Doença pulmonar obstrutiva crônica (EPOC)

· 7 de janeiro de 2018
A doença pulmonar obstrutiva crônica geralmente afeta pessoas com mais de 35 - 40 anos de idade, mas muitas vezes não é diagnosticada até que as pessoas tenham mais de 50 anos.

A doença pulmonar obstrutiva crônica (EPOC) é um problema a longo prazo, de progressão lenta, que afeta os pulmões e dificulta a respiração, o que gera problemas para realizar as atividades da vida diária. Isso implica uma queda na qualidade de vida.

Com frequência, o termo EPOC é usado para descrever a bronquite crônica e o enfisema, duas doenças pulmonares progressivas que podem acontecer sozinhas ou juntas. A forma mais comum de EPOC é uma combinação das 2 condições.

Bronquite crônica

Como seu nome indica, é uma inflamação crônica (em curso) das vias respiratórias (brônquios) nos pulmões. A bronquite crônica se define como uma tosse que causa escarro que acontece diariamente durante pelo menos 3 meses de 2 ou mais anos consecutivos.

Ainda que muitas pessoas contraiam bronquite aguda (a curto prazo) em algum momento de suas vidas a bronquite crônica dura meses ou anos.

A bronquite faz com que os pulmões produzam um excesso de mucosidade para manter os brônquios úmidos. Isso gera tosse e constrição das vias respiratórias, o que dificulta que o ar flua livremente. Como resultado, o indivíduo fica sem ar.

Enfisema

Enfisema

O enfisema acontece quando os alvéolos dos pulmões crescem e se danificam. Isso faz com que a transferência de oxigênio dos pulmões à corrente sanguínea seja menos eficiente. Os alvéolos colapsam, o que significa que não suportam as vias respiratórias microscópicas chamadas bronquíolos. Isso produz problemas respiratórios e fica extremamente difícil inspirar e expirar.

Quais são os sintomas da doença pulmonar obstrutiva crônica?

Os sinais da EPOC geralmente se desenvolvem lentamente durante vários anos. Os principais sintomas incluem desde dificuldade para respirar, sibilos e opressão no peito até tosse produtiva (expectoração de mucosidade ou fleuma) na maioria dos dias.

O médico vai determinar se a EPOC é leve, moderada ou grave em função de diferentes fatores. Principalmente, avaliará se o paciente está experimentando sintomas, quanto esforço precisa para que a pessoa fique sem ar, quanto isso limita o desenvolvimento de sua vida diária.

Por outro lado, avaliará se o paciente tem infecções frequentes das vias respiratórias (resfriados e gripes), se tem uma tosse produtiva crônica (em curso); e com que frequência tem surtos. Vale destacar que as pessoas com EPOC geralmente têm exacerbações, frequentemente causadas por uma infecção do trato respiratório, como um resfriado.

EPOC grave

Mulher doente

Na etapa grave da EPOC, também podem ocorrer outros sintomas e sinais de doença pulmonar grave, como:

  • Uma coloração azul na pele (cianose).
  • Retenção de líquido, o que causa:
    • Inchaço nos pés, joelhos e pernas.
  • Cansaço extremo.
  • Perda de peso.

O que causa a doença pulmonar obstrutiva crônica?

A grande maioria dos casos de doença pulmonar obstrutiva crônica são causados pelo tabagismo. A exposição passiva ao cigarro, especialmente durante a primeira infância, também aumenta o risco de desenvolver EPOC. Em alguns casos, a EPOC pode ser o resultado da exposição ocupacional a longo prazo ao pó ou fumaças químicas. A poluição do ar também contribui para o desenvolvimento e agravamento dos sintomas.

Fatores de risco

Mulher com asma

Além do risco que o tabagismo e a exposição ao pó e a fumaça supõem, existem vários fatores que podem aumentar a probabilidade de desenvolver doença pulmonar obstrutiva crônica. Tais fatores são os seguintes:

  • Antecedentes familiares de EPOC (principalmente se é fumante).
    • Antecedentes de asma (e se a apresentou por longos períodos de tempo).
  • Problemas com as vias respiratórias e os pulmões durante a infância.

Exames e diagnóstico

Para fazer o diagnóstico de doença pulmonar obstrutiva crônica, o médico avaliará o paciente através de certos exames que permitem conhecer o estado de saúde da pessoa, mais além da sintomatologia evidente e dos dados obtidos através da entrevista com o paciente.

Claro, o médico deverá verificar se a pessoa é fumante ou se alguma vez fumou, se teve algum trabalho onde tenha sido exposta a pó, gases ou fumaça.

Os exames que permitem explorar a fundo o estado de saúde do paciente são:

  • Exames de função pulmonar. A espirometria é um exame de função pulmonar que implica respirar em uma máquina chamada espirômetro. As principais medidas usadas para diagnosticar a EPOC são a quantidade total de ar que expira e a quantidade que expira em um segundo.
  • Uma radiografia de tórax ou uma tomografia computadorizada. Estes estudos podem mostrar características que sugerem EPOC. Estes exames de imagem também podem ajudar a descartar outros problemas que poderiam estar causando seus sintomas.
  • As medições de gás no sangue arterial. Com estes exames pode-se medir a quantidade de oxigênio e dióxido de carbono na corrente sanguínea para ajudar a avaliar o quão bem os pulmões estão funcionando.

Complicações

  • Ansiedade ou depressão.
  • Insuficiência cardíaca.
  • Diabetes tipo 2.
  • Hipertensão pulmonar (pressão arterial alta no vasos sanguíneos dos pulmões).
  • Policitemia (aumento de glóbulos vermelhos).
  • Osteoporose (um problema onde os ossos se tornam menos densos e fortes, o que aumenta o risco de fraturas).

Quando é necessário procurar um médico?

Exame médico

Quando a pessoa foi fumante, tem mais de 35 anos de idade e apresenta os seguintes sintomas:

  • Dificuldade para respirar e sibilos. A princípio, isso geralmente se nota só durante a atividade física.
  • Tosse produtiva (expectoração com mucosidade) que a afeta várias vezes por dia na maioria dos dias.
  • Sofre de infecções frequentes das vias respiratórias (como resfriados que causam tosse).

O que se pode fazer?

O mais importante a fazer se você tem EPOC é parar de fumar imediatamente. Isso vai melhorar a tosse, diminuir a dificuldade para respirar e também o dano pulmonar.

A EPOC é uma doença progressiva e infelizmente não há cura para ela. Também não é possível reverter o dano pulmonar que já foi feito. Porém, existem tratamentos disponíveis para ajudar a melhorar a função pulmonar, aliviar os sintomas e retardar a progressão da doença.

Referências

Enfermedad Pulmonar Obstructiva Crónica (EPOC), Mayo Clinic, https://www.mayoclinic.org/es-es/diseases-conditions/copd/symptoms-causes/syc-20353679

Enfermedad Pulmonar Obstructiva Crónica (EPOC), American Thoracic Society, https://www.thoracic.org/patients/patient-resources/resources/spanish/chronic-obstructive-pulmonary-disease-copd.pdf

¿What is COPD?, COPD Foundation, https://www.copdfoundation.org/What-is-COPD/Understanding-COPD/What-is-COPD.aspx

Chronic Obstructive Pulmonary Disease (COPD), Merck Manual, Professional Version, http://www.merckmanuals.com/professional/pulmonary-disorders/chronic-obstructive-pulmonary-disease-and-related-disorders/chronic-obstructive-pulmonary-disease-copd

COPD, The Statistics, Lung Foundation Australia, https://lungfoundation.com.au/health-professionals/clinical-resources/copd/copd-the-statistics/