Proteína da ervilha: valor nutricional e benefícios

20 de dezembro de 2019
A proteína da ervilha atingiu grandes vendas e popularidade nas academias, graças à crescente disseminação de suas propriedades nutricionais e benefícios à saúde.

Quer saber mais sobre a proteína da ervilha? Continue lendo que, neste artigo, falaremos mais sobre seus benefícios, valor nutricional e possíveis efeitos colaterais.

Por vários anos, os concentrados de proteína em pó têm sido muito bem-sucedidos em suplementos alimentares, especialmente com atletas, para ganhar massa muscular.

Os produtos tradicionais têm sido os concentrados da proteína do soro do leite e de soja.

Porém, recentemente a proteína da ervilha alcançou grandes vendas e popularidade nas academias, graças à crescente disseminação de suas propriedades nutricionais e benefícios à saúde.

O que é a proteína da ervilha?

Ervilha natural

As ervilhas pertencem à família das leguminosas, especificamente são obtidas da planta Pisum sativum. Mas, a variedade de ervilhas verdes e amarelas é a que finalmente é usada como matéria-prima na fabricação de proteínas em pó.

As ervilhas são naturalmente mais ricas em proteínas (20-25%) do que as ervilhas doces (5-6%), por isso é mais fácil (e gera menos desperdício) fazer uma proteína em pó a partir de algo que já é bastante rico em proteínas

Embora não esteja entre as principais proteínas consumidas, os especialistas esperam um aumento drástico de sua popularidade nos próximos anos, com um grande aumento de pessoas conscientes e preocupadas com a saúde.

São especialmente as pessoas que baseiam suas dietas em produtos de origem vegetal os principais consumidores desse tipo de suplemento como, por exemplo, veganos e vegetarianos. Assim, a presença de qualquer produto de origem animal é completamente eliminada.

Valor nutricional

Uma porção de proteína de ervilha em pó corresponde a cerca de 23 gramas, que contém:

  • 90-103 calorias.
  • 7 g de carboidratos
  • 17-23,9 g de proteína
  • 0,3 g de gordura
  • 6 g de fibra
  • 400 UI de vitamina D (100% IDR).
  • 5 UI de vitamina E (18% de IDR).
  • 5 mg de vitamina K (6% de IDR).
  • 200 UI de vitamina A (4% de IDR).

Nota: IDR refere-se à ingestão diária recomendada.

Perfil de aminoácidos:

Sua doação de aminoácidos, quase completa, é um suplemento altamente recomendado.

  • Alanina 0,62 g.
  • Arginina 1,70 g.
  • Glicina 0,63 g.
  • Histidina 0,47 g.
  • Metionina 0,13 g.
  • Fenilalanina 0,85 g.
  • Treonina 0,64 g.
  • Triptofano 0,28 g.
  • Leucina 1,44 g.
  • Tirosina 0,63 g.
  • Lisina 1,23 g.
  • Valina 0,70 g.
  • Ácido aspártico 1,7 2 g.
  • Prolina 0,72 g.
  • Ácido glutâmico 2,92 g.
  • Serina 0,91 g.
  • Isoleucina 0,73 g.
  • Cisteína 0,12 g.

Possui a maioria dos aminoácidos em boa quantidade, principalmente em lisina e arginina. No entanto, faltam os aminoácidos cisteína ou metionina, por isso é enriquecido por pós de proteína de arroz ou hidrolisados ​​de proteína de trigo.

Leia também: A proteína vegetal é suficiente para um atleta?

Benefícios para a saúde da proteína da ervilha

1. Ajuda a perder gordura

Perder barriga com proteína da ervilha

Quando se trata de perder peso e, especialmente, gordura, precisamos criar um déficit calórico, ou seja, ingerir menos calorias do que o nosso corpo gasta. Assim, o corpo será influenciado a recorrer aos depósitos lipídicos e mobilizá-los, para resolver a falta de energia.

Nesse processo, podemos melhorar e lidar com a fome fornecendo proteínas, dado seu poder saciante, diferentemente de, por exemplo, outros macronutrientes, gorduras e carboidratos. Mas, isso ocorre devido à grelina, o hormônio responsável por sinalizar ao cérebro a necessidade de nos alimentarmos.

Nesse caso, a proteína, e em particular a quantidade de peptídeos (ligações de aminoácidos) que a proteína da ervilha fornecerá, atrasará o esvaziamento do estômago e também a secreção de grelina. Assim, a proteína do soro de leite e da ervilha compartilham essa capacidade de aumentar a “sensação de estar cheio”.

2. Pode promover a função renal

Alguns estudos sugerem que a proteína da ervilha pode ser uma das melhores fontes de proteína para pessoas com problemas renais. De fato, de acordo com a pesquisa, a proteína da ervilha pode ajudar a retardar ou prevenir o aparecimento de danos nos rins naqueles com pressão alta.

Além disso, também poderia ajudar as pessoas com doença renal a viver mais, estabilizando os níveis de pressão arterial e aumentando a função da urina para ajudar o corpo a se livrar das toxinas com mais eficiência.

Nota: No caso de pacientes com doença renal, deve ser consumida com rigoroso controle médico.

3. Apoia a saúde do coração

Brinquedo de coração nas mãos do médico

A proteína da ervilha é compatível com um coração saudável. Em 2011, uma pesquisa relatou que a proteína da ervilha reduz a pressão arterial quando ela está em seus níveis mais altos.

O estudo, realizado em ratos, demonstrou uma queda significativa em sua pressão arterial sistólica e diastólica durante apenas oito semanas.

Leia também: 10 hábitos que beneficiam seu coração e cérebro

4. A proteína da ervilha ajuda a regular o açúcar no sangue

Quando ingerimos alimentos ricos em carboidratos, aumentamos a glicose no sangue (açúcar no sangue) e nosso corpo a neutraliza secretando insulina do pâncreas, para retornar ao estado basal.

Assim, segundo um estudo, a proteína em pó da ervilha pode ser benéfica quando se trata de manter os níveis normais de açúcar no sangue. Além disso, está provado que a proteína da ervilha pode ser considerada um ingrediente benéfico e pode ajudar a melhorar o controle glicêmico quando combinada com outros alimentos.

Efeitos colaterais e precauções

Por fim, não há efeitos colaterais que foram comprovados ao ingerir proteína de ervilha. O ideal é consumir o que é necessário, de acordo com os requisitos recomendados.

  • É provável que o consumo excessivo possa causar diarreia, mas não foi comprovado com segurança.
  • Muita proteína pode levar a um aumento no ácido úrico, que é contraproducente em pacientes com gota ou com algum grau de hiperuricemia.
  • O alto consumo de proteínas, de origem animal ou vegetal, pode causar descalcificação, com consequente osteopenia ou osteoporose.

Por fim, lembre-se de que a proteína em pó não deve substituir completamente a ingestão de proteínas de fontes alimentares. O correto será obter proteínas de uma dieta variada e equilibrada, na qual podemos aplicar alguns suplementos.

  • Mollard RC, Luhovyy BL, Smith C, Anderson GH. Acute effects of pea protein and hull fibre alone and combined on blood glucose, appetite, and food intake in healthy young men–a randomized crossover trial. Appl Physiol Nutr Metab. 2014 Dec;39(12):1360-5. doi: 10.1139/apnm-2014-0170. Epub 2014 Aug 2. PubMed PMID: 25302637.
  • Weigle DS, Breen PA, Matthys CC, Callahan HS, Meeuws KE, Burden VR, Purnell JQ. A high-protein diet induces sustained reductions in appetite, ad libitum caloric intake, and body weight despite compensatory changes in diurnal plasma leptin and ghrelin concentrations. Am J Clin Nutr. 2005 Jul;82(1):41-8. PubMed
    PMID: 16002798.
  • Girgih AT, Nwachukwu ID, Onuh JO, Malomo SA, Aluko RE. Antihypertensive Properties of a Pea Protein Hydrolysate during Short- and Long-Term Oral Administration to Spontaneously Hypertensive Rats. J Food Sci. 2016 May;81(5):H1281-7. doi: 10.1111/1750-3841.13272. Epub 2016 Apr 1. PubMed PMID:
    27037677.
  • Pea Protein Powder: Nutrition, Benefits and Side Effects. https://www.healthline.com/nutrition/pea-protein-powder