Artrite gonocócica: a infecção por gonorreia que afeta as articulações

A artrite gonocócica é uma patologia secundária causada pela gonorreia. É mais comum em pessoas jovens sexualmente ativas, mas pode afetar pacientes de qualquer idade.
Artrite gonocócica: a infecção por gonorreia que afeta as articulações

Última atualização: 05 maio, 2022

A artrite gonocócica é a inflamação de uma articulação causada pela infecção pela bactéria Neisseria gonorrhoeae. Esse patógeno é uma das causas mais comuns de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) em todo o mundo, pois a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 78 milhões de casos ocorram anualmente.

Em outras palavras, 0,8% das mulheres e 0,6% dos homens em todo o mundo podem ser portadores de Neisseria. Destes casos, entre 0,5% e 3% podem levar à artrite gonocócica. Se você quiser saber mais sobre essa patologia, continue lendo.

Como ocorre a artrite gonocócica?

De acordo com a Biblioteca Nacional de Medicina dos EUA, a artrite gonocócica ocorre quando as bactérias causadoras da gonorreia se espalham pela corrente sanguínea para uma ou mais articulações, multiplicando-se no líquido sinovial e na membrana sinovial. Este evento também é conhecido como um tipo de Infecção Gonocócica Disseminada (IGD).

Como indica o Manual MSD, as bactérias liberam produtos tóxicos que promovem a inflamação da articulação. Além disso, os neutrófilos do sistema imunológico migram para o local infectado para liberar enzimas destruidoras de patógenos, que também danificam a sinóvia, os ligamentos e a cartilagem articular.

É necessário enfatizar que a artrite gonocócica ocorre em menos de 50% dos casos de IGD e é a causa de até 14% dos episódios de artrite em alguns grupos populacionais. Este evento é mais comum em jovens sexualmente ativos do que em outros grupos populacionais.

Mulher com dor no joelho por artrite.
A artrite gonocócica é a consequência da disseminação da bactéria que causa a gonorreia pela corrente sanguínea.

Quais são os seus sintomas?

Os sintomas da artrite gonocócica podem variar de pessoa para pessoa. Entre os sinais clínicos mais comuns encontramos os seguintes:

  • Incapacidade de mover a articulação que está infectada.
  • Febre (aproximadamente 60% dos casos).
  • Dor nas articulações por 1-4 dias.
  • Ardência ao urinar, sinal da presença da bactéria no trato geniturinário do paciente.

Por outro lado, a pesquisa médica separa os quadros clínicos produzidos pela bactéria da gonorreia em dois grandes blocos. Estes são os seguintes:

  1. Síndrome de artrite-dermatite: Esta é uma forma de IGD que inclui inflamação do tendão, dermatite, febre e dor em várias articulações. As manifestações dermatológicas são na forma de úlceras elevadas em 75% dos pacientes em várias partes do corpo.
  2. Artrite séptica localizada: neste caso, a infecção se apresenta apenas com sintomas nas áreas afetadas.

Como a artrite gonocócica é diagnosticada?

O diagnóstico de artrite gonocócica, ou mesmo de qualquer artrite séptica, requer vários testes para fazer uma aproximação exata. Entre os métodos de diagnóstico mais comuns, encontramos o seguinte:

  • Histórico com estudo e cultura do líquido sinovial: Um teste de laboratório para detectar germes causadores de infecção em uma amostra do líquido que envolve uma articulação.
  • Hemocultura: semeando amostras de sangue do paciente em diferentes meios de cultura para verificar se há bactérias presentes em seu sangue.
  • Cultura da garganta, pois as bactérias que causam gonorreia podem se instalar nas membranas mucosas dessa área.
  • Exame de urina para gonorreia.
  • Raios-X e outros diagnósticos por imagem.

Vários métodos diagnósticos são necessários, pois às vezes um só não é suficiente para detectar a bactéria. Por exemplo, as hemoculturas são positivas apenas para 1/3 dos casos infectados com Neisseria.

Tratamentos disponíveis

Como em qualquer outra infecção bacteriana, recorrer a antibióticos é uma obrigação. O primeiro tratamento preventivo consiste na administração de ceftriaxona, por via intravenosa ou intramuscular. Outros medicamentos antimicrobianos, como certas cefalosporinas de terceira geração, também podem ser incluídos.

A terapia varia de 7 a 14 dias, dependendo do estado de saúde da pessoa e da resposta aos antibióticos prescritos. Cabe ressaltar que algumas cepas de Neisseria são resistentes a determinados grupos de antibióticos, portanto o tratamento pode variar de acordo com a situação de cada paciente.

Além de tratar o paciente, é necessário monitorar todas as pessoas que estiveram em contato com ele nos últimos dois meses. Isso impedirá a propagação da infecção.

Médico com garrafa de antibióticos
Os antibióticos são um tratamento de primeira escolha quando se trata de combater a artrite gonocócica.

Existem possíveis complicações?

Sem tratamento, esta doença pode causar dor articular persistente. Por outro lado, se a infecção se espalhar para outras áreas, pode causar inflamação nos tecidos do crânio e do coração, como meningite e endocardite, respectivamente. Por estas razões, qualquer doença de natureza bacteriana deve ser tratada com urgência.

Procurar atendimento imediato melhora o prognóstico

A artrite gonocócica é uma complicação relativamente incomum da infecção por Neisseria gonorrhoeae. Embora esta infecção sexualmente transmissível (IST) seja tão difundida no mundo, poucos pacientes portadores têm artrite gonocócica.

Mesmo assim, se você tiver coceira no sistema geniturinário e, ao mesmo tempo, uma dor intensa aparecer em uma articulação, é possível que você esteja sofrendo de artrite gonocócica. Com o tratamento adequado, esses sinais clínicos desaparecerão imediatamente sem maiores complicações.

This might interest you...
A gonorreia pode ser transmitida pelo beijo na boca?
Melhor Com Saúde
Leia em Melhor Com Saúde
A gonorreia pode ser transmitida pelo beijo na boca?

A gonorreia é uma infecção bacteriana que pode se espalhar como uma IST. Os pacientes geralmente têm coceira no trato genital.