Por que meu pescoço dói?

As causas pelas quais o pescoço dói são variadas, e apenas em alguns casos esta dor está relacionada a alguma patologia grave. Saiba mais neste artigo.
Por que meu pescoço dói?

Última atualização: 15 Março, 2021

As pessoas que costumam dizer que o seu pescoço dói nem sempre conhecem as razões pelas quais isso acontece. Por ignorarem a origem do problema, também não sabem quais medidas tomar para buscar uma solução.

Os motivos pelos quais isso acontece são variados, mas não necessariamente têm relação com um problema grave de saúde. No entanto, não se deve descartar a possibilidade de fazer uma consulta médica, principalmente se a dor for contínua, forte ou acompanhada por outros sintomas graves.

Na maioria dos casos, o pescoço dói por causas benignas. É comum que este incômodo seja acompanhado por dores em outras regiões que se conectam com ele, como os ombros, as costas, a cabeça e a mandíbula. No entanto, costuma ser superado com cuidados básicos. Você quer saber mais sobre isso? Então continue lendo.

A dor no pescoço

Segundo dados do Instituto de Calidad y Eficiencia en la Atención de la Salud, a dor no pescoço pode ter diferentes localizações e intensidades.

No geral, é uma dor leve que piora quando a pessoa é obrigada a manter a cabeça erguida por longos períodos de tempo. Isso acontece, por exemplo, com quem trabalha no computador ou dirigindo.

Dor no pescoço
A dor no pescoço costuma surgir acompanhada por incômodos nos ombros e nas costas. No entanto, a maior parte dos casos não causa problemas graves.

É comum que a dor seja acompanhada por espasmos ou rigidez nos músculos da região. Além disso, é comum sentir algum grau de dificuldade para mover a cabeça quando estamos com dor no pescoço.

A dor no pescoço pode ser um sintoma de algo grave quando persiste por muitos dias sem alívio, ou tem uma intensidade elevada demais. Neste sentido, se ela irradiar para os braços ou as pernas, for acompanhada de formigamento, fraqueza ou dores de cabeça, é necessário consultar um médico o mais rápido possível.

Tipos de dor no pescoço

Nem todas as dores no pescoço são iguais. De acordo com a sua natureza, elas podem ser classificadas da seguinte maneira:

  • Dor muscular. Ocorre nos músculos do pescoço e nos ombros. Com frequência, é possível apalpar pequenos nós na região, que são macios ao tato.
  • Espasmo muscular. Neste caso, um estudo publicado na Acta Ortopédica Mexicana destaca que ocorre uma rigidez que dificulta o movimento da cabeça, já que a dor é sentida principalmente ao tentar girar o pescoço.
  • Dor nervosa. Pode afetar os nervos espinhais, e o incômodo ocorre de forma intensa e breve, acompanhado de pontadas.
  • Dor óssea. É intensa, incomum e exige uma consulta imediata ao médico.
  • Dor associada à cabeça. Muitas vezes é sentida na nuca, acompanhada de dor de cabeça, e costuma ser leve e persistente.
  • Dor referida. Aparece ao realizar uma ação específica que não está relacionada de maneira direta com o pescoço, como comer ou levantar um objeto com as mãos. Também exige uma consulta médica.
  • Dor facetária. É sentida nas vértebras e costuma irradiar para o ombro ou a parte superior das costas. Quase sempre piora pela manhã, ou depois de um tempo prolongado de inatividade. Em geral, está relacionada à artrite.

Por que o pescoço dói?

As principais razões pelas quais o pescoço dói são as seguintes:

  • Má postura. Ocorre por uma postura inapropriada, sobretudo ao se sentar ou ao dormir. Às vezes se deve ao travesseiro, à falta de apoio na cabeça ou a qualquer outro fator pelo qual o pescoço fica desalinhado e tenso.
  • Ansiedade ou estresse. Podem fazer com que os músculos se contraiam e causem dor. Estes fatores e a má postura são as causas mais frequentes de dor no pescoço.
  • Desgaste ou deterioração. A idade provoca desgaste na região cervical, levando a uma deterioração das vértebras ou dos discos do pescoço.
Alongar o pescoço no trabalho
Na maioria dos casos, a dor no pescoço é o resultado de uma má postura ou de um movimento brusco. No entanto, também pode ser um sintoma de algumas lesões e doenças.
  • Lesão cervical. Também é conhecida como efeito chicote e é uma lesão que ocorre quando a cabeça se move para a frente e para trás logo em seguida, de forma violenta e súbita.
  • Radiculopatia cervical. É caracterizada por uma dor irradiada para os braços, com rigidez e sensação de pontadas nos mesmos. Surge pela irritação dos nervos da medula espinhal.
  • Lesão do plexo braquial. É acompanhada por dor na mão e quase sempre se origina por causa de um acidente automobilístico ou esportivo.
  • Outras causas. Incluem hérnia de disco cervical, artrite reumatoide, artrose, meningite ou câncer, entre outros.

O que fazer quando o pescoço dói?

Como você pôde ver, há várias possíveis causas para explicar por que o pescoço dói.

Em algumas ocasiões, a dor é a simples consequência de manter uma postura inapropriada por um tempo prolongado. Felizmente, há remédios naturais que proporcionam alívio nos casos mais leves.

No entanto, às vezes a dor ocorre por uma lesão ou outras doenças. O Dr. Steven P. Cohen explica que 50% dos pacientes podem continuar sentindo episódios de dor. Portanto, se ela for intensa ou for acompanhada por outros sintomas, é preciso consultar um médico para obter um diagnóstico preciso.

Pode interessar a você...
Como prevenir a síndrome do pescoço de texto?
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Como prevenir a síndrome do pescoço de texto?

A síndrome do pescoço de texto é o conjunto de sintomas que surgem devido ao uso de smartphones. Saiba mais sobre como preveni-la neste artigo.



  • Binder AI. Neck pain. BMJ Clin Evid. 2008;2008:1103. Published 2008 Aug 4.
  • Cohen, S. P. (2015). Epidemiology, diagnosis, and treatment of neck pain. In Mayo Clinic Proceedings (Vol. 90, pp. 284–299). Elsevier Ltd. https://doi.org/10.1016/j.mayocp.2014.09.008
  • InformedHealth.org [Internet]. Cologne, Germany: Institute for Quality and Efficiency in Health Care (IQWiG); 2006-. Neck pain: Overview. 2010 Aug 24 [Updated 2019 Feb 14]. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK338120/
  • Martínez CF, Hernández RLA, García TJL, et al. Espasmo muscular del cuello en el esguince cervical y su correlación con la severidad de la lesión. Acta Ortop Mex. 2004; 18 (Suplemento: 1): 7-12.
  • Puebla Díaz, F. (2005). Tipos de dolor y escala terapéutica de la OMS: Dolor iatrogénico. Oncología (Barcelona), 28(3), 33-37.