10 benefícios da melatonina

13 Outubro, 2020
A melatonina é um hormônio que regula os ritmos circadianos do corpo relacionados à luz e oferece diversos benefícios. Você quer saber quais são? Descubra a seguir.

Ao falar sobre os principais benefícios da melatonina, é comum associá-la ao sono e à regulação do ciclo sono-vigília. No entanto, nos últimos tempos, seu uso diversificado tem sido estudado em outras áreas.

As concentrações séricas da substância variam consideravelmente com a idade, e os bebês secretam níveis muito baixos antes dos 3 meses. A secreção aumenta e se torna circadiana com o desenvolvimento infantil. Você sabe quais são os benefícios da melatonina? Falaremos sobre eles a seguir.

Principais benefícios da melatonina

A melatonina regula os ciclos circadianos, como o ritmo sono-vigília, ritmos neuroendócrinos e ciclos de temperatura corporal. Além disso, também oferece outros benefícios. Descubra-os!

1. Anticonvulsivante

Uma crise epiléptica e um período pós-ictal, além de suas características dramáticas, também se destacam pelo consumo massivo de energia. Acredita-se que isso leve ao estresse oxidativo e ao aumento da geração de radicais livres, o que se reflete no envelhecimento celular e no metabolismo prejudicado.

Estudos realizados pela Physiological Research concluíram que o uso de melatonina antes de uma convulsão tônico-clônica reduz os níveis de radicais hidroxila gerados depois dela. É uma aplicação difícil no campo prático da clínica, mas continua sendo estudada.

2. Anti-hipertensivo

A melatonina está envolvida na regulação da pressão arterial e na função cardiovascular autonômica. Em pacientes com hipertensão essencial, a ingestão repetida antes de deitar reduz significativamente a pressão arterial noturna.

Também apresenta apresenta propriedades antioxidantes e mantém concentrações adequadas de óxido de nitrogênio, um forte vasodilatador. Além disso, melhora a função do endotélio e reduz a atividade do sistema adrenérgico.

Medida de pressão arterial
A melatonina pode influenciar os valores da pressão arterial; por isso, pessoas hipertensas podem se beneficiar com o seu consumo.

3. Principais benefícios da melatonina para a prevenção do câncer

Em uma revisão de estudos em 2017, o papel oncostático da melatonina foi demonstrado em vários tipos de câncer, como mama, ovário, próstata, oral, gástrico e colorretal. Essa característica não é curativa, mas ajudaria a desacelerar o processo evolutivo de certos tumores, de modo que eles retardariam a sua reprodução celular anormal.

A melatonina também mostrou potencial para ser usada como adjuvante na quimioterapia do câncer de mama. Parece aumentar os efeitos terapêuticos e reduzir os efeitos colaterais das drogas e da radiação.

Leia também: Quais são os sinais de alerta de câncer de pele e como agir?

4. Antienvelhecimento

A aplicação tópica de melatonina pode ser benéfica, pois penetra no estrato córneo e forma um depósito nesse lugar devido à sua estrutura química lipofílica distinta. Nesse sentido, pode se alojar na estrutura da pele para liberar seus benefícios progressivamente.

Portanto, a produção endógena de melatonina intracutânea, juntamente com a melatonina aplicada topicamente, pode representar um dos mais potentes sistemas de defesa antioxidante contra o envelhecimento da pele induzido pelos raios UV.

5. Regulador do sistema imunológico

A melatonina também regula os processos inflamatórios e imunológicos, atuando como ativador e inibidor dessas respostas. Além disso, sua poderosa capacidade antioxidante permite eliminar o estresse oxidativo em tecidos inflamados.

Com seus efeitos endócrinos e parácrinos, realiza as seguintes ações:

  • Modula enzimas pró-inflamatórias.
  • Controla a produção de mediadores inflamatórios, como citocinas e leucotrienos.
  • Regula a vida útil dos leucócitos.

6. Principais benefícios da melatonina como neuroprotetora

Uma disfunção da regulação da síntese de melatonina é responsável pelas suas mudanças durante os estágios iniciais da doença de Alzheimer. Por isso, estudos do Journal of Pineal Research indicam que a reativação do ciclo circadiano por meio da fototerapia e da suplementação com a substância têm mostrado resultados positivos promissores.

Foi evidenciado um efeito neuroprotetor chave que permite seu uso para a prevenção de doenças neurodegenerativas características da idade avançada, como o Alzheimer.

7. Antioxidante

A melatonina é um ótimo agente neutralizante dos radicais livres encontrados no corpo. Os radicais livres são substâncias oxidantes.

Estudos realizados pela Life Sciences concluíram que a melatonina, que é um composto lipossolúvel, é duas vezes mais ativa que a vitamina E. Acredita-se que seja o antioxidante lipofílico mais eficaz.

Você pode se interessar: Envelhecimento precoce: 3 sucos antioxidantes

8. Motilidade gastrointestinal

A melatonina previne ulcerações da mucosa gastrointestinal através dos seguintes pontos:

  • Atuando como antioxidante.
  • Reduzindo a secreção de ácido clorídrico.
  • Estimulando o sistema imunológico.
  • Promovendo a regeneração epitelial no estômago.
  • Aumentando a microcirculação.

Devido às suas propriedades únicas, a melatonina pode ser considerada para a prevenção ou tratamento da colite ulcerosa, das úlceras gástricas, síndrome do intestino irritável e das cólicas infantis.

9. Os principais benefícios da melatonina para o ciclo reprodutivo

A melatonina tem efeitos fisiológicos na reprodução e na maturação sexual ao diminuir a expressão gênica do hormônio liberador de gonadotrofina (GnRH) em um padrão cíclico durante um período de 24 horas. A liberação rítmica de GnRH controla a secreção do hormônio luteinizante (LH) e do hormônio folículo-estimulante (FSH).

Melatonina
O sono é uma das principais funções reguladas pela melatonina, mas não a única.

10. Transtorno do espectro do autismo

Com relação ao transtorno do espectro do autismo (TEA), anormalidades no sistema serotonérgico e distúrbios do ritmo de sono-vigília observados em crianças com TEA sugerem uma secreção alterada de melatonina nesses pacientes infantis.

Os distúrbios do sono, principalmente o aumento da latência, diminuição do tempo total de sono e os despertares noturnos com insônia, são vistos em 50 a 80% das pessoas com autismo. Um benefício da melatonina pode ser a melhora da qualidade de vida desses pacientes e de seus familiares e cuidadores.

Recomendações com relação à melatonina

O corpo secreta uma maior quantidade dessa substância à noite. A potência do estímulo luminoso que se absorve durante o dia, acompanhado pelo relógio biológico, determina o valor total da substância que o corpo secreta.

Antes de consumir melatonina, é melhor consultar o seu médico, especialmente se você tiver alguma doença. Cabe ao profissional determinar se ela é indicada ou não em cada caso. Esses benefícios que estamos comentando são, em sua maioria, ainda experimentais. Portanto, cada caso clínico em particular deve ser avaliado para definir o seu uso.

  • Tordjman S, Chokron S, Delorme R, et al. Melatonina: farmacología, funciones y beneficios terapéuticos. Curr Neuropharmacol . 2017; 15 (3): 434-443. doi: 10.2174 / 1570159X14666161228122115
  • Kostoglou-Athanassiou I. Aplicaciones terapéuticas de la melatonina. Ther Adv Endocrinol Metab . 2013; 4 (1): 13-24. doi: 10.1177/2042018813476084
  • Jan JE, Bax MC, Owens JA, Ipsiroglu OS, Wasdell MB. Neurophysiology of circadian rhythm sleep disorders of children with neurodevelopmental disabilities. Eur J Paediatr Neurol. 2012;16(5):403-412. doi:10.1016/j.ejpn.2012.01.002
  • Mareš J, Stopka P, Nohejlová K, Rokyta R. Oxidative stress induced by epileptic seizure and its attenuation by melatonin. Physiol Res. 2013;62 Suppl 1:S67-S74.
  • Li Y, Li S, Zhou Y, et al. Melatonin for the prevention and treatment of cancer. Oncotarget. 2017;8(24):39896-39921. doi:10.18632/oncotarget.16379
  • Fischer TW, Slominski A, Zmijewski MA, Reiter RJ, Paus R. Melatonin as a major skin protectant: from free radical scavenging to DNA damage repair. Exp Dermatol. 2008;17(9):713-730. doi:10.1111/j.1600-0625.2008.00767.x
  • Radogna F, Diederich M, Ghibelli L. Melatonin: a pleiotropic molecule regulating inflammation. Biochem Pharmacol. 2010;80(12):1844-1852. doi:10.1016/j.bcp.2010.07.041
  • Wu YH, Swaab DF. The human pineal gland and melatonin in aging and Alzheimer’s disease. J Pineal Res. 2005;38(3):145-152. doi:10.1111/j.1600-079X.2004.00196.x
  • Scheer FA, Van Montfrans GA, van Someren EJ, Mairuhu G, Buijs RM. Daily nighttime melatonin reduces blood pressure in male patients with essential hypertension. Hypertension. 2004;43(2):192-197. doi:10.1161/01.HYP.0000113293.15186.3b
  • Bubenik GA. Gastrointestinal melatonin: localization, function, and clinical relevance. Dig Dis Sci. 2002;47(10):2336-2348. doi:10.1023/a:1020107915919
  • González González, Alicia. “Efectos sensibilizadores de la melatonina a la quimioterapia ya la radioterapia en el cáncer de mama: acciones antiangiogénicas y adipogénicas.” (2019).
  • Roy D, Belsham DD. Melatonin receptor activation regulates GnRH gene expression and secretion in GT1-7 GnRH neurons. Signal transduction mechanisms. J Biol Chem. 2002;277(1):251-258. doi:10.1074/jbc.M108890200