Por que tenho palpitações ao deitar?

Alguns problemas relacionados à pressão arterial ou à apneia do sono podem ocasionar palpitações ao deitar. Entretanto, se elas ocorrerem de forma recorrente, é melhor consultar um médico para investigar a causa.
Por que tenho palpitações ao deitar?

Última atualização: 05 Maio, 2021

As palpitações são definidas como a percepção dos batimentos cardíacos, e muitas vezes ocorrem ao deitar. São comuns e, embora sejam um motivo de preocupação, geralmente não são prejudiciais.

As palpitações geralmente são causadas por exercícios, estresse ou certos medicamentos. Por outro lado, também podem ser um sintoma de alguma patologia. Podem ser acompanhadas por outros desconfortos no peito ou dificuldade para respirar. Neste artigo, explicamos em que consistem as palpitações e, especialmente, por que elas ocorrem ao deitar.

Quais são as causas das palpitações?

Mulher com palpitações

Como mencionamos, as palpitações não são um problema na maioria das vezes. Portanto, é difícil encontrar a sua causa. Algumas das situações mais frequentes em que elas ocorrem são as seguintes:

  • Quando há febre.
  • Certas alterações, como gravidez ou menstruação.
  • Distúrbios da tireoide, especialmente hipertireoidismo.
  • Estresse ou ansiedade. Ainda que seja um estresse subconsciente e prolongado, as palpitações podem aparecer como um sintoma.
  • O exercício tende a acelerar a frequência cardíaca e causar palpitações. Elas geralmente desaparecem com o repouso.
  • Substâncias como cafeína, nicotina ou drogas excitantes. A cocaína e as anfetaminas se destacam por provocar palpitações.

Os distúrbios cardíacos, como as arritmias, geralmente se apresentam na forma de palpitações. Portanto, embora não costumem ser graves, é importante investigar a sua causa se persistirem ou causarem outros desconfortos.

O que devemos saber sobre as palpitações ao deitar?

Às vezes, as pessoas só percebem as palpitações na hora de dormir. Nestes casos, geralmente as notam no pescoço ou na garganta. Muitas vezes, isso se deve a uma alteração na pressão arterial. Isso acontece porque, quando dormimos, a pressão arterial geralmente diminui.

Ela tende a aumentar durante o dia, atingindo seu ponto mais alto à tarde. No entanto, às vezes pode cair excessivamente à noite. O coração bate mais rápido para poder manter a irrigação em todos os órgãos. Portanto, notamos as palpitações. Podemos inclusive sentir dor e falta de ar.

Por outro lado, não podemos esquecer que o estresse é uma das principais causas das palpitações. Não é de admirar que pensamentos estressantes surjam na hora de dormir. A ansiedade e o estresse acumulados geralmente interrompem o sono e o descanso.

Outra causa das palpitações ao deitar pode ser a apneia do sono. Este é um distúrbio em que a respiração é interrompida ou se torna muito superficial. Essas interrupções podem durar de alguns segundos a minutos e se repetem durante a noite. A pessoa que sofre de apneia do sono não consegue descansar o suficiente.

Da mesma forma, é importante ressaltar que a postura na hora de dormir é decisiva. Quando você dorme de lado, a pressão faz com que você sinta com mais intensidade as batidas do seu coração.

Isso pode interessar você: Transtorno de insônia: causas e tratamento

Existem complicações associadas?

Consulta com cardiologista
Quando as palpitações ao deitar são recorrentes e acompanhadas de outros incômodos, é preciso consultar um cardiologista.

O risco de sofrer uma complicação é baixo. No entanto, quando as palpitações são decorrentes de doenças cardíacas, o risco é alto. Desmaios podem ocorrer, já que quando o coração bate muito rápido, a pressão arterial cai.

Pode até ocorrer um AVC. Quando se trata de fibrilação atrial, por exemplo, o sangue forma coágulos. Se eles se soltarem, podem obstruir a circulação do cérebro.

As palpitações podem ser um sintoma de arritmia cardíaca. Esse transtorno faz o coração bater de forma ineficaz e pode levar a uma parada cardíaca.

Calma! As palpitações ao deitar não costumam indicar algo sério

As palpitações são muito comuns e geralmente não representam nenhuma patologia. Costumam caracterizar uma situação fisiológica simples em que os batimentos cardíacos são percebidos com mais intensidade. Porém, quando são mais persistentes ou acompanhados de outros sintomas, devem ser estudados e controlados.

Da mesma forma, quando ocorrem à noite, podem indicar uma alteração na pressão arterial ou uma apneia do sono. Neste caso, não hesite em consultar o seu médico.

Pode interessar a você...
Como combater a apneia do sono com 5 remédios naturais
Melhor Com SaúdeLeia em Melhor Com Saúde
Como combater a apneia do sono com 5 remédios naturais

Podemos recorrer a alguns remédios que nos ajudam a relaxar a garganta para combater a apneia do sono. Confira nossas recomendações!



  • Mirvis DM. Palpitations. In: Walker HK, Hall WD, Hurst JW, editors. Clinical Methods: The History, Physical, and Laboratory Examinations. 3rd edition. Boston: Butterworths; 1990. Chapter 10. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK202/
  • Wuyts L, Pouillon M, Huyghe M, Ruyssers N, Goovaerts G, Spaepen M. Palpitations, headache and night sweats caused by a retroperitoneal mass: case report and short review. BJR Case Rep. 2017;3(4):20170035. Published 2017 Aug 2. doi:10.1259/bjrcr.20170035
  • Goyal A, Robinson KJ, Sanchack KE. Palpitations. [Updated 2019 Jul 12]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2019 Jan-. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK436016/
  • Gula LJ, Krahn AD, Skanes AC, Yee R, Klein GJ. Clinical relevance of arrhythmias during sleep: guidance for clinicians. Heart. 2004;90(3):347–352. doi:10.1136/hrt.2003.019323