diagnosis and treatment. St. Louis: Mosby, 2003.
  • Saguil A. Evaluation of the patient with muscle weakness. Am Fam Physician. 2005;71(7):1327-1336.
  • Rojas-Marcos I. Protocolo diagnóstico de la debilidad muscular. Medicine – Programa de Formación Médica Continuada Acreditado. 2019;12(76):4515-4520.
  • Martínez, Nadia Milena Salas, et al. “Evento Cerebrovascular Isquémico vs Hemorrágico.” RECIMUNDO 3.4 (2019): 177-193.
  • Bansal, A.S. Investigating unexplained fatigue in general practice with a particular focus on CFS/ME. BMC Family Practice. 2016; 17(81): 1-14
  • Montes-Tejada, Alba, et al. “El ejercicio físico en el embarazo y/o el posparto frente a la fatiga percibida.” Journal of Negative and No Positive Results 5.3 (2020): 329-346.
  • Castro-Suarez, Sheila, César Caparó-Zamalloa, and María Meza-Vega. “Actualización en Miastenia gravis: An Update.” Revista de Neuro-Psiquiatría 80.4 (2017): 247-260.
  • Bravo-González, Félix, and Arturo Álvarez-Roldán. “Esclerosis múltiple, pérdida de funcionalidad y género.” Gaceta Sanitaria 33 (2019): 177-184.
  • López, Adriana, and Patricia Beorlegui Murillo. “La astenia relacionada con el cáncer: una revisión bibliográfica.” Enfermería Oncológica 20.2 (2018): 35-40.
  • Sanabria, Luis Carlos Venegas, et al. “Uso de estatinas y riesgo de caídas en ancianos: revisión sistemática de la literatura.” Revista Española de Geriatría y Gerontología 52.6 (2017): 317-321.