O que é Mupirocina?

25 de janeiro de 2020
A mupirocina é um antibiótico obtido através das culturas de Pseudomonas fluorescens.

Mupirocina é um antibiótico utilizado para o tratamento da grande maioria das bactérias que dão origem a infecções de pele.

Como funciona a mupirocina?

Antibiograma

Este medicamento exerce seu efeito na prevenção da síntese proteica bacteriana, através da inibição da enzima isoleucil-tRNAsintetase.

Devido ao seu mecanismo de ação e sua estrutura química, não produz resistência cruzada com outros antibióticos. A mupirocina é bacteriostática em concentrações inibitórias mínimas e bactericida nas concentrações mais altas atingidas quando aplicadas localmente.

Para que a mupirocina é indicada?

Essa droga é indicada para o tratamento de infecções de pele causadas por microrganismos sensíveis. Portanto, é indicado no tratamento de infecções primárias da pele, como foliculite, impetigo ou forunculose.

Além disso, também é prescrita quando aparecem infecções dermatológicas secundárias, como dermatite de contato superinfectada, feridas infectadas, dermatite atópica e dermatite eczematosa, desde que sejam com extensão limitada.

A mupirocina é um agente antibacteriano tópico que mostra atividade in vivo contra as espécies Staphylococcus aureus, S. epidermidis e Streptococcus ß-hemolítico.

No entanto, in vitro, o espectro de sua atividade inclui bactérias como:

  • Staphylococcus aureus e Staphylococcus epidermidis.
  • Espécies de Estreptococo.
  • Haemophilus influenzae.
  • Neisseria gonorrhoeae e Neisseria meningitidis.
  • Moraxella catarrhalis.
  • Pasteurella multocida.

Se seu médico prescreveu mupirocina para tratar rachaduras no mamilo, é necessário lavá-lo muito bem antes de amamentar o bebê.

Descubra: Como tratar uma ferida infeccionada

Como se utiliza a mupirocina?

Pomada para problemas de pele

No caso de problemas da pele a apresentação deste antibiótico é em forma de pomada. Uma aplicação de mupirocina é realizada 2-3 vezes ao dia por 5 a 10 dias, dependendo da resposta. Se após 3-5 dias de tratamento, nenhuma melhora for observada, o diagnóstico e / ou o tratamento devem ser reconsiderados.

Primeiramente é necessário lavar e secar a área a ser tratada. Logo depois, aplique uma pequena quantidade da pomada e, se necessário, você pode cobrir a área com um curativo ou gaze oclusiva.

Não deve ser misturado com outras pomadas, pois existe o risco de diluição. Isso resultaria em uma diminuição da atividade antibacteriana e, consequentemente, em uma possível perda da estabilidade da mupirocina na pomada.

Reações adversas e contraindicações

As reações adversas descritas que a mupirocina pode causar foram determinadas com base em dados de segurança. Esses dados foram coletados de uma população de um ensaio clínico de 1573 pacientes tratados, abrangendo 12 estudos clínicos.

Ao nível da pele e tecido subcutâneo, pode ocorrer queimação localizada na área de aplicação. Menos comumente, pode ocorrer prurido, eritema e coceira. Também foram relatadas reações alérgicas, incluindo anafilaxia, erupção cutânea generalizada, urticária e angioedema.

Por outro lado, o uso de mupirocina é contraindicado em pacientes com histórico de hipersensibilidade a essa substância ativa e a outros componentes que aparecem na formulação de pomadas.

Se você está grávida ou pensa estar, devido à falta de informações, não deve usar mupirocina. Além disso, se você estiver amamentando, não deve ser usada, pois pode passar para o leite e afetar o bebê.

Leia também: 4 dicas para evitar a dermatite de fralda

O que é preciso ter em conta?

Bactérias resistentes à mupirocina

No caso de uma reação de sensibilização ou forte irritação local ao usar este medicamento, você deve interromper o tratamento e remover o produto aplicado. Como antibiótico de ação antibacteriana, seu uso prolongado pode causar uma proliferação de organismos não suscetíveis.

É pouco provável que os pacientes sofram de diarreia durante o tratamento com mupirocina, uma vez que é administrada topicamente. No entanto, se o paciente apresentar disenteria prolongada ou significativa ou cólicas abdominais, o tratamento deve ser interrompido e o médico deve ser consultado.

Algumas pomadas com mupirocina contém também outra substância que é o macrogol. Por esse motivo, pomadas com essa formulação não devem ser utilizadas quando houver evidência de insuficiência renal.

O macrogol pode ser absorvido pela pele lesionada, sendo posteriormente eliminado pelos rins.

Deve-se tomar cuidado para não usar a mupirocina em áreas muito grandes da pele. Em caso de sobredosagem, não existe tratamento específico, embora, se ocorrer, o paciente deva receber tratamento de suporte e manter-se controlado.

Conclusão

A mupirocina é indicada para o tratamento de infecções de pele causadas por microrganismos sensíveis. Entretanto, é importante que as recomendações indicadas na bula sobre o uso apropriado sejam levadas em consideração.

  • Potel, C., Álvarez, P., Constenla, L., & Álvarez, M. (2009). Efectividad de la mupirocina frente a Staphylococcus aureus resistente a meticilina aislados en la provincia de Pontevedra. Enfermedades Infecciosas y Microbiología Clínica. https://doi.org/10.1016/j.eimc.2008.02.002

  • García, A. M., Villa, M. V., Escudero, M. E., Gómez, P., Vélez, M. M., Múnera, M. I., & Franco, G. (2003). Uso nasal de la mupirocina para Staphylococcus aureus: efecto en portadores y en infecciones nosocomiales. Biomédica. https://doi.org/10.7705/biomedica.v23i2.1209

  • Mônica, T., Dayana Souza, F., Cibele, G., Angélica Gonçalves Silva, B., & Dulce Aparecida, B. (2012). Uso profilático de Mupirocina em cateter venoso central de hemodiálise: revisão sistemática e metanálise. Acta Paulista de Enfermagem.