Transtorno de insônia: causas e tratamento

09 Maio, 2020
O transtorno de insônia pode ser causado por vários fatores, tanto primários quanto secundários. Felizmente, atualmente existem várias medidas eficazes para o seu tratamento.

O transtorno de insônia é a incapacidade de pegar no sono ou de permanecer adormecido. As pessoas que sofrem com esse problema apresentam um sono de baixa qualidade e duração, o que interfere na vida cotidiana.

Esse distúrbio pode se manifestar pela dificuldade de iniciar o sono, de mantê-lo, ou por despertar antes da hora.

Dependendo da duração do problema, ele pode ser classificado como insônia aguda, caso dure menos de 4 semanas; subaguda, se durar entre 4 a 6 meses; e crônica, se durar mais de 6 meses.

Falamos de insônia quando uma pessoa não consegue adormecer ou quando tem o sono alterado, mas sabemos exatamente o que é o sono?

O sono

O que é?

Relação entre o transtorno de insônia com os ciclos do sono
Durante o sono, ocorrem várias fases de maior ou menor atividade cerebral.

O sono é um estado fisiológico do organismo regulado pela glândula pineal, que se encontra na base do cérebro e produz a melatonina, também conhecida como o hormônio do sono. Tanto a síntese quanto a liberação dessa substância química aumentam à noite e diminuem durante o dia.

Essas variações na concentração de melatonina são responsáveis ​​pelo controle do ritmo circadiano do ciclo sono-vigília, que se adapta ao horário solar.

Ao longo da vida das pessoas, o sono pode variar tanto em quantidade quanto em qualidade, assim como muitos outros processos fisiológicos do nosso organismo. A variação vai depender da idade, do estado de saúde e de alterações fisiológicas, entre outros.

Durante as horas de sono, a atividade cerebral muda e essas alterações são refletidas em um padrão variável com diferentes ondas elétricas, que podem ser registradas em um eletroencefalograma. Além disso, durante o sono podem ser distinguidas duas atividades muito diferenciadas.

  • A atividade rápida ou de alta frequência: é chamada de sono REM e é caracterizada por movimentos oculares rápidos.
  • Atividade lenta: é caracterizada por refletir ondas de baixa frequência no eletroencefalograma.

Quando uma pessoa dorme, há breves despertares que geralmente são acompanhados por movimentos físicos quando ela passa da fase de atividade lenta para a de atividade rápida, e vice-versa.

Leia também: Dormir bem: algo além de uma noite de sono

Transtorno de insônia

Causas

Os fusos horários alteram o sono
As mudanças de hábitos podem afetar seriamente o nosso descanso, prejudicando o rendimento físico e mental.

A insônia pode ser provocada por muitas causas, que podem ser classificadas em primárias e secundárias.

Causas primárias

São aquelas que têm a ver com a manutenção de uma higiene adequada do sono ou com aspectos psicológicos. Entre essas causas, podemos citar as mudanças fisiológicas, como o envelhecimento e o estilo de vida, uma vez que as constantes mudanças de horário provocam mudanças no ritmo circadiano.

Além disso, dentro das causas primárias, podemos incluir o efeito de certos medicamentos, pois existem alguns, como anti-hipertensivos, anticolinérgicos ou hormonais, entre outros, que podem alterar o sono.

Causas secundárias

Quanto às causas secundárias, podemos citar as que provêm de uma patologia do paciente ou de fatores ambientais. Entre as doenças que podem ser a causa da insônia, podemos destacar:

Por outro lado, temos os fatores ambientais que também podem ser a causa do desenvolvimento desse distúrbio, como as temperaturas extremas, mudanças de horário ou viagens.

Sintomas do transtorno de insônia

A falta de sono e o desempenho cotidiano
As pessoas com insônia têm dificuldade para adormecer no horário normal ou apresentam interrupções durante o sono.

Os sintomas de um transtorno de insônia são fáceis de detectar. Isso ocorre porque é o próprio paciente que percebe as dificuldades para adormecer ou para manter o período de sono.

A falta de descanso é sentida ao longo do dia. O paciente se sente cansado e fraco. Além disso, em casos extremos, pode se sentir lento ao processar informações, irritado e até depressivo.

Quer saber mais? Então leia: Como regular a melatonina e dormir melhor

Como tratar o transtorno de insônia?

Antes de prescrever um tratamento medicamentoso, é recomendável seguir uma série de diretrizes para melhorar a higiene do sono:

  1. Manter horários fixos de sono.
  2. Limitar o tempo de sono a 7,5 – 8 horas.
  3. Não ingerir substâncias que estimulem o sistema nervoso.
  4. Evitar os cochilos durante o dia.
  5. Fazer exercício físico, mas não no final do dia, pois isso provoca um efeito energético.
  6. Evitar fazer atividades excitantes antes de dormir.
  7. Tomar um banho com água na temperatura do corpo antes de dormir.
  8. Manter um horário de refeições estável e evitar comer de forma exagerada antes de dormir.
  9. Praticar exercícios de relaxamento antes de dormir.
  10. Manter o quarto em condições ambientais adequadas.

Se o transtorno do sono não puder ser curado com essas medidas, deve ser tratado com medicação hipnótica. Caso esse distúrbio esteja ocorrendo pela primeira vez, é recomendável tomar chá de tília, valeriana, ou outras substâncias relaxantes que não causem efeitos colaterais.

Entretanto, como sempre indicamos, o ideal é consultar um médico, pois ele vai poder determinar as causas do problema e definir o melhor tratamento.

  • Sack, R. L., Auckley, D., Auger, R. R., Carskadon, M. A., Wright, K. P., Vitiello, M. V., & Zhdanova, I. V. (2007). Circadian Rhythm Sleep Disorders: Part I, Basic Principles, Shift Work and Jet Lag Disorders. Sleep, 30(11), 1460–1483. https://doi.org/10.1093/sleep/30.11.1460
  • Miró, E., Iañez, M. Á., & Cano-Lozano, M. C. (2002). Patrones de sueño y salud. Revista Internacional de Psicología Clínica y de La Salud, 2, 301–326. Retrieved from https://www.redalyc.org/html/337/33720206/