Perimenopausa: sintomas e tratamento

4 de abril de 2020
A perimenopausa não precisa ser um estágio problemático para as mulheres. Ela se refere ao período de transição entre a vida fértil e a finalização definitiva do ciclo menstrual.

A perimenopausa é uma palavra que literalmente significa “perto da menopausa”. Tem a ver com o período de transição que leva à menopausa, que marca o fim da vida reprodutiva de uma mulher. Também é conhecida como “transição da menopausa”.

O período da perimenopausa ocorre em diferentes idades. Enquanto algumas mulheres começam a ter os primeiros sintomas na faixa dos 30 anos, outras os experimentam perto dos 40. Algumas chegam a ter as primeiras manifestações apenas no início dos 50 anos.

Às vezes, a perimenopausa é confundida com a pré-menopausa, mas são dois conceitos diferentes. A pré-menopausa, tecnicamente falando, corresponde a todo o estágio antes da menopausa. A perimenopausa, por outro lado, compreende o estágio imediatamente anterior à menopausa.

O que é a perimenopausa?

Em geral, a perimenopausa pode ser definida como o estágio reprodutivo mais próximo da menopausa. Começa quando os níveis hormonais começam a cair em uma mulher e termina quando o ciclo menstrual desaparece por mais de doze meses.

Durante esta fase, os níveis de estrogênio e progesterona ficam instáveis, visto que sobem e diminuem continuamente. Isso gera uma série de sintomas, físicos e psicológicos. Essa instabilidade é mantida até a menstruação cessar definitivamente. O fim só é considerado após um ano sem menstruação.

Existem alguns fatores que podem precipitar o início da perimenopausa. Há indícios de que as mulheres que fumam entram na perimenopausa um ou dois anos mais cedo do que o habitual. Da mesma forma, o histórico familiar, assim como alguns tratamentos contra o câncer e a histerectomia, podem fazer com que ela apareça mais cedo.

Mulher sentindo ondas de calor
As ondas de calor são um sinal da perimenopausa anunciando uma queda nos níveis de estrogênio.

Leia também: Dicas para se preparar para a chegada da menopausa

Sintomas da perimenopausa

O principal sintoma da perimenopausa é a irregularidade no período menstrual. Os períodos podem ser mais curtos, ou mais longos, ou simplesmente não aparecer por um mês ou mais. Da mesma forma, às vezes são mais abundantes e outras vezes mais leves.

Outros sintomas desse estágio são os seguintes:

  • Ondas de calorondas repentinas de calor, que sobem do peito à cabeça.
  • Suores noturnos.
  • Dificuldade para dormir.
  • Mucosas ressecadas: principalmente secura vaginal.
  • Dispareunia: dor durante a relação sexual.
  • Mudanças de humor.
  • Problemas ou infecções urinárias.
  • Aumento do nível de gordura corporal, principalmente ao redor da cintura.
  • Desinteresse sexual.
  • Osteoporose: perda de massa óssea.

A ciência não sabe exatamente o que causa as ondas de calor, mas sabe-se que a água quente, alimentos quentes ou condimentados, álcool e cafeína aumentam esses episódios. As mudanças de humor são causadas pela instabilidade hormonal, mas também pela consciência de estar envelhecendo ou no final da vida fértil.

Mulher em consulta médica

Você também pode se interessar: 7 hábitos que ajudam a prevenir a osteoporose

Tratamentos disponíveis

A perimenopausa não precisa de tratamento se a mulher tolerar bem os sintomas. Se não for esse o caso, é comum recorrer a uma ou mais das seguintes medidas:

  • Terapia de reposição hormonal: consiste basicamente na administração de estrogênio sistêmico. É essencial que a terapia seja guiada por um profissional e que os riscos e benefícios associados sejam avaliados.
  • Estrogênio vaginal: uma variante do estrogênio é usada localmente através de um creme, anel ou comprimido. É possível tentar reparar a secura vaginal com essa abordagem. Ela ajuda a aliviar o desconforto durante a relação sexual e a moderar os sintomas urinários.
  • Gabapentina: embora este medicamento seja usado principalmente para convulsões, mostrou-se eficaz na redução das ondas de calor.
  • Antidepressivos: eles são usados ​​para reduzir as ondas de calor, assim como para estabilizar o humor.

Outras dicas

Muitas mulheres conseguem administrar bem seus sintomas com medidas que excluem os tratamentos farmacológicos. Um estilo de vida saudável ajuda a reduzir consideravelmente o desconforto e a manter o bom humor.

Basicamente, recomenda-se comer de forma saudável e se exercitar regularmente. Também é altamente recomendável realizar práticas de meditação. Alguns exercícios respiratórios são muito eficazes no controle das ondas de calor, sem precisar recorrer a um medicamento.

A acupuntura, assim como a ingestão de certos chás de ervas, também se mostraram eficazes nestes casos. Existem também produtos de origem natural que podem ajudar. Em qualquer caso, é importante consultar o seu médico antes de fazer uso desses procedimentos ou produtos alternativos.

Alvarado-García, A., Hernández-Quijano, T., Hernández-Valencia, M., Negrín-Pérez, M. C., Ríos-Castillo, B., Valencia-Pérez, G. U., … & Sánchez-Aguirre, F. (2015). Guía de práctica clínica Diagnóstico y tratamiento de la perimenopausia y la posmenopausia. Revista Médica del Instituto Mexicano del Seguro Social, 53(2), 214-225.