Pectina: benefícios e propriedades

03 Março, 2020
A pectina é uma fibra vegetal com diversas implicações para a saúde. A seguir, vamos explicar por que é importante consumi-la e quais alimentos podem fornecê-la. Não perca!

A pectina é uma fibra vegetal presente nas frutas que, combinada com a água, costuma formar um gel. Ela desempenha a função de espessante, ligando-se com o açúcar ou com os próprios ácidos do açúcar.

Além disso, a quantidade de pectina presente na fruta depende do grau de maturação da mesma. Quanto mais madura, menos pectina. Como regra geral, marmelos, maçãs e frutas cítricas são as frutas com maior quantidade de pectina.

Ela é usada principalmente na indústria de alimentos para produzir doces. O ato de adicionar pectina permite reduzir a quantidade de açúcar necessária para engrossar o produto e, por sua vez, reduzir o tempo de cozimento.

Como se isso não bastasse, com esta substância é possível produzir uma quantidade maior de geleia por quilo de fruta.

Leia também: Bolo de banana rico em fibras e com pouco açúcar

Propriedades da pectina

  • Tem a capacidade de regular o perfil lipídico, porque absorve os sucos secretados pelo fígado no intestino. Isso contribui para a eliminação do colesterol LDL.
  • Melhora os sintomas de problemas intestinais, pois é uma fibra vegetal. Aumenta, quando misturada com água, o volume do bolo fecal e, consequentemente, melhora os processos de diarreia ou constipação.
  • É uma substância praticamente sem calorias. Portanto, é uma aliada quando se trata de gerar saciedade. É interessante em dietas de emagrecimento, pois diminui a necessidade de comer.
  • Absorve açúcares e gorduras no nível intestinal e impede a sua assimilação. Esta função, juntamente com a anterior, contribui para a perda de peso do indivíduo.
Mulher comendo maçã
A maçã, as frutas cítricas e o marmelo são importantes fontes de pectina.

Importância do consumo de fibras

A OMS recomenda o consumo regular de fibra, tanto solúvel quanto insolúvel. Foi comprovado que a ingestão regular desta substância melhora a composição da microbiota intestinal. 

Além disso, é um fator protetor contra vários tipos de câncer relacionados ao trato digestivo, e também melhora os sintomas de certas patologias do sistema intestinal.

O consumo de fibra também é crucial para as pessoas com diabetes, pois contribui para regular a curva de glicose e facilita o gerenciamento da doença.

Nos últimos anos, foi descoberta a importância de uma microbiota saudável para a saúde. Em geral, essas bactérias do cólon estão relacionadas à função orgânica adequada, reduzindo as chances de depressão, melhorando o desempenho esportivo e prevenindo doenças complexas e crônicas.

Assim, para manter essas bactérias em boas condições, é essencial manter um consumo regular de probióticos (como iogurte) e prebióticos. Estes últimos são substâncias não digeríveis que estimulam o crescimento seletivo de bactérias.

As frutas cítricas contêm pectina
Alguns suplementos podem conter pectina; no entanto, é melhor obtê-la de alimentos frescos, como frutas e vegetais.

O problema da indústria

Nos últimos anos, o consumo de alimentos processados ​​aumentou. Estes são caracterizados pelo seu alto teor de açúcar e pela baixa presença de fibras. Reduzir a ingestão de fibra alimentar leva a uma piora das funções intestinais e a um risco aumentado de desenvolver doenças.

Uma maneira de mitigar as consequências dessa situação é aumentar o consumo de frutas. A pectina da fruta aumenta o volume do bolo fecal, depurando as paredes intestinais e facilitando a síntese de ácidos graxos de cadeia curta no intestino.

Esses ácidos graxos têm um papel anti-inflamatório e garantem o bom funcionamento do intestino, além de reduzir o risco de desenvolver doenças.

Você pode gostar de ler: 7 benefícios do consumo das sementes do mamão

Conclusões sobre a pectina

Como vimos, a pectina é uma fibra muito usada na indústria pela sua capacidade de agir como espessante. É encontrada em frutas e seu consumo regular é interessante para melhorar a saúde intestinal e prevenir problemas associados à diarreia e à constipação.

Além disso, possui funções relacionadas à melhora da pressão arterial e da curva de glicose em diabéticos. É aconselhável combinar o consumo de pectina com a ingestão regular de probióticos e prebióticos.

Deste modo, o crescimento seletivo bacteriano e a formação de ácidos graxos de cadeia curta no intestino serão estimulados com um claro papel anti-inflamatório.

Uma das melhores dicas para aumentar o consumo de pectina é priorizar a ingestão de alimentos frescos em vez de alimentos processados. A ingestão regular de frutas cítricas e maçãs também é um fator-chave nesse objetivo.

  • Eswaran S., Muir J., Chey WD., Fiber and functional gastrointestinal disorders. Am J Gastroenterol, 2013. 108 (5): 718-27.
  • Aleixandre A., Miguel M., Dietary fiber and blood pressure control. Food Funct, 2016. 7 (4): 1864-71.
  • Holscher HD., Dietary fiber and prebiotics and the gastrointestinal microbiota. Gut Microbes, 2017. 8 (2): 172-184.