Por que temos que evitar comparar as crianças?

· 1 de novembro de 2018
Comparar as crianças umas com as outras, muitas vezes afeta a autoestima de nossos filhos. Você deve evitar essa prática que prejudica o desenvolvimento da personalidade da criança.

Comparar as crianças umas com as outras é uma prática muito comum que os pais realizam, quando querem corrigir seus filhos. No entanto, é um erro, porque traz como consequência problemas de autoestima nos pequenos.

Ao medir as capacidades de seus filhos com seus irmãos, amigos ou vizinhos, você está exigindo de forma indireta que ele seja como o outro. Isso gera nas crianças um alto grau de impotência e insegurança, quando não conseguem se ajustar às expectativas dos pais.

Existem dois tipos de comparações, aquelas que são feitas entre a criança e seus irmãos, ou aquelas que são estabelecidas entre a criança e os seus amigos. No primeiro caso, corre-se o risco de promover o ressentimento e o ciúme entre irmãos, sem perceber o dano que se cria no relacionamento fraterno. No segundo, se incentiva negativamente a rivalidade entre a criança e seus amigos.

Além disso, você pode cometer o erro de subestimar as qualidades e virtudes que a criança possui. Isso traz como consequência que a criança internalize isso, e pode começar a ter comportamentos negativos.

Comparar as crianças não é o ideal

Embora as comparações possam servir como ferramentas motivadoras para alcançar certas conquistas. Também deve-se prestar atenção especial à maneira como fazemos isso. Já que o espaço entre o negativo e o positivo é muito pequeno, e as crianças podem se tornar perfeccionistas ao extremo.

Comparar as crianças umas com as outras não é o ideal

Por essa razão, é importante ficar alerta para não fazer uso inconsciente das comparações. Para evitar comparar umas crianças com outras, tente ensinar seu filho a identificar os aspectos positivos do outro, que servirão como motivação e inspiração para alcançar seus objetivos.

Também, é fundamental destacar as qualidades positivas que seus filhos têm e reforçá-las. Deve ficar claro que cada criança é única, e que tem sua própria personalidade, que desenvolvem durante sua formação e crescimento.

Por outro lado, os pais devem levar em consideração que cada criança desenvolve suas habilidades em seu próprio ritmo. A participação ativa dos pais nesse estágio é essencial, para nutrir as habilidades e reforçar o comportamento positivo que a criança tem.

Você está interessado em ler: O que acontece quando não recebemos muito amor na infância?

Identifique em que aspectos você está comparando

É de vital importância identificar e refletir sobre quais aspectos valorizamos, quando comparamos uma criança com a outra. Na maioria das ocasiões, se dá mais importância aos aspectos como popularidade e imagem, em vez de enfatizar as diferentes qualidades e valores que cada criança possui.

Aspectos para comparar as crianças umas com as outras

Nesse sentido, evite comparar algumas crianças com outras e guie essa atitude em relação à aceitação das virtudes e defeitos de seu filho. Isso reforça comportamentos positivos, como simpatia, perseverança e senso de humor. Qual será o grande benefício no contrapeso de seu desenvolvimento para sua vida como um adulto.

Para poder criar filhos com autoestima elevada, feliz e segura, você deve evitar compará-los com outras crianças. Esta é uma prática que os adultos realizam diariamente sem estarem cientes dos resultados. Em vista do fato de que cada criança é única, a afetação é diferente e as consequências podem ser negativas.

Leia também: Por que algumas crianças se comportam mal na presença de sua mãe?

Aspectos a considerar

Cada criança é única e devemos evitar comparar as crianças umas com as outras, concentrando-nos em destacar o aspecto positivo da sua personalidade. Pais que tentam motivar seus filhos usando comparações, não percebem que isso pode ser prejudicial.

Cada criança é única e devemos evitar comparar as crianças umas com as outras

Inconscientemente, impomos nosso desejo de como queremos que nossos filhos sejam. Essa atitude não produz nenhum benefício, já que não concedemos espaços para que os pequenos demonstrem suas habilidades inatas.

Se a criança se adaptar às comparações, pode ficar marcada para o resto de sua vida. Este modelo irá se repetir ao longo de sua vida adulta, destruindo sua autoestima, e tornando-a uma pessoa infeliz.

A criança deve aceitar e reconhecer que todos nós temos fraquezas, mas também que cada um tem grandes virtudes e forças. Os pais devem mostrar aos filhos que eles os amam, e os aceitam como são.

Além disso, os pais devem assumir a responsabilidade de orientar e canalizar todas as qualidades das crianças. Da mesma forma, recomenda-se que, se você não tiver as ferramentas necessárias para lidar com esse comportamento, é ideal procurar um especialista em comportamento infantil.