As 10 propriedades da canela para a saúde

05 Outubro, 2020
A canela tem sido amplamente estudada devido aos seus usos tradicionais associados à saúde. Graças a isso, hoje as evidências apoiam muitas de suas propriedades. Confira a seguir com mais detalhes.

A canela é uma especiaria obtida da casca interna de árvores, cientificamente conhecida como Cinnamomum. É um ingrediente que tem sido valorizado ao longo da história, tanto por seus usos gastronômicos quanto por suas aplicações medicinais. Você conhece as propriedades da canela para a saúde?

Embora não seja um ingrediente milagroso para combater doenças, a canela possui compostos que promovem a saúde. De acordo com informações da Critical Reviews in Food Science and Nutrition, ela tem efeitos anti-inflamatórios, antimicrobianos, antioxidantes, redutores de colesterol e imunomoduladores.

Além disso, mostrou resultados promissores como complemento no tratamento de doenças como a diabetes tipo 2. O melhor de tudo é que este é um ingrediente muito econômico que pode ser facilmente adquirido em supermercados e lojas de produtos naturais. Conheça mais sobre seus principais usos.

Tipos de canela

Existem muitos tipos de canela, mas apenas quatro são usados ​​para uso comercial:

  • Canela cassia: é a mais barata e possivelmente a mais consumida. Seu consumo em altas doses não é recomendado para evitar possíveis danos no fígado.
  • Canela-do-ceilão: é de melhor qualidade e, quando ingerida em quantidades moderadas, não é prejudicial ao organismo. Seu sabor é suave, doce e perfumado.
  • Canela Korintje: é uma canela semelhante à cassia.
  • Canela Saigon: também conhecida como canela vietnamita, é considerada a canela com o melhor sabor e cheiro, embora seus altos níveis de cumarina possam ser prejudiciais à saúde.
Pesquisas sobre a canela determinaram que ela é anti-inflamatória, antioxidante e antimicrobiana.

Benefícios da canela para a saúde

A canela é conhecida em todo o mundo por seu sabor e cheiro específicos. Isso acontece devido à sua parte mais oleosa, que é rica em um composto chamado cinamaldeído. Segundo informações da Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos, essa substância tem efeitos hipoglicêmicos, vasodilatadores e antifúngicos.

De fato, muitas das propriedades da canela para a saúde são atribuídas a essa substância. No entanto, deve-se notar que em doses elevadas, a canela pode ser prejudicial. Portanto, o seu consumo deve ser moderado, sempre em pequenas quantidades.

Além disso, a canela não supõe uma cura para as doenças e pode interferir na ação de certos medicamentos. Por isso, é aconselhável consultar um médico antes de consumi-la como um complemento. Depois de deixar isso claro, vamos olhar para os detalhes de suas propriedades.

1. Contribui para reduzir a inflamação

Os componentes antioxidantes da canela têm um efeito anti-inflamatório que ajuda a reduzir o risco de doença. Isso é apoiado por um estudo publicado na Food & Function, que sugere que seus extratos orgânicos têm uma poderosa atividade anti-inflamatória. Isso, em geral, impede que a inflamação ataque os tecidos do próprio corpo.

2. Favorece o controle da glicose

As pessoas com diabetes tipo 2 encontram um ótimo aliado na canela. Consumir esse tempero com o estômago vazio e depois de comer ajudar a reduzir os níveis de açúcar no sangue, como evidenciado por um estudo publicado no Diabetes, Obesity and Metabolism.

De acordo com outra pesquisa publicada no Journal of American College of Nutrition, compostos de canela, como a hidroxicalcone, atuam nas células com um efeito semelhante à insulina. Em todo caso, não substitui os tratamentos médicos. É importante consultar o médico sobre possíveis interações dessa especiaria com os fármacos.

3. Ajuda a combater o pé de atleta

O óleo essencial de canela, por suas propriedades antifúngicas, é utilizado no tratamento do fungo nos pés. Para isso, aplique na região afetada algumas gotas do óleo, fazendo uma massagem suave. Em seguida, deixe agir a noite toda, cobrindo o pé com uma meia.

Faltam evidências, mas o óleo essencial de canela mostrou atividade antifúngica. Por esse motivo, acredita-se que ajude a combater o pé de atleta.

4. Reduz os problemas respiratórios

A canela também tem propriedades anti-inflamatórias e antibacterianas. Portanto, como observado em um estudo publicado na revista Nutrients, ela ajuda a reduzir os sintomas dos problemas respiratórios. Para esse fim, pode ser consumido em infusão, até 2 vezes ao dia.

5. Ajuda a perder peso

A canela não consegue reduzir o excesso de peso sozinha. É preciso lembrar que um peso saudável é a soma de vários fatores, como uma alimentação saudável e exercício físico regular. No entanto, devido às suas interessantes propriedades, esse tempero pode servir como um complemento para perder peso.

Uma recente meta-análise publicada na Clinical Nutrition concluiu que a suplementação de canela favorece o controle da obesidade. Portanto, pode ser sugerido como um complemento para pessoas com excesso de peso.

6. Cuida da saúde cerebral

A canela possui óleos essenciais, magnésio, flavonoides de zinco e iodo, que favorecem a circulação sanguínea e, portanto, o bom funcionamento do cérebro.

Em um estudo publicado no Journal of Alzheimer’s Disease, verificou-se que substâncias como o cinamaldeído e a epicatequina contidas nesse tempero agem sobre uma proteína no cérebro chamada tau, que é frequentemente associada à doença de Alzheimer. Por enquanto, esse efeito continua sendo pesquisado.

7. Contribui para reduzir o envelhecimento prematuro

Devido à sua concentração de nutrientes e antioxidantes, não é de se surpreender que a canela também beneficie a saúde da pele. Acredita-se que tanto seu consumo quanto sua aplicação externa possam contribuir para a prevenção do envelhecimento precoce. De qualquer forma, faltam evidências que comprovem tal efeito.

8. Relaxa os músculos

O óleo essencial de canela é usado em combinação com um óleo carreador para massagear os músculos. Assim, parece ajudar a reduzir a tensão e a dor leve. Também pode ser útil adicionar o óleo à água da banheira.

Você pode se interessar em ler: Aprenda a fazer massagens relaxantes

9. Alivia as dores menstruais

A canela não faz desaparecer as cólicas menstruais de maneira milagrosa, mas ajuda a reduzi-las.

Um estudo publicado no Journal of Clinical and Diagnostic Research concluiu que a canela pode ser considerada como um tratamento seguro e eficaz para a dismenorreia primária. Quando você sentir dores menstruais, uma xícara da infusão funciona como calmante.

10. Ajuda a cuidar da saúde óssea

Embora as evidências a esse respeito sejam limitadas, o consumo de canela pode ser benéfico para cuidar da saúde óssea. Tanto seu conteúdo antioxidante quanto seus minerais e agentes anti-inflamatórios estariam por trás desse efeito. Especificamente, poderiam ajudar a reduzir o risco de desenvolver osteoporose e condições inflamatórias.

Canela para cuidar da saúde

Por si só, a canela não é um tratamento para doenças. No entanto, combinada com uma alimentação equilibrada e um estilo de vida saudável, é benéfica. Seus componentes, de acordo com várias investigações, têm mostrado efeitos positivos para a saúde.

O importante é consumir em quantidades moderadas. Para um uso seguro, o ideal é consultar o médico antes de consumi-la regularmente. O profissional pode ajudar a determinar se há riscos de efeitos indesejáveis ​​ou possíveis contraindicações.

  • Gruenwald, J., Freder, J., & Armbruester, N. (2010). Cinnamon and health. Critical Reviews in Food Science and Nutrition50(9), 822–834. https://doi.org/10.1080/10408390902773052
  • Hajimonfarednejad, Mahdieh & Ostovar, Mohaddese & Raee, Mohammad & Hashempur, M. & Mayer, Johannes & Heydari, Mojtaba. (2018). Cinnamon: A systematic review of adverse events. Clinical Nutrition. 10.1016/j.clnu.2018.03.013.
  • Gunawardena, D., Karunaweera, N., Lee, S., Van Der Kooy, F., Harman, D. G., Raju, R., … Münch, G. (2015). Anti-inflammatory activity of cinnamon (C. zeylanicum and C. cassia) extracts – Identification of E-cinnamaldehyde and o-methoxy cinnamaldehyde as the most potent bioactive compounds. Food and Function6(3), 910–919. https://doi.org/10.1039/c4fo00680a
  • Jarvill-Taylor, K. J., Anderson, R. A., & Graves, D. J. (2001). A hydroxychalcone derived from cinnamon functions as a mimetic for insulin in 3T3-L1 adipocytes. Journal of the American College of Nutrition20(4), 327–336. https://doi.org/10.1080/07315724.2001.1071905
  • Kirkham, S., Akilen, R., Sharma, S., & Tsiami, A. (2009, December). The potential of cinnamon to reduce blood glucose levels in patients with type 2 diabetes and insulin resistance. Diabetes, Obesity and Metabolism. https://doi.org/10.1111/j.1463-1326.2009.01094.x
  • Abdalla, W. (2018). Antibacterial and Antifungal Effect of Cinnamon. Microbiology Research Journal International23(6), 1-8. https://doi.org/10.9734/MRJI/2018/41345
  • Nabavi SF, Di Lorenzo A, Izadi M, Sobarzo-Sánchez E, Daglia M, Nabavi SM. Antibacterial Effects of Cinnamon: From Farm to Food, Cosmetic and Pharmaceutical Industries. Nutrients. 2015;7(9):7729–7748. Published 2015 Sep 11. doi:10.3390/nu7095359
  • Mousavi, S. M., Rahmani, J., Kord-Varkaneh, H., Sheikhi, A., Larijani, B., & Esmaillzadeh, A. (2019). Cinnamon supplementation positively affects obesity: A systematic review and dose-response meta-analysis of randomized controlled trials. Clinical Nutrition. https://doi.org/10.1016/j.clnu.2019.02.017
  • George, R. C., Lew, J., & Graves, D. J. (2013). Interaction of cinnamaldehyde and epicatechin with tau: Implications of beneficial effects in modulating alzheimer’s disease pathogenesis. Journal of Alzheimer’s Disease36(1), 21–40. https://doi.org/10.3233/JAD-122113
  • Jaafarpour M, Hatefi M, Khani A, Khajavikhan J. Comparative effect of cinnamon and Ibuprofen for treatment of primary dysmenorrhea: a randomized double-blind clinical trial. J Clin Diagn Res. 2015;9(4):QC04–QC7. doi:10.7860/JCDR/2015/12084.5783