5 hábitos para combater a fadiga da artrite psoriática

24 de janeiro de 2020
Os pacientes com artrite psoriática tendem a ter episódios recorrentes de fadiga. A adoção de hábitos saudáveis é decisiva no enfrentamento desse sintoma.

Você sabia que pode adotar algumas estratégias para combater a fadiga da artrite psoriática? Este sintoma é uma das consequências desta doença. De fato, existem estudos que sugerem que até 50% dos pacientes com doenças de pele relatam ter fadiga moderada ou grave.

A artrite psoriática é uma doença inflamatória que compromete a saúde das articulações e da pele. Aqueles que sofrem com isso experimentam dor e rigidez articular, além de manchas vermelhas e escamosas que podem se estender ao couro cabeludo.

Embora esses desconfortos possam ser tratados com medicamentos orais e tópicos, outras medidas também são necessárias, principalmente quando ocorrem simultaneamente com episódios de fadiga. O que deve fazer? Nós mostramos a você em detalhes.

Qual é a relação da fadiga com a artrite psoriática?

Cada vez mais estudos dedicam esforços para conhecer as bases da fadiga na psoríase.

A fadiga da artrite psoriática ganhou muita atenção nos últimos anos. Embora sempre tenha sido vivenciada, estudos a esse respeito facilitaram o entendimento de sua relação com a doença.

De fato, uma pesquisa descobriu que aproximadamente metade dos pacientes com artrite psoriática apresenta fadiga leve ou moderada. Além disso, cerca de um quarto dos afetados relatam episódios graves de fadiga.

Não há uma causa exata para explicar a fadiga da artrite psoriática. No entanto, foram encontrados alguns fatores relevantes que poderiam explicar isso. A inflamação causada pela artrite libera proteínas chamadas citocinas, que podem ser responsáveis ​​pela fadiga.

Em outros casos, a artrite psoriática ocorre em conjunto com outros problemas médicos que também causam fadiga, tais como:

  • Anemia
  • Excesso de peso e obesidade
  • Diabetes mellitus
  • Depressão e ansiedade
  • Distúrbios do sono

Esses e outros distúrbios médicos que coexistem com a artrite psoriática são doenças relacionadas à inflamação ou disfunção do sistema imunológico, o que também pode piorar a sensação de fadiga.

Descubra também: Remédios naturais que podem ajudar no alívio da psoríase

Dicas para o tratamento da artrite psoriática

Na maioria dos casos não se pode fazer algo para eliminar completamente a fadiga da artrite psoriática. No entanto, manter hábitos de vida saudáveis ​​pode facilitar o seu controle. Portanto, é conveniente cumprir as seguintes recomendações.

1. Exercite-se regularmente

O exercício físico provou ser eficaz nas doenças da artrite psoriática

O exercícios de baixo impacto físico são adequados para lidar com a fadiga da artrite psoriática e outros sintomas associados. Esse hábito fornece um impulso de energia e ajuda a diminuir a rigidez e a dor nas articulações. Você pode fazer atividades como

  • Natação
  • Caminhada e corrida suave
  • Levantar pesos leves
  • Alongamento e ioga

O ideal é que você gaste pelo menos 30 minutos por dia para obter os seus benefícios. Da mesma forma, sua prática é aconselhada com a supervisão de um profissional, uma vez que uma má execução desses exercícios pode ter efeitos indesejáveis.

2.Identificar os desencadeadores da fadiga da artrite psoriática

Conhecer os fatores que desencadeiam a fadiga pode ser um desafio. No entanto, determinar qual é a sua causa pode ajudar de forma significativa no tratamento. Recomenda-se, portanto, que seja mantido um registro de todas as atividades diárias e de que modo o nível de energia é afetado.

Isto inclui:

  • Alimentação
  • Níveis de estresse
  • Padrões de sono
  • Exercício
  • Consumo de medicamentos
  • Ambiente

Deve-se considerar que a fadiga também pode ser uma combinação de todos estes fatores. Portanto, para encontrar uma solução adequada é bom ter a opinião de um médico.

Leia também: 5 dicas para dormir melhor se você tiver artrite psoriática

3. Adote uma dieta saudável

nutrientes necessários para aumentar a energia

Sem dúvida alguma, a alimentação desempenha um papel muito importante no controle da fadiga da artrite psoriática. Enquanto muitos a ignoram, o sintoma pode surgir de uma deficiência de nutrientes ou anemia. Uma dieta equilibrada e completa pode, de certa forma, servir para reduzir os sintomas.

Neste caso particular, os alimentos recomendados são os com propriedades anti-inflamatórias, tais como:

  • Aqueles que contêm ácidos graxos ômega 3, como pescado gordo, azeite, nozes e sementes
  • Fontes de antioxidantes, como frutas, legumes, cacau e chá.
  • Grãos integrais, como aveia e arroz integral.
  • Suplementos de vitamina D.

4. Mantenha uma rotina relaxante antes de dormir

Os pacientes com artrite psoriática tendem a ter problemas de sono. Isso, por razões óbvias, desencadeia os episódios de fadiga. Assim, parte do plano para minimizar esses sintomas é manter uma rotina relaxante antes de ir para a cama. É importante seguir medidas como:

  • Tomar um banho com água quente ou faça uma termoterapia antes de dormir
  • Manter horários regulares de sono
  • Evitar beber bebidas alcoólicas, cafeína e nicotina
  • Também evitar elementos distratores da casa ou quarto de dormir, como telefones celulares ou computadores
  • Finalmente, fazer um jantar leve

5. Gerencie o estresse

Mulher meditando

Sem dúvida alguma, muitas das complicações dessa condição são o resultado de um gerenciamento inadequado do estresse. Portanto, para reduzir a fadiga da artrite psoriática é importante prestar atenção a esse sintoma. Nesse sentido, é conveniente praticar técnicas de relaxamento, como meditação ou ioga.

Finalmente …

Em conclusão, lembre-se de avaliar as possíveis causas de fadiga com seu médico. Por exemplo, existem vários distúrbios subjacentes que podem piorar os sintomas da artrite psoriática. Portanto, seu gerenciamento oportuno pode contribuir para manter uma boa qualidade de vida.

  • Gottlieb, A., Korman, N. J., Gordon, K. B., Feldman, S. R., Lebwohl, M., Koo, J. Y. M., … Menter, A. (2008). Guidelines of care for the management of psoriasis and psoriatic arthritis. Section 2. Psoriatic arthritis: Overview and guidelines of care for treatment with an emphasis on the biologics. Journal of the American Academy of Dermatology. https://doi.org/10.1016/j.jaad.2008.02.040
  • Ritchlin, C. T., Kavanaugh, A., Gladman, D. D., Mease, P. J., Helliwell, P., Boehncke, W. H., … Taylor, W. J. (2009). Treatment recommendations for psoriatic arthritis. Annals of the Rheumatic Diseases. https://doi.org/10.1136/ard.2008.094946
  • Boehncke, W. H., & Menter, A. (2013). Burden of disease: Psoriasis and psoriatic arthritis. American Journal of Clinical Dermatology. https://doi.org/10.1007/s40257-013-0032-x
  • Raychaudhuri, S. P., Wilken, R., Sukhov, A. C., Raychaudhuri, S. K., & Maverakis, E. (2017). Management of psoriatic arthritis: Early diagnosis, monitoring of disease severity and cutting edge therapies. Journal of Autoimmunity. https://doi.org/10.1016/j.jaut.2016.10.009
  • Lee, S., Mendelsohn, A., & Sarnes, E. (2010). The burden of psoriatic arthritis: a literature review from a global health systems perspective. P & T : A Peer-Reviewed Journal for Formulary Management. https://doi.org/10.1126/scitranslmed.3005616.
  • Fuchs, R. (2015). Physical Activity and Health. In International Encyclopedia of the Social & Behavioral Sciences: Second Edition. https://doi.org/10.1016/B978-0-08-097086-8.14115-7
  • Vieira, S. M., Pagovich, O. E., & Kriegel, M. A. (2014). Diet, microbiota and autoimmune diseases. Lupus. https://doi.org/10.1177/0961203313501401