Os perigos de consumir enlatados

· 1 de novembro de 2014
Os componentes das embalagens de plástico e de metal podem causar desde obesidade até problemas cardíacos. O mais recomendado é guardar a comida em recipientes de vidro ou papel.

Uma grande quantidade de alimentos que encontramos no mercado são enlatados ou envasados. Pesquisas indicam que o tipo de material utilizado para armazenar estes alimentos produz um composto tóxico que prejudica a saúde.

Nesse artigo, falaremos sobre os perigos quando se consome alimentos enlatados.

As latas possuem um recobrimento especial feito com resinas de bisfenol A. Mas lembrar desse nome não é importante.

O que devemos mesmo saber é que essa substância acumula em nosso organismo e seus efeitos podem ser ruins.

Uma pesquisa feita pela Universidade de Harvard revelou que pessoas que consumiram sopas enlatadas durante cinco dias consecutivos apresentaram uma grande quantidade de bisfenol A na urina.

Em seguida, mediram-se os níveis da substância por mais cinco dias, sem que o composto fosse ingerido, e tal substância não foi encontrada.

O bisfenol A é tóxico?

O bisfenol A é muito estudado no meio científico. Uma publicação do Journal of the Medical Association indica que esse composto é usado para produzir plásticos, resinas e latas.

Nos Estados Unidos foi publicado um informe que mostrou os altos níveis do composto em bebês, crianças e fetos.

enlatados possuem componentes tóxicos

O Canadá foi o primeiro país do mundo a declará-lo como substância tóxica e o mesmo aconteceu na União Europeia, onde proibiram seu uso na produção de garrafas.

No entanto, as resinas de bisfenol A continuam sendo usadas em outros produtos; como é o caso do recobrimento de latas de metal que armazenam alimentos e bebidas.

Ainda não existem informações suficientes para saber exatamente quais são todos os efeitos nocivos do acúmulo de bisfenol A no organismo.

Os testes com animais tem sido alarmantes. Por exemplo, sabe-se que o composto é um desregulador endócrino, ou seja, pode alterar o funcionamento do sistema hormonal.

Além disso, costuma estar associado a diabetes, doenças cardiovasculares e obesidade.

Então o problema não é tanto o conteúdo das latas (mesmo que também seja preciso prestar atenção nisso), mas sim no contato que os alimentos têm com o bisfenol A.

Graças a essas pesquisas, os cientistas estão fazendo o possível para que a substância seja eliminada dos produtos enlatados; ou, inclusive, não se comercialize mais alimentos armazenados nesse tipo de recipiente.

enlatados possuem bisfenol

Saiba mais: Os 6 alimentos que mais têm toxinas. Você os conhecia?

Os riscos dos enlatados

Além das latas, o bisfenol A está presente no plástico e em certos alimentos embalados à vácuo. Os únicos recipientes que estão à salvo são os de vidro ou papel (você já reparou como o gosto de um alimento varia de acordo com o recipiente onde é armazenado?)

Os produtos químicos sintéticos usados para embalar, armazenar e processar os alimentos são inimigos silenciosos. Ninguém sabe o que está ingerindo e o que isso pode causar à saúde. Além disso, a maior parte desses compostos não é inerte; por isso podem se infiltrar na comida sem problemas.

Pessoas que consomem muita quantidade de alimentos enlatados são mais propensas a se expor a estas substâncias. E, como dito anteriormente, podem causar obesidade, mudanças hormonais, problemas cardíacos e diabetes.

enlatados posssuem conservantes prejudiciais

Ainda não se sabe muito a respeito, e nem quais são as etapas cruciais da substâncias uma vez que está dentro do organismo. O que é conhecido e confirmado é que as latas contêm substâncias tóxicas “populares”, tais como o formaldeído, conhecido por ser cancerígeno. Esse tipo de substância (mesmo que em menor quantidade) também é encontrado em garrafas de plástico.

Os perigos das latas de atum

Não há duvidas de que esse é um dos alimentos mais consumidos, já que não requer cozimento e pode ser adicionado a uma infinidade de pratos.

Os benefícios do peixe (por conter ácidos graxos Ômega 3 e fósforo) são perdidos devido ao mercúrio contido nas latas que armazenam o atum.

O mercúrio é um metal com efeitos tóxicos no sistema nervoso. Além de estar presente nas latas, sabe-se que em algumas áreas onde certas espécies de peixes são pescadas, o composto também está presente.

Esse pode aumentar o risco de infartos do miocárdio, alterações neuro-sensoriais, interferência no desenvolvimento neurológico (no caso do feto), etc.

enlatados

Os ricos do recobrimento das latas de alumínio

A maior parte das latas utilizadas para armazenar alimentos, vendidas em supermercados, tem um revestimento plástico conhecido como resina de epóxi, que é aplicada superficialmente.

Este processo é realizado para evitar que os alimentos reajam com seus ácidos e erodam o material. O formato das latas e a aplicação desse revestimento visam a maior durabilidade das latas.

Leia mais: 19 maneiras criativas de reciclar latas

A intoxicação das latas, um problema antigo

Você pensa que problemas com alimentos enlatados é algo recente? Então conheça a história da fatídica expedição de John Franklin ao Ártico; na qual muitos dos tripulantes do barco morreram devido ao consumo de comidas enlatadas.

Isso só foi descoberto e confirmado anos depois, com diferentes pesquisas e estudos. A causa das mortes foi envenenamento por chumbo, que era usado para soldar as latas de conserva.

Existe um fundo de mito nesse relato, e os procedimentos para armazenar os alimentos foi mudado; mas é bom saber que o problema com as latas não é novo.

lata6