Orgasmo seco: o que é e por que acontece

5 de maio de 2019
O orgasmo seco não acarreta nenhum risco para a saúde, mas pode afetar a fertilidade e a autoestima e, portanto, as relações sexuais.

O natural é que depois do orgasmo haja a ejaculação anterógrada, com a consequente liberação do sêmen. Quando isso não acontece ou a quantidade de sêmen é muito escassa, isso é um sinal de que estamos enfrentando o que é conhecido como orgasmo seco.

Devo me preocupar se eu tiver um orgasmo seco?

Devo me preocupar se eu tiver um orgasmo seco?

A princípio, você não deve se preocupar se tiver um orgasmo seco. Não envolve nenhum risco para a sua saúde e você pode continuar desfrutando do sexo, mesmo se não houver presença de sêmen após o clímax.

No entanto, há uma série de motivos pelas quais isso está acontecendo com você, e muitos deles podem ser resolvidas para impedir que você experimente o orgasmo seco.

  • Cirurgias: se você teve câncer de testículo ou foi submetido a uma prostatectomia, é possível que o colo da bexiga tenha sido danificado. Isso pode tornar a saída do sêmen após o orgasmo impossível.
  • Bexiga neurogênica: é uma alteração anatômica congênita que pode causar um colapso do colo da bexiga que impede a ejaculação.
  • Lesões e neuropatias: caso a sua medula esteja danificada ou você sofra de alguma doença, como a esclerose, pode sentir um orgasmo seco.
  • Fármacos e drogas: se você bebe álcool ou usa drogas com frequência, a ejaculação retrógrada pode se manifestar. Além disso, alguns antidepressivos e antipsicóticos também podem ser a causa.

Em alguns casos, a solução é clara. Por exemplo, se for um medicamento que está causando o orgasmo seco, o médico pode prescrever outro que não esteja tão relacionado a essa condição. No entanto, a situação é diferente no caso de lesões ou neuropatias.

Confira ademais: Transtorno do desejo sexual hipoativo em homens

Opções de tratamento para a ejaculação retrógrada

Se houver danos no colo da bexiga, o médico avaliará a ideia de uma cirurgia para repará-la. Em outras circunstâncias, você pode receber a prescrição de medicamentos que podem ou não resolver essa condição. Se as drogas forem a causa do orgasmo seco, deixar de usá-las será a opção mais apropriada.

O tratamento dependerá sempre das causas e do quão problemático pode ser para você sofrer um orgasmo seco. Lembre-se de que, como indicamos no início, não é algo que prejudique a sua saúde, mas simplesmente provoca a ausência de ejaculação durante o orgasmo.

Dificuldade em conceber

Opções de tratamento para a ejaculação retrógrada

O grande problema em experimentar o orgasmo seco é que ele reduz as chances de conceber um bebê. Se for algo que você está desejando, o médico tentará resolver essa situação. No entanto, existe uma alternativa que geralmente dá resultados muito bons.

Estamos nos referindo à reprodução assistida. Dessa forma, os espermatozoides que são processados ​​em um laboratório são extraídos. Subsequentemente, a mulher é inseminada, permitindo que alguns espermatozoides fecundem o óvulo. Em muitos casos, antes disso, a estimulação hormonal do ovário é realizada para aumentar as chances de sucesso.

Não deixe de ler: 5 tipos de orgasmos e como alcançá-los

Problemas de autoestima devido ao orgasmo seco

Orgasmo seco provoca problemas de autoestima

Outra coisa que o orgasmo seco pode causar é um problema de autoestima. Especialmente quando não se sabe o que está acontecendo, você pode pensar que existe algo de errado com você.

No entanto, quando o problema é diagnosticado pelo médico, você não precisa continuar alarmado. Se tudo estiver bem com a sua saúde, o prazer do sexo não precisa ser limitado pela ausência de ejaculação.

No caso de o orgasmo seco afetar a sua vida sexual, não hesite em procurar um profissional. Devido à insegurança, fruto da baixa autoestima devido a esta circunstância, você pode sentir vergonha e até mesmo manifestar a disfunção eréctil no momento do ato sexual.

Se você se encontrar nessa situação, vá ao médico para detectar as causas da ejaculação retrógrada. Além disso, não hesite em seguir as recomendações que o profissional possa te dar para resolver o problema ou pedir ajuda para lidar com os problemas que você está tendo no seu relacionamento.

Em conclusão, se o que o preocupa é ter filhos, existem alternativas para obtê-lo e que o médico poderá te informar. Você já teve esse problema alguma vez?

  • Arcila, J. F. U. (2013). Trastornos de la función eyaculatoria durante 198 meses de revisión en una consulta de medicina sexual. Revista Urología Colombiana22(1), 30-40.
  • Herrera P., Adela. (2003). SEXUALIDAD EN LA VEJEZ: ¿MITO O REALIDAD?. Revista chilena de obstetricia y ginecología68(2), 150-162. https://dx.doi.org/10.4067/S0717-75262003000200011
  • Horta, Sergio Henrique Couto, Wolf, Juliana Suarez, Balsamo, Flávia, Oliveira, Luiz Carlos Neves de, & Formiga, Galdino José Sitonio. (2009). Ressecção alargada para o adenocarcinoma colorretal localmente invasivo: relato de caso e revisão da literatura. Revista Brasileira de Coloproctologia29(1), 97-101. https://dx.doi.org/10.1590/S0101-98802009000100015
  • Uribe, J. F., & Gallo, J. F. (2009). Actualización en hematoespermia. Revista Urología Colombiana18(2).