Parar de fumar: 4 regras alimentares que você deve seguir

Nossa força de vontade é imprescindível para parar de fumar, mas podemos nos apoiar em algumas ajudas extras que tornem a tarefa menos difícil e nos permitam superar a ansiedade.

Parar de fumar é um processo complexo que cada pessoa enfrenta de uma maneira diferente. Há quem o faça de forma progressiva e quem, de um dia para o outro, deixe o tabaco para nunca mais voltar a tocar numa cigarro.

Não é uma tarefa fácil. Para conseguir, não basta uma forte concentração, precisamos de uma clara vontade de levar uma vida mais saudável e, além disso, seguir algumas regras de alimentação.

Ainda assim, contar com o apoio de nosso entorno e controlar os desencadeantes que mais nos convidam a acender um cigarro farão com que, sem dúvida, possamos conseguir. O esforço vale a pena.

Porque parar de fumar não lhe permitirá apenas ganhar em saúde: você ganhará mais vida e bem-estar.

Parar de fumar: conselhos que você deve levar em conta

Quando decidimos dar o passo e parar de fumar, temos que levar em conta várias coisas. Uma delas é que nosso cérebro vai “sentir falta” de sua dose de nicotina.

Ao sentir a ausência desse componente em nosso organismo, começaremos a desenvolver a síndrome de abstinência. É algo que já se nota 20 minutos depois de termos fumado um cigarro.

Tanto é assim que todo fumante sabe muito bem que o instante mais crítico é a primeira hora do dia, quando despertamos pela manhã, depois de termos passado entre 7 ou 9 horas sem fumar.

As mudanças físicas são evidentes: aumento da frequência cardíaca, pressão arterial, boca seca, ansiedade e até necessidade de comer.

Recomendamos ler também: “Remédio simples de ervas e frutas para deixar de fumar

No dia seguinte após parar de fumar, os níveis de monóxido de carbono e de nicotina baixarão no nosso organismo.

É aí que o cérebro ordena a nosso corpo a começar a reparar o dano causado pelo tabagismo no coração e nos pulmões.

Notaremos mudanças e alterações que serão mais evidentes durante as três primeiras semanas. É, sem dúvida, a etapa mais complicada. Tanto é assim que devemos cuidar ao máximo de nossa alimentação.

Em seguida, ensinaremos algumas regras que deveríamos seguir.

pulmao-fumante

1. Evitar o café pela manhã durante um mês

A cafeína estimula o desejo pelo tabaco. É um ativador natural que convém evitar, ao menos durante essas primeiras semanas em que lutamos contra a síndrome da abstinência.

Essas seriam as bebidas mais adequadas que deveríamos priorizar:

  • Chá de canela
  • Infusão de alcaçuz
  • Chá de gengibre
  • Chá de maracujá

Ainda assim, é imprescindível aumentar nossa ingestão de vitamina C, necessária para depurar os pulmões. Não hesite em preparar saborosas saladas de frutas, combinando morango, laranja, kiwi e manga.

2. Os cereais integrais são básicos na hora de parar de fumar

Quando deixamos de fumar, reduzem-se os níveis de glicose no sangue. Essa pequena hipoglicemia gera, por sua vez, estresse e mal-estar.

  • Mas se cometemos o erro de comer doces, o que conseguiremos é gerar ainda mais ânsia pela nicotina. É necessário escolher bem os alimentos.
  • Você vai gostar de saber que uma dieta baseada em cereais integrais é algo que lhe dará um grande resultado. Você vai perceber isso em seu ânimo, sua sensação de saciedade e, acima de tudo, o seu corpo notará ao deixar de sofrer de hipoglicemia.
cereais_integrais

Assim, anote que tipo de cereais integrais não deve faltar na sua dieta:

  • Aveia
  • Trigo sarraceno
  • Pão de centeio
  • Pão de trigo-vermelho
  • Arroz integral
  • Arroz vermelho
  • Sementes de linhaça

3. Alimentos que nos relaxam

É curioso, mas existem alimentos capazes de nos relaxar e aliviar a síndrome de abstinência associada ao tabaco.

Leia também: “Como deixar de fumar?

Os especialistas em nutrição os chamam de “alimentos zen”. No entanto, tampouco devemos nos deixar levar por esse tipo de rótulos, trata-se apenas de “comer de forma inteligente” e de escolher aquilo que nos faz bem da seguinte lista:

  • Sopa de abóbora
  • Peru ao forno com limão
  • Peixe branco
  • Verduras (brócolis, cebola crua, cenoura, rabanete, alho-poró, pepino, aipo, acelga, tomate)
  • Nozes
  • Banana
  • Alho
  • Levedura de cerveja
sopa-de-abobora

4. Água morna com mel

Na hora de parar de fumar, como você já sabe, devemos beber muito líquido para eliminar toxinas e também para nos mantermos hidratados.

Descubra também os 10 ingredientes que podem ajudar os pulmões de um fumante

Outro aspecto interessante é relativo aos remédios caseiros que sempre é bom levar em conta.

Recomendamos um bem fácil:

  • Beba duas vezes por dia uma xícara de água morna com uma colher de mel. Esse remédio é depurativo, antibacteriano, eleva nossas defesas, nos dá energia, cuida dos pulmões e, além disso, relaxa-nos e dá uma sensação de saciedade.
  • É um complemento muito simples de preparar, que não custa muito e que, além disso, fará com que você se sinta muito bem.

Para concluir, lembre-se de que esses conselhos só serão eficazes se você for constante e tiver consciência da necessidade de deixar o hábito de fumar.

Além disso, tente fazer alguma atividade física e começar algo novo. Às vezes, ter um novo interesse, como fazer um curso, praticar natação ou aulas de dança, consegue que nossa atenção se centre em outros aspectos, afastando-se do cigarro.

Vale a pena o esforço!

Recomendados para você