Anatomia do pescoço: que ossos e cartilagens o formam?

O pescoço é uma estrutura anatomicamente muito avançada, pois abriga inúmeros elementos em um pequeno espaço.
Anatomia do pescoço: que ossos e cartilagens o formam?

Última atualização: 20 Fevereiro, 2021

Conheça a anatomia do pescoço, a parte do corpo que faz a transição entre o tronco e a cabeça. É uma estrutura de vital importância, através da qual passam os vasos sanguíneos e os nervos necessários para a nossa sobrevivência.

É uma área fina e flexível que permite a mobilidade da cabeça. No entanto, é também uma área vulnerável, pois qualquer lesão pode danificar o suprimento de sangue para o cérebro ou suas transmissões nervosas.

O pescoço é uma estrutura mais complexa do que aparenta. É constituído por uma série de ossos, cartilagens, músculos, vasos e nervos. Neste artigo, focaremos nos ossos e cartilagens que o compõem.

Como definimos o pescoço?

Para facilitar o estudo do pescoço, foram estabelecidos diversos limites superficiais que o definem. O pescoço começa na borda inferior da mandíbula e no osso occipital, que é a base do crânio. De lá, ele se estende às clavículas e ao esterno na parte da frente. Na parte de trás, o pescoço atinge a vértebra C7.

O pescoço humano é uma das estruturas mais complexas dos mamíferos, pois contém muitos elementos importantes que se reúnem em um espaço muito pequeno. Essas estruturas incluem, entre outras:

  • As artérias carótidas.
  • A faringe.
  • A laringe.
  • A traqueia.
  • Inúmeros nervos.

Vamos explicar o que protege todas essas partes.

Alongar o pescoço

Quais ossos compõem a anatomia do pescoço?

O esqueleto do pescoço é constituído pelas vértebras cervicais, o osso hioide, as clavículas e o esterno. A parte cervical da coluna, ou seja, o pescoço, é composta por sete vértebras.

Além disso, também existem articulações intervertebrais, que dão flexibilidade e movimento. De fato, é também uma estrutura sensível a choques e que geralmente sofre dores.

Vértebras cervicais

As vértebras não são todas iguais. Como mencionamos, o pescoço é composto por sete vértebras. Da terceira à sexta, são todas iguais:

  • Elas têm um corpo vertebral e uma uma apófise espinhosa, que é a parte de trás da vértebra.
  • Têm uma face superior côncava e uma inferior convexa.
  • Além disso, são pequenas em relação ao resto e um pouco achatadas.

A primeira vértebra é chamada de atlas. É um osso em forma anel, sem corpo ou apófise. É formada por duas massas laterais que são conectadas por arcos, daí seu formato de anel. É a vértebra que entra em contato com o osso occipital.

A segunda vértebra, ou C2, é chamada de áxis. O que a diferencia do resto das vértebras cervicais é a sua apófise. É o chamado processo odontoide, que é uma projeção do corpo em forma de plugue.

Finalmente, a vértebra C7 difere do resto também em sua apófise. É uma apófise espinhosa, como a das vértebras C3 a C6, mas não é bífida. Essa apófise espinhosa é mais longa do que as outras apófises cervicais e, por causa desse traço distinto, também é chamada de “proeminente”.

Osso hioide

É um osso móvel localizado na parte anterior do pescoço. Está no nível da terceira vértebra, entre a mandíbula e a cartilagem da tireoide. Curiosamente, ele não se articula com nenhum outro osso. É suportado por uma série de ligamentos que surgem desde os ossos temporais do crânio, chamados de ligamentos estilo-hioideo, e está ancorado à cartilagem da tireoide.

Mulher sentindo seu pescoço

Cartilagem e ligamentos do pescoço

Em primeiro lugar, devemos mencionar a cartilagem tireoide, a cricoide e a epiglote. Elas formam a frente do pescoço, fazendo parte da laringe e permitindo a respiração.

Por outro lado, as articulações cervicais são formadas pelos discos que se interpõem entre as vértebras e por uma série de ligamentos. Os discos intervertebrais têm uma parte central chamada núcleo pulposo e uma parte externa chamada anel fibroso.

O ligamento longitudinal anterior une as vértebras na frente. Da mesma forma, há um ligamento longitudinal posterior. O ligamento amarelo conecta as articulações das duas vértebras seguidas por sua parte posterior.

Os ligamentos intertransversários e interespinhosos conectam as vértebras entre as suas apófises. Finalmente, também encontramos o ligamento supraespinhal, que em sua parte mais alta forma o ligamento da nuca.

Conclusão sobre a anatomia do pescoço

A anatomia do pescoço é muito complexa e, para ser entendida, deve ser estudada profundamente. Suas sete vértebras, com seus correspondentes ligamentos e discos intervertebrais, são o que permite que o pescoço seja uma estrutura flexível.

Pode interessar a você...
8 conselhos para manter a coluna vertebral forte e saudável
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
8 conselhos para manter a coluna vertebral forte e saudável

Quer saber como manter a coluna vertebral forte e saudável? Não deixe de conhecer as recomendações que listamos neste artigo!